Hyundai 45 concept a caminho de Frankfurt

|0 comentários
A Hyundai confirmou que vai levar a Frankfurt um concept com um nome simples (apenas designado "45") mas com uma importante função: anunciar para onde vai o design da marca coreana no futuro próximo.
Infelizmente a Hyundai apenas publicou esta imagem, que segundo a marca foi desenhado em parte inspirado no seu primeiro modelo nos anos 70 (não disseram qual mas deve ser o Pony). É visivelmente um hatchback com bastantes ângulos, com um pouco de Honda "e" e do concept Fiat Centoventi no painel LED traseiro. Será também eléctrico mas nenhuma especificação foi dada.

Hyundai i30 N Project C a caminho

|0 comentários
O Hyundai i30 N tem sido muito bem recebido pelos entusiastas dos desportivos, mas em tudo o que é bom há sempre espaço para melhoria - se uns carregam na cavalagem (estou a olhar para ti Mercedes-AMG A45 S) outros refinam a receita - neste caso em Frankfurt a Hyundai irá apresentar uma versão melhorada do i30 N Performance: o Hyundai i30 N Project C.
A designação "Project C" vem do nome da pista de testes da Hyundai chamada Area C e segundo a Hyundai este i30 N Project C será uma versão mais leve, mais baixa e mais ágil - não terá mais potência mas mais dinâmico. Terá vários componentes em plástico reforçado com fibra de carbono, melhorias aerodinâmicas e jantes específicas de 19 polegadas. Mas será uma série limitada - só vão ser produzidas 600 unidades. Mais no salão de Frankfurt.

[update videos]Opel Zafira Life apresentado

|0 comentários
Não damos o devido valor ao Opel Zafira - a Renault pode ter inventado o monovolume e com Citroen dominaram o segmento, mas a nivel do segmento das monovolumes compactas a Opel Zafira foi a primeira a oferecer 7 lugares a um custo acessível quando a Renault e Citroen ficavam-se pelos 5. A Opel recupera essa denominação para a versão de passageiros do seu novo utilitário que pode receber até 9 lugares.


Como é fácil de perceber este Zafira Life é o primo Opel dos Citroën Jumpy Spacetourer, Peugeot Expert Travellere Toyota Proace Verso. Estará disponível com 3 comprimentos: 4,60 metros, 4,95 metros e 5,30 metros - todas com 9 lugares. Poderá ter tração integral via a Dangel e até terá uma versão eléctrica em 2021.



No campo das tecnologias recebe um display HUD a cores, sistema multimédia compatível com Android Auto/Apple CarPlay, cruise control ativo e até um sistema de manutenção de faixa de rodagem.



update 22-08-2019

Drako GTE recupera o Fisker Karma

|0 comentários
Que nem o mau da fita de primeiro Die Hard que pensávamos estar morto mas no fim regressa à vida o Fisker Karma está de volta à ribalta cortesia dos americanos da Drako - que sendo americanos aplicaram a máxima "mais é sempre melhor".
Este é o Drako GTE recentemente apresentado em Pebble Beach, e apesar da frente e traseira diferentes dá para ver a criação de Henrik Fisker que serve de base.

Mecanicamente pouco sobrou do Karma - se inicialmente debitava 403 cavalos este Drako GTE debita uns fenomenais 1.200 cavalos e uma velocidade máxima de 330 km\h cortesia de ter um motor eléctrico por cada roda alimentados por uma bateria de 90 kWh.



Se quer um é bom que se despache porque só vão fabricar 25 unidades a pelo menos 1,25 milhões de dólares cada.

Mercedes EQV apresentado

|0 comentários
Apresentado como concept em Genebra no inicio do ano como concept a Mercedes vai levar a Frankfurt a versão de série do EQV também conhecida como a Classe V 100% eléctrica - mas não é para nós, o consumidor final.
Tal como a Classe V este Mercedes EQV é destinado às frotas de hotéis de luxo, serviços de shuttle ou mesmo táxis que estão dentro das cada vez mais numerosas zonas ZEV.

Debaixo do capot recebe um motor eléctrico de 150 kW/204 cavalos e 362 Nm de binário estando limitado a 160 km\h para preservar a autonomia - que segundo a Mercedes é de 405 quilómetros. Numa wallbox de 11 kW uma carga completa demora 10 horas ou 45 minutos num ponto de 110 kW.

O EQV estará disponível com 2 distancias entre eixos, permitindo acolher 6 ou 8 passageiros em todo o espaço e conforto.


Mercedes Classe A e Classe B híbridos plug-in apresentados

|0 comentários
A Mercedes já tem vários modelos híbridos plug-in na sua gama, mas nunca foram propriamente acessíveis - a marca alemã vem agora preencher esse espaço com os novos Classe A e Classe B 250e EQ Power.
Se exteriormente temos apenas alguns logótipos e uma porta de abastecimento extra, por debaixo do metal temos algo de novo: o já conhecido 4 cilindros turbo de 1.3 litros desenvolvido em parceria com a Renault a debitar 160 cavalos ajudado por um motor eléctrico de 75 kW alimentado por uma bateria de 15,6 kWh. Tudo somado temos 218 cavalos e um binário de 450 Nm no eixo dianteiro via uma caixa de dupla embraiagem de 8 velocidades.



Segundo a Mercedes, os Classe A PHEV conseguem uma autonomia 100% eléctrica entre 60 a 68 quilómetros, enquanto o Classe B consegue entre 57 a 67 km graças ao maior peso e pior aerodinâmica. É capaz de acelerar dos 0 aos 100 km/h em 6,6 segundos (Classe A) ou 6,8 segundos (Classe B) e atinge os 140 km\h em modo eléctrico! Segundo a Mercedes utilizando a Wallbox de 7,4 kW é possivel a carga completa em 1 hora e 45 minutos.


Se soa familiar tem toda a razão - soa muito próximo ao BMW 225xe Active Tourer, a diferença é que a BMW tem o motor eléctrico no eixo traseiro permitindo tração integral enquanto os Mercedes são apenas de tração dianteira.


No interior o sistema multimédia MBUX recebe gráficos e informações especificas e recebe manípulos atrás do volante para variar a força da travagem regenerativa.


Walmart processa Tesla por negligencia

|0 comentários
Parece que os problemas de qualidade não se ficam pelo Model3 - a cadeia de supermercados Walmart está a processar a Tesla por negligencia que levou a repetidos incêndios nos seus painéis solares.
A Walmart exige que a Tesla (que vendeu, instalou e mantinha) os painéis solares. Até agora já houveram 7 incêndios e encontrou problemas em outras localizações.

[update]Salão automóvel de Frankfurt 2019 - antevisão

|0 comentários
A edição de 2019 do salão automóvel de Frankfurt está quase aí, alternando com o de paris, e como de costume fazemos uma antevisão que irá sendo atualizada do que estará exposto. Infelizmente muitas marcas ainda não confirmaram presença e outras já anunciaram que não vão aparecer.



Aston Martin (presença incerta)
- DBX: apresentação versão de série;



Audi
- A3: nova geração
- Q3 Sportback: variante SUV-coupé do Q3;
- e-Tron Sportback: apresentação ao público;
- A6 Allroad: apresentação ao publico
- A4: apresentação ao publico versão atualizada;
- Q7: apresentação ao publico versão atualizada;
- SQ8: apresentação ao público;



Bentley (presença não confirmada)
- Flying Spur: versão atualizada;



BMW
- Série 1: apresentação ao público da nova geração;
- X1: apresentação ao publico do restyle;
- Série 8 Gran Coupé: apresentação ao público;
- M8 Coupé e Cabriolet: apresentação ao público;
- Série 3 Touring: apresentação ao publico da versão carrinha;
- concept Vision M Next: apresentação ao público;
- X6: apresentação ao público da nova geração;
- concept Série 4 Coupé: concept realista



Cupra
- concept: concept de SUV eléctrico;



Ferrari
- SF90 Stradale: apresentação ao público;



Ford
- Puma: apresentação ao público novo modelo;
- Kuga 3:apresentação ao público nova geração;
- Explorer: apresentação ao público;



Honda
- Honda e: apresentação versão de série;



Hyundai(presença não confirmada)
- i10: nova geração;
- Kona\Kauai Hybrid: apresentação ao publico;
- i30 N project C: versão melhorada o i30N;
- concept 45: anuncia futuro do design da marca;



Kia (presença não confirmada)
- Xceed: apresentação ao público;



Land Rover (presença não confirmada)
- Defender: nova geração;



Mercedes
- GLB: apresentação ao público;
- A45 S AMG: 421 cavalos de Classe A;
- CLA 45 S AMG: 421 cavalos de Classe A elegante;
- CLA Shooting brake 45 S AMG: 421 cavalos de Classe A elegante e espaçosa;
- GLE Coupé: nova geração;
- EQS concept: concept versão EV do Classe S;
- EQV: apresentação ao público da Classe V eléctrica;
- Classe A PHEV: apresentação ao público da versão hibrida plug-in;
- Classe B PHEV: apresentação ao público da versão hibrida plug-in;



Mini
- Cooper SE: apresentação ao público versão eléctrica;
- Cooper JCW GP: um Mini para dominar todos os Mini;



Opel
- Corsa: apresentação ao público;
- Corsa-e: versão EV apresentação ao público;
- Astra: apresentação versão atualizada;
- Concept: ainda sem detalhes;



Polestar
- 1: versão de série apresentação ao público;
- 2: apresentação ao público;



Porsche
- Taycan: apresentação ao público;
- 718 Spyder: apresentação ao público;
- 718 Cayman GT4: apresentação ao público;
- Cayenne Coupé Turbo S E-Hybrid: apresentação ao público;
- 911 Turbo: versão turbo da geração 992;



Renault
- Captur 2: apresentação ao público;
- Zoe 2: apresentação ao público;



Seat
- Mii eletric: apresentação ao público;



Skoda
- Citigoe iV: apresentação ao público;
- Superb: apresentação ao publico versão atualizada;



Smart
- Fortwo: restyle para a gama 100% eléctrica;
- Forfour: restyle para a gama 100% eléctrica;



Toyota (presença não confirmada)
- Yaris: nova geração;
- Yaris SUV: nova variante;



Volkswagen
- ID.3: apresentação ao público;
- Passat: apresentação versão atualizada;
- T-Roc Cabriolet: apresentação;

Recordar o Renault 11 Electronic

|0 comentários
O Renault 11 Electronic era uma versão equipada com tecnologia de ponta para a altura e para o segmento - conjunto de instrumentos digital de cristais líquidos, sintetizador de voz e sistema audio Hi-Fi controlado por comandos no volante...sim, bons velhos tempos.


Introdução
No Renault 11 Electronic a tecnologia digital era de ponta e substitui totalmente os instrumentos tradicionais analógicos ou mecânicos - da abertura/fecho das portas por comando de infra-vermelhos, pelo conjunto de instrumentos de cristais líquidos à voz sintética que o informa sobre o que se passa com o carro - sim, foi um modelo particular e para muitos desconhecido mas anteviu muitas das tecnologias que hoje em dia estão disponíveis em quase todos os segmentos da produção em grande série - incluindo a primeira versão do que viria a ser o RDS.



O Renault 11 Electronic
Ambos desenhados por Robert Opron (também teve uma mãozinha nos Citroën GS, SM, CX, Renault Fuego e Renault 25) o Renault 11 foi lançado em Abril de 1983 como a versão 3 e 5 portas do Renault 9 (4 portas) lançado em Setembro de 1981. Além do formato exterior próprio o Renault 11 recebia um tablier especifico para integrar os equipamentos específicos das versões "Electronic" que estavam disponíveis desde o lançamento - é capaz de ter ouvido falar da pessoa que desenhou o tablier e interior: um certo Marcello Gandini.

Os Renault 11 TSE/TXE/Automatic "Electronic" foram os primeiros automóveis franceses equipados com um tablier de bordo completamente digital fornecido pela Jaeger, com síntese de voz e foi o primeiro Renault com comando satélite junto ao volante para o sistema audio e tablier - algo que a marca francesa ainda hoje mantém e mantém a melhor implementação.
O sistema de síntese de voz/voz sintética era usado para avisar o condutor de eventuais problemas (se fechou mal a porta, se precisa de mudar o óleo) e até demonstrações/apresentações em concessionário. Este sistema também foi introduzido em algumas versões do Renault 25.


O R11 Electronic recebia um sistema audio Hi-Fi da Philips com mostrador separado e com comando junto ao volante. Tinha som Dolby, era capaz do acompanhamento automático de estações radio (o RDS antes de existir o RDS), leitor de cassete auto-reverse, 6 colunas de maior qualidade que obrigou a paneis interiores de portas mais largos (dois baixos de 13 cm atrás, dois médias de 17 cm nas portas dianteiras e dois tweeters incorporados no tablier, e como a época obrigava, um equalizador completo.

Mas sejamos sinceros, a peça principal é mesmo o conjunto de instrumentos de cristais líquidos à frente do condutor - a ideia era permitir ao condutor encontrar a informação que procura no mais pequeno espaço de tempo simplificando ao máximo a informação mas mantendo o seu conteúdo com meios simples de apresentação.

Este mostrador teve algumas evoluções ao longo do tempo mas o esquema era o mesma - no visor principal tínhamos a velocidade, rotações, temperatura do motor e nível de combustível (quando liga a ignição começa pelo nível do óleo e a pedido pode mostrar a pressão do óleo) em colunas de altura variável que facilitavam a leitura.



À esquerda tinha um mostrador dedicado a testemunhos de problemas - cada um associado a uma mensagem sonora via o sistema de voz sintética para avisar o condutor.

À direita no inicio tínhamos um mostrador de fundo laranja com testemunho de aberturas de portas, mas mais tarde recebeu um computador de bordo capaz de mostrar informação vária: consumo médio e instantâneo, autonomia, combustível disponível, temperatura exterior e outros.

O comando satélite junto ao volante controlava não só o rádio como o funções do computador de bordo (comutar entre as diferentes informações), recordar/anular avisos sonoros e outras funções do automóvel.


Gama
O Renault 11 Electronic estavam disponíveis em 3 versões - TSE, TXE (o mais conhecido) e Automatic Electronic. Recebiam cores especificas (por fora e por dentro) e stripping lateral em preto. Como opções podiam receber tecto de abrir e ar condicionado.
Pelo meio houve ainda a série especial mais acessível "Renault 11 Electronic" e uma versão para o mercado norte-americano.

- TSE Electronic:
Esta versão estava disponível desde o lançamento, com o motor 1397 cm3 C2J Cléon-Fonte alimentado por um carburador duplo corpo Weber 32 DRT debitando 72 cavalos DIN.
Mantém o equipamento do Renault 11 TSE normal (vidros eléctricos, fecho centralizado, interior veludo, tapetes espessos, farois de nevoeiro, vidros coloridos entre outros) e acrescenta o tablier digital, sintetizador de voz, sistema audio hi-fi Philips, interior de veludo azul escuro e como opção podia ainda receber um limitador de velocidade Normalur.

- Automatique Electronic:
Resumidamente a versão acima mas recebe uma caixa automática, reduzindo a potencia para 68 cavalos DIN.

- TXE Electronic:
Em 1983 a Renault apresenta o novo motor F de 1721 cm3 (type F2N) com carburador de duplo corpo Weber 32 DRT para substituir o velho motor Cléon-Fonte nas versões mais potentes da gama R9/R11 com excepção dos Turbo. Com o F2N, o GTS vira o GTX, o TSE vira TXE e o TSE Electronic vira o TXE Electronic. Durante algum tempo a Renault mantém as versões GTS, TSE e TSE Electronic em paralelo com o velho motor. Assim sendo o Renault 11 TXE Electronic é, com excepção da motorização, idêntico ao TSE Electronic.

- Série limitada 11 Electronic:
Em 1985 a Renault lança uma série limitada de 4500 exemplares chamada apenas "Renault 11 Electronic" baseado no nível de equipamento mais baixo do 11 GTL mas acrescenta dos R11 TSE/TXE Electronic o tablier digital, sintetizador de voz, vidros coloridos, 2 cores especificas e tampões de rodas específicos.


- Encore Electronic:
Curiosamente o Renault 11 Electronic chegou aos Estados Unidos com o nome Renault Encore Electronic. Era uma opção do modelo normal que já existia e não um modelo independente. Recebe apenas o tablier digital - o sintetizador de voz e sistema audio Hi-Fi não chegaram lá.





Concorrência
Claro que os outros construtores não quiseram ficar para atrás no que pensaram ser o futuro e lançaram modelos equipados com alguns destes sistemas, mas nenhum com tanto empenho e a fundo como a Renault.

A Citroën apresentou em 1985 o Citroën BX Digit que combinava o nível de acabamento do BX 16 TRS com o motor de 105 cavalos do BX 19 GT com equipamento especifico para boa medida.
Interior de veludo especifico, inscrição "Digit" na tampa do cinzeiro, vidros eléctricos nas 4 portas, um conjunto de instrumentos digital com os velocímetro numérico, conta-rotações com barras digitais horizontais no topo, e barras laterais na perspectiva da estrada que avançam com a subida da velocidade, aviso sonoro de faróis ligados, fecho automático com comando à distância, radio cassette Hi-Fi Pioneer (som Dolby, 6 memórias de estações de rádio, equalizador, 5 colunas) e computador de bordo (que permitia calculo do consumo médio, consumo instantâneo, velocidade média, distancia percorrida, distancia por percorrer, pontos intermédios definíveis com aviso de aproximação e outras funções).






A Volkswagen disponibilizou o Golf II Match GTI 16v de série com um conjunto de instrumentos digitais chamado Digifiz - o mesmo sistema era opcional no GTI 8v.




Na Opel os Kadett E GSi, Vectra B e Senator (respectivamente abaixo) chegaram a receber, como opção, um conjunto de instrumentos digitais.



Até os italianos resolveram tentar a sua sorte. A Lancia foi a primeira com o concept Megagamma de 1978 e mais tarde comercializou o Lancia Dedra com a opção de tablier "Opto-Electronique".





E quem não podia esquecer o tablier digital incluído no pequeno Fiat Uno?! Aqui o do Turbo ie.

Por ultimo os Fiat Tipo/Tempra Eletronic - confesso que tentei convencer o meu pai a comprar um destes quando saiu...sem grande sucesso.





Concluindo
Esta tecnologia não teve grande sucesso - lançado em 1983 o Renault 11 Electronic acabou naquela geração no final de 1986 sem qualquer continuidade, mas porque veio antes da altura certa - "Avantime" se me permitem a ousadia. 

Este modelo de grande série acessível estreou tecnologia que hoje em dia quase todos os automóveis têm uma evolução: dos LCDs para os TFT-LCD tacteis, da voz sintética de 8 bits limitada a algumas mensagens para assistentes digitais como a Alexa, do sistema Hi-Fi Dolby para o DAB digital. O hoje é a norma, o Renault 11 Electronic estreou.