[update]Novo Nissan Qashqai apresentado

|0 comentários
O novo Nissan Qashqai chegou - a terceira e completamente nova geração do automóvel que mais vê quando sai à rua. Novo design, plataforma e nova tecnologia incluindo uma motorização inovadora. Mas a primeira geração foi pioneira o Qashqai tem agora uma longa lista (acho que 30) de rivais - a nova geração será capaz de recuperar o trono do segmento? Cuidado Volkswagen Tiguan!
Exteriormente o perfil é semelhante e o designe é mais evolução que revolução - mas como disse acima porque mudar uma receita vencedora: tente sair à rua a qualquer hora e não ver um Qashqai passar. Temos novos faróis LED unidos por uma nova grelha semelhante ao do Juke, o capot é mais liso e até aprece tirado da Renault Espace, para-choques mais largos com entradas de ar verticais triangulares que lhe dão uma ar mais largo e largo.





De perfil nota-se que as arestas da geração anterior deram lugar a curvas - gosto do pormenor da curva que une/liga os faróis traseiros à pega das portas traseiras. A traseira mudou menos - mais suave e consensual, com faróis mais finos...e não sei porque mas recorda-me a traseiro do Lexus UX ou Toyota Rav4.

O novo Qashqai recebe novas possibilidades de personalização com 16 combinações de cores, com 5 delas com 2 tons - nestas o tejadilho pode ser em preto ou cinzento.
No interior tudo mudou - um tablier clássico mas moderno recebe conjunto de instrumentos digital com 12,3 polegadas, sistema multimédia compatível com Android Auto e Apple CarPlay com um ecrã táctil de 9 polegadas, updates via internet, um head-up display de 10,8 polegadas, router wifi para 7 dispositivos, carregamento sem fios de smartphones, assentos com massagem, portas USB A e C, e muito mais. Confesso que esperava algo mais especial como o algo semelhante com o Ayria.
Recebe também sons internos criados pelo editora de videojogos Bandai Namco - o que é ótimo porque sempre quis os sons de PacMan no meu automóvel. Mais útil é o sistema semi-autonomo ProPilot capaz de gerir filas de transito, limite automático de velocidade e travagem automática.


Graças à mudança da plataforma, o novo Qashqai é também mais espaçoso: espaço para as pernas aumenta 2,8 centímetros, mais 1,5 centímetros de altura disponível e uma mala maior.

O Qashqai é o primeiro modelo europeu da Nissan baseado na nova plataforma CMF-C da Renault-Nissan-Mitsubishi (já usada nos Renault Mégane, Scénic ou Talisman) e há poucas mudanças nas dimensões relativamente ao modelo anterior: é 3,5 centímetros mais comprido (se bem que 2 centímetros vão para a distancia entre eixos), é 3,2 centímetros mais largo, 1 centímetro mais alto, a capacidade da mala cresce 50 litros (504 litros total) e é 60 quilogramas mais leve.

Debaixo do capot estará terá 2 versões do 4 cilindros turbo de 1.3 litros a gasolina da Renault (também usado na Mercedes) com um sistema micro-híbrido de 12 volts disponível com 140 (apenas disponível com tração dianteira e caixa manual de 6 velocidades) e 158 cavalos (apenas a versão de 158 cavalos terá a opção de caixa CVT e tração integral). A versão de tração integral recebe de série caixa de velocidades CVT, jantes de 20 polegadas e um eixo traseiro multibraços enquanto as seguintes versões recebem um sistema semirrígido.

Como já abordei antes não há versão diesel - o que a substitui é uma versão hibrida em paralelo denominada e-Power: basicamente tem um 3 cilindros turbo de compressão variável de 1.5 litros a debitar 157 cavalos que funciona apenas como gerador de eletricidade não estando ligado às rodas. Este motor gera eletricidade que é armazenada numa bateria (que também é recarregada pela travagem regenerativa) que alimenta o motor elétrico que move o novo Qashqai - infelizmente para já não há dados oficiais sobre os consumos desta versão que só deve chegar em 2022.

Durante o lançamento poderá optar pela versão Premiere Edition que recebe conjunto de instrumentos digital, sistema multimédia com o ecrã de 9 polegadas, head-up display, faróis Matrix LED, tejadilho de vidro panorâmico e pintura de 2 tons a um preço mais acessível.
update 04-03-2021

Toyota RAV4 sob investigação de incêndios

|0 comentários
A National Highway Traffic Safety Administration (NHTSA) abriu uma investigação a 1,9 milhões de Toyota RAV4 devido a risco de incêndio depois de 11 incidentes nos EUA.

Esta investigação cobre modelos de 2013 a 2018 do RAV4 e em todos eles parece que o problema vem da bateria de 12 volts ou da área da bateria. A NHTSA refere que nos 11 casos instalação incorreta da bateria ou a reparação de danos de um embate dianteiro mas mesmo com estes fatores o numero de incêndios continua a ser muito elevado.

[update]Hyundai Bayon apresentado

|0 comentários
Mais um dia, mais um SUV - desta vez é o novo Hyundai Bayon que pretende estragar a festa aos Ford Puma, Nissan Juke, Opel Mokka, Peugeot 2008 e Renault Captur, substituindo o anterior ix20. E desta vez pensaram bem no nome antes do apresentar...
É um pequeno SUV baseado no atual Hyundai i20 desenhado especificamente para a Europa com muitos dos detalhes visuais que já conhecemos como os faróis divididos como no Kauai e uma traseira bastante trabalhada com bastante superfície vidrada que flui bem com o opcional tejadilho em preto.



No interior temos o mesmo arranjo do i20 - gosto do pormenor das saídas de ventilação que parecem gelras.




Sendo baseado no i20 a distancia entre eixos é igual (2,58 m) mas é 14 centímetros mais comprido (4,18 metros), 3 centímetros mais largo (1,76 metros) e mais alto em 4 centímetros (1,49 metros) principalmente graças à maior distancia ao solo (18,3 centímetros). A bagageira é também maior em 59 litros para 411 litros). Aproveitando a conversa das medidas um pormenor que não percebo é que este Bayon tem quase o mesmo comprimento que o Kauai - 4,18 metros de comprimento contra 4,17 metros do Kauai. Verdade que este novo modelo pelos vistos não terá mecânica hibrida ou ligeira mas mesmo assim irá certamente roubar clientes a outro modelo da marca...

Como disse acima debaixo do capot vão estar os mesmos motores a gasolina do i20 - o 1.2 litros atmosférico de 84 cavalos e o 1.0 litro turbo hibrido ligeiro de 48 volts e injeção direta com 100 ou 120 cavalos podendo escolher entre uma caixa de dupla embraiagem de 7 velocidades ou mecânica "inteligente" de 6 velocidades com função de rev matching em modo Sport.



update de 20-01-2021
Mais imagens teaser do próximo SUV da marca coreana - o Hyundai Bayon. Dá para perceber que a frente segue um design semelhante ao do Kauai e Nexo, com uma grande abertura de ar, faróis separados com luzes diurnas finas.





Post original 25-11-2021
A Hyundai anunciou que tem mais um SUV a caminho e espero que desta vez se tenham dado ao trabalho de ver se "Bayon" significa algo..."desconfortável".
A Hyundai apresentou apenas esta imagem do Bayon (derivado do nome da cidade francesa de Bayonne) que deverá ficar abaixo do Kauai. Será derivado do atual Hyundai i20 substituindo a variante i20 Active o que significa apenas tração dianteira e motores a gasolina. O Bayon só será lançado na segunda metade de 2021 portanto ainda podemos esperar (infelizmente) uma longa campanha de teasing...

[update]Renault 5 regressa em 2023

|0 comentários
Inicialmente um rumor, agora confirmado - o Renault 5 vai voltar como um elétrico e durante a apresentação do plano de recuperação da Renault "Renaulution" um concept retromoderno foi apresentado: este é Renault 5 Prototype, um reinterpretação do R5 e Super 5. E tal como o recente Honda E este Renault 5 vai ser produzido - só falta saber se será diluido até à produção em 2023.
E tal como o Honda E e o Fiat 500e, os designers da Renault assaltaram os arquivos da marca francesa para criar um elétrico capaz de cativar mentes e corações: faróis dianteiros retangulares, grelha dianteira (falsa), a admissão de ar no capot (agora serve para esconder a tomada de carregamento), tem os mesmos faróis de nevoeiro (mas aqui são as luzes diurnas), banda luminosa atrás a unir os faróis e diversos dísticos a identificar o modelo mas principalmente uma versão moderna do losango Vasarely que o R5 original estreou.



Há a questão onde é que este novo R5 ficará na gama - a Renault já tem o Twingo Eletric e o ZOE. Como a Renault não deu dimensões é impossível saber qual irá substituir ou talvez quem sabe substitua os dois! Durante a apresentação houve um slide que indicava que a Renault não planeia introduzir um novo modelo no segmento A/citadinos onde está o Twingo e há 2 modelos 100% elétricos previstos para segmento B onde está o ZOE que já conta com 8 anos de vida.



update 04-03-2021

Toyota Yaris Automóvel do Ano 2021

|0 comentários
O Toyota Yaris é o vencedor da edição 2021 do trofeu Automóvel Europeu do Ano e junta-se ao grupo restrito de modelos que venceram duas vezes este trofeu - o Renault Clio em 1991 e 2006, e o Volkswagen Golf em 1992 e 2013. A primeira geração do Toyota Yaris (eu tive dois destes) venceu a edição de 2000 do COTY.

A classificação final ficou assim:
    1º Toyota Yaris 266 pontos
    2º Fiat 500e 240 pontos
    3º Cupra Formentor 239 pontos
    4º Volkswagen ID.3 224 pontos
    5º Skoda Octavia 199 pontos
    6º Land Rover Defender 164 pontos
    7º Citroën C4 143 pontos
O Yaris acabou bem à frente mas como podemos ver a corrida pelo 2º lugar do pódio foi apertada entre o Fiat 500e e o Cupra Formentor com apenas um ponto de diferença.

Volvo despede concessionários em 2030?!

|0 comentários
Além de apresentar o novo C40 Recharge a Volvo fez um anuncio interessante - os Volvo 100% elétricos só vão estar disponiveis por encomenda online mas como podemos ler a marca sueca quer ser 100% elétrica em 2030...ou seja vão despedir todo o pessoal das vendas nos concessionários?!

Não é só isso - se vão passar todas as vendas para online para que servem todos aqueles concessionários bonitos em localizações privilegiadas que permitem serem vistos pelos consumidores? Se é só para prepararem e entregarem os carros novos aos consumidores e fazer a assistência técnica um barracão qualquer numa área industrial perdida no meio de nenhures é muito mais barato e serve perfeitamente. Quem irá compensar os investimentos imobiliários dos concessionários?

E continuo com a minha questão sobre a apresentação do novo Volvo C40 Recharge: para que é que serve a Polestar se vão dar um modelo 100% elétrico desportivo à Volvo quando por definição devia ir para a Polestar?! Sou só eu a achar que os Suecos não sabem o que fazer mais e simplesmente vão inventando à medida que o tempo passa?

Novo Volvo C40 Recharge apresentado

|0 comentários
A Volvo apresentou o seu segundo modelo 100% elétrico e regressa os modelos "C" depois dos C30 e C70 - este é o novo Volvo C40 Recharge, a versão coupé do actual XC40. Mas é também uma pergunta - sendo um coupé/desportivo 100% elétrico então para que é que serve a Polestar?!

Em termos de design exterior não há surpresas - do pilar central B até à grelha dianteira não há diferenças para o XC40 elétrico exceto os faróis dianteiros LED tipo matrix. Apartir do pilar B o perfil do tejadilho começa a descer criando uma linha mais dinâmica que termina em faróis traseiros específicos depois de passar por um pequeno mas muito bem desenhado aileron. Gosto do pormenor de como o vidro traseiro encaixa com o tejadilho preto neste modelo apresentado.


No interior absolutamente nenhuma diferença relativamente o XC40 Recharge, tirando o espaço disponível para os passageiros traseiros - que a Volvo não comunicou.

Mecanicamente também não há novidades recebendo a mesma motorização do XC40 Recharge P8 - 2 motores elétricos alimentados por uma bateria de 78 kWh a desenvolver um total de 408 cavalos e 660 Nm de binário. A autonomia é também a mesma: 420 quilómetros WLTP.


As vendas arrancam no outono mas não vale a pena ir ao concessionário porque as vendas dos Volvo 100% elétricos só vão podem ser comprados online.

[update video]Mercedes-AMG Project One apresentado

|0 comentários
Gostaria antes de mais de viajar no tempo para o passado, para 1995 para ser exacto. Este foi o ano em que o Ferrari F50 foi apresentado, um carro desenvolvido com 1 linha mestra - ser um Formula 1 para a estrada. E tal seguiram essa directriz que o V12 de 4.7 litros que usava era derivado directamente do V12 de 3.5 litros usado no Ferrari 641 de Formula 1. Viajamos novamente no tempo para ontem, dia 11 de Novembro, em que voltamos a ter uma aplicação da tecnologia da Formula 1 para um automóvel de estrada - a mesma directriz passados 22 anos, este é o Mercedes-AMG Project One!


Debaixo do capot em posição central está uma versão do mesmo V6 de 1.6 litros turbo usado nos Mercedes de Formula 1 capaz de atingir 11.000 rpm - estamos a falar de 600 cavalos de um motor de 1.6 litros! Infelizmente tem um custo - uma revisão completa do motor a cada 50.000 quilómetros. O que não é assim tão mau quando levamos em conta que os motores de Formula 1 costumam durar 4 corridas...

Alem do motor a combustão, há outros motores um pouco por todo o lado - recebe um turbo assistido por um motor eléctrico de 80kW capaz de girar o turbo a umas incríveis 100.000 rpm, um motor eléctrico de 120 kW/163 cavalos na cambota do V6 e 2 outros motores eléctricos de 120 kW/163 cavalos um para cada roda dianteira e cada um com a sua caixa de velocidades permitindo torque vectoring. Mantendo o tema F1, tem um sistema KERS de recuperação de energia via os motores dianteiros para carregar a bateria.
A motorização completa precisa de 5 circuitos diferentes de arrefecimento - admissão de ar, motor de combustão, motores eléctricos, baterias e transmissão todos precisam do seu sistema independente! Mais valia montar uma chaminé de uma central nuclear em cima do carro! E conseguem imaginar o trabalho que deve ter sido necessário para colocar tudo isto a funcionar em sintonia?!

Tudo somado e temos mais de 1000 cavalos distribuídos pelas 4 rodas (também direccionais!)pela caixa mecânica robotizada de 8 velocidades e mesmo assim capaz de 25 quilómetros de autonomia 100% eléctrica - se contarmos com o overboost temos mais de 1140 cavalos. Segundo a Mercedes pesa aproximadamente 1200 quilogramas o que significa que os 100km\h chegam em menos de 3 segundos, os 200 km\h em 6 segundos e atingir mais de 350 km\h de velocidade máxima - para todos os efeitos, as credenciais de um hiper-carro.
A aerodinâmica é activa à frente e atrás, inspirada nos LMP1 das 24 Horas de Le Mans. Por debaixo temos uma plataforma de aço num chassis monocoque de fibra de carbono, com suspensões tipo F1 suportadas directamente no motor atrás e à frente numa subestrutura. Os discos de travagem são em carbo-cerâmica assistidos por ABS e ESP.

No interior, tal como num Formula 1 os assentos são fixos, os pedais e direção são ajustaveis.

Para todos os efeitos este ainda é um concept car, não a versão final.


update 03-03-2021

[update]Novos Ford Bronco e Bronco Sport apresentados

|0 comentários
Depois de anos, décadas de esperanças furadas um dos grandes nomes do automobilismo norte-americano está de volta - o novo Ford Bronco acabou de ser apresentado. Estará disponível como um todo-terreno puro e duro com 3 e 5 portas, e ainda uma versão civilizada designada Bronco Sport - basicamente o que a GM fez com o Hummer H1 e o H2. Infelizmente para os europeus é pouco provável que venha para a Europa, pelo menos de forma oficial.


E sim, mais uma referência equestre na Ford, se o Mustang é o desportivo o Bronco é o nome de um cavalos muito temperamentais que provavelmente já viu naqueles vídeos de rodeos americanos com o cavalo aos pulos a tentar atirar o cavaleiro ao chão - trata-se de um todo terreno puro e duro que procura rivalizar com os Jeep Wrangler, Mercedes Classe G ou Land Rover Defender, que como podemos ver apostou tudo num estilo retro com luzes redondas, painéis de carroçaria planos, longa distancia ao solo (28 centímetros) que com a suspensão de eixo rígido e óptimos ângulos de ataque promete trepar todos os caminhos de cabras.

O Ford Bronco está disponível com 3 e 5 portas, que podem ser amovíveis (tal como o tejadilho) tal como o seu direto competidor Wrangler. Debaixo do capot terá 4 cilindros de 2.3 litros EcoBoost (dos Focus ST e Mustang) com 270 cavalos e o V6 de 2.7 litros EcoBoost com 310 cavalos, ambos acoplados a uma caixa manual de 7 velocidades com uma 1ª ultra curta ou um automática de 10 velocidades.



Voltando à metáfora do Hummer, se o Bronco é o H1 então o Bronco Sport é o H2, porque apesar do aspeto exterior é baseado no Kuga, o Bronco mais adaptado à estrada do que ao se esconde fora dela.
Para tentar captar o máximo de publico possível a Ford criou, com base no Kuga, o Bronco Sport mais civilizado na estrada mas com o estilo retro do parente puro e duro. Tem basicamente o mesmo tablier e terá debaixo do capot os 4 cilindros de 1.5 litros EcoBoost de 181 cavalos e o 2.0 litros EcoBoost de 245 cavalos já conhecido do Kuga ambos acoplados a uma caixa automática de 8 velocidades e possibilidade de tração integral.



update 03-03-2021