Seat Arona e Ibiza com novo motor a gasolina

|0 comentários
Os Seat Arona e Ibiza passam a estar disponiveis com o motor 1.5 litros TSI de 150 cavalos a gasolina.
Até agora o Seat Arona e Ibiza ficavam-se pelos 115 cavalos do 3 cilindros 1 litro TSI a gasolina , mas agora pode ter uma versão com o 1.5 litros turbo de 150 cavalos acoplado à caixa de dupla embraiagem DSG de 7 velocidades para apimentar a condução - ambos aceleram dos 0 aos 100km\h em pouco mais de 8 segundos e atingem os 220 km\h.

Audi Q5 recebe novo motor a gasolina

|0 comentários
Recentemente atualizado o Audi Q5 recebe um novo motor a gasolina para as versões S Line e Avus.
Até agora só podia ter o novo Q5 nas versões 40 TDI de 204 cavalos e 35 TDI de 163 cavalos, agora poderá ter o 45 TFSI com 265 cavalos e 370 Nm de binário para acelerar um pouco mais depressa (0 aos 100 km/h em 6,1 segundos) até ao para-choques do carro à sua frente. Este 45 TFSI está apenas disponível com sistema hibrido ligeiro, caixa de velocidades S tronic e tração integral quattro.

Renault Koleos recebe novo motor a gasolina

|0 comentários
O diesel continua a perder oferta e se antes o Renault Koleos apenas estava disponível com motores diesel depois do restyle o Koleos recebe agora um 4 cilindros a gasolina TCe debaixo do capot.
O Renault Koleos TCe 160 debita 160 cavalos e estará apenas disponivel com a caixa de dupla embraiagem EDC sendo capaz de acelerar dos 0 aos 100 km/h em 7,5 segundos.

Novos BMW M3 e M4 Competition apresentados

|0 comentários
Depois das primeiras fotos surgirem online eis que a BMW apresenta os novos M3 G20 e M4 G22 na variante Competition com 510 cavalos e um visual que é capaz de fazer muitos torcer o nariz.



Eu sei que gostos não se discutem mas também é impossível não falar daquela grelha dianteira - definitivamente vieram para ficar e é divisiva e admito ousada. Vai precisar de mais que um logo M para tentar enganar o pessoal. Descrição e subtilidade definitivamente saíram pela janela e a frente é uma coleção de aberturas de ventilação e guelras muito agressivas. 


Vias e para-lamas alargados e 4 saídas de escape bem gordas completam o pacote. O tejadilho pode ser de vidro ou em fibra de carbono - opção gratuita.



Tirando o numero de portas a outra grande diferença está nas luzes traseiras, com os BMW M3 e M4 a receberem os faróis traseiros dos Série 3 et Série 4 respetivamente. O M4 terá direito a uma versão descapotável mas o M3 terá uma versão carrinha mais adiante.

O interior é idêntico nestes modelos, com um volante específico com comandos da caixa de velocidades atrás do volante e 2 botões vermelhos M1 e M2 para aceder rapidamente a configurações de especificas de condução registadas via o sistema multimédia, assentos desportivos e múltiplas aplicações em carbono.



Mecanicamente falando estas versões Competition têm debaixo do capot tem o 6 cilindros em linha biturbo S58 de 510 cavalos às 6.250 rpm e 650 Nm de binário disponiveis às 2.750 rpm (um grande salto relativamente aos 431 cavalos dos anteriores M3/M4 e 450 dos M3/M4 Competition) - (infelizmente) os novos M3 e M4 vão estar apenas disponiveis com uma caixa automática de 8 velocidades. 

E se o novo visual não for suficiente para chamar à atenção esta nova geração recebe um escape especifico com borboletas controladas eletronicamente para garantir que todos o ouvem chegar.
Toda esta potência pode ser colocada na estrada (é opcional) pela tração integral M xDrive do BMW M5 Competition com 3 modos de funcionamento: 4WD e 4WD Sport que distribuem a potencia automaticamente pelos 2 eixos, e 2WD que envia toda a potencia para trás. De série a tração é apenas traseira via um diferencial eletrónico. A rigidez estrutural foi reforçada e recebe uma suspensão pilotada especificamente calibrada, mas para os que quiserem ir um pouco mais longe podem escolher o pack opcional M Drive Professional que inclui anti derrapagem com 10 regulações e os M Drift Analyser e M Laptimer.


Com o mesmo comprimento (4,79 metros) mas apenas 5 quilogramas de diferença no peso (1.730 quilogramas para o M3 e 1725 quilogramas para o M4) as performances são idênticas - 0 aos 100 km/h em 3,9 segundos e atinge os 200 km/h em 12,5 segundos. Mas se for para o pack opcional M Race Track recebe assentos em carbono, jantes de forjadas de 18 a 20 polegadas calçadas com pneus quase slicks e discos de travão em carbo-ceramica - tudo para cortar 25 quilogramas ao peso melhorando ligeiramente estes números.

[update]Alfa Romeo Giulia GTA e GTAm apresentados

|0 comentários
Ao ler isto não conseguem ver que estou verdadeiramente excitado mas ESTOU - depois de alguns rumores e imagens crípticas ontem temos confirmação que ira haver um Alfa Romeo Giulia GTA e uma versão ainda mais extrema GTAm! Estão a ver os Ferrari GTO? Os Alfa Romeo GTA são a mesma coisa!! Ok eu para com os "!!!"...

Se não me engano o ultimo Alfa Romeo GTA foi o 156 GTA de 1999/2000 que nunca teve um sucessor digno - a Alfa Romeo recuperou essa formula mágica do passado e adicionou alguns cavalos (a parte do GT) e tirou algum peso (a parte do A de alleggerita) ao Alfa Romeo Giulia Quadrifoglio produzindo 2 modelos: o GTA e o GTAm.

Vou começar com o Giulia GTAm ou "modificata" porque é o que mais anima a criança em mim - apesar de ambos serem GTA o GTAm é o único que na verdade perde peso, cerca de 100 quilogramas relativamente ao Quadrifoglio principalmente graças a fibra de carbono usada na carroçaria e alumínio nas portas e elementos da suspensão.


Recebe um aileron roubado aparentemente a um Civic Type R ou até ao WRX STI, para-choques dianteiro capaz de engolir todos os gatinhos da rua graças ao enorme spliter dianteiro, extrator traseiro em carbono, janelas em Lexan, assentos em fibra de carbono, cintos de segurança de 6 pontos, roll-cage, jantes de 20 polegadas de porca central, vias alargadas em 50 milímetros bem como novos amortecedores e molas e perde os assentos traseiros e as forras das portas. O assento traseiro foi substituído por uma peça que permitirá guardar o capacete e tracksuit...que recebe com o seu GTAm - recebe um capacete Bell especifico para o GTA, e Alpinestars fornece o fato, luva e sapatos.

Já a versão GTA perde algum peso mas tão pouco que os italianos nem dizem quanto - usa os mesmo painéis, assentos e janelas do Giulia Quadrifoglio mas com um um visual menos agressivo que o GTAm e tem apenas um pequeno aileron atrás e não aquela grande asa do GTAm. Mesmo assim tem um para-choques dianteiros agressivo, difusor traseiro em carbono especifico e escape em titânio de dupla saída central da Akrapovic. No interior recebe uma boa dose de Alcantara desde o tablier até ao porta-luvas.

Se o GTAm é mais para a pista, o GTA é mais para a estrada...mas ambos são legais para a estrada!

Debaixo do capot de ambos está o maravilhoso V6 biturbo de 2,9 litros - na versão GTAm ganha 30 cavalos passando a debitar 540 cavalos o que permite acelerar dos 0 aos 100 km/h em apenas 3,6 segundos. Se quer um é melhor correr porque apenas vão ser produzidas 500 unidades destes modelos para celebrar os 110 anos da Alfa Romeo.


update 23-09-2020

[update]Novo Opel Mokka apresentado

|0 comentários
Enquanto todos dormíamos a Opel apresentou o seu novo Opel Mokka, a segunda geração do crossover com um novo design bastante audaz (se me é permitido a audacidade da palavra) aqui apresentado na versão 100% eléctrica (assim indicada pela cor verde) e perde o "X"pelo caminho.

Exteriormente é definitivamente mais expressivo e chamativo - especialmente de frente, o que a Opel chama de "Vizor": cria um rebordo que liga as luzes diurnas LED em asa invertida e os faróis matrix LED num fundo preto brilhante. Esta frente deverá surgir nos futuros modelos da Opel - boas noticias definitivamente.


Recebe uma barra cromada que separa o tejadilho da área vidrada lateral e estende-se até à traseira ligando mas não tocando os faróis traseiros LED que têm a mesma forma das luzes diurnas dianteiras criando uma continuidade por todo o automóvel. Os faróis são LED de série á frente e atrás, opcionalmente podem ser do tipo Matrix à frente.


Além do X este novo Mokka também perdeu alguns centímetros e quilogramas - é 12,5 centímetros mais pequeno mas como a redução é principalmente graças às extremidades mais curtas (em 6,1 centímetros à frente e 6,6 centímetros atrás) e uma distancia entre eixos ligeiramente aumentada (2 milímetros) e a largura aumentada em 10 milímetros a Opel diz que o espaço interior não foi afetado. Graças à plataforma CMP Common Modular Platform é também 120 quilogramas mais leve.

No interior o novo Opel Mokka recebe o novo Pure Panel que, tal como o Vizor, deverá surgir nos futuros modelos da marca - um conjunto de instrumentos e sistema multimédia em curva muito ao estilo do usado pela Mercedes. O conjunto de instrumentos digital é de 12 polegadas e o sistema multimédia pode ter um ecrã tactil de 7 ou 10 polegadas compatível com Apple CarPlay e Android Auto.

Não há muitos botões no interior, mas mantêm-se os mais importantes como os do sistema de ar condicionado e travão eléctrico. Recebe ainda uma camara traseira panorâmica, cruise control activo ACC capaz de lidar com filas de trânsito, manutenção de faixa de rodagem Active Lane Positioning, leitura de sinalização de transito e outros sistemas.

Mecanicamente este novo Opel Mokka é o segundo modelo baseado na plataforma CMP (Common Modular Platform) da PSA, um sistema mais leve e eficiente que permite não só mecânicas clássicas como 100% eléctricas e maior rigidez torsional: melhorias que devem permitir um melhor comportamento na estrada.
Aqui apresentado na versão 100% eléctrica Mokka-e tem um motor eléctrico de 100 kW e 260 Nm de binário alimentado por uma bateria de 50 kWh (que pode ser carregada em pontos de carga rápida de 100 kW DC) permitindo uma autonomia WLTP de 322 quilómetros - pode ser ligeiramente maior no modo Eco. Está porém limitado a uma velocidade máxima de 150 km/h.
Também terá motores gasolina de 3 cilindros e diesel de 4 cilindros mas mais adiante e a Opel não deu detalhes destas motorizações - vendas da versão eléctrica Mokka-e arrancam já no final do verão.

update 23-09-2020

[update]Opel Mokka GS Line apresentado

|0 comentários
Depois da versão 100% eléctrica Mokka-e a Opel apresenta as versões com motor de combustão interno do Opel Moka, começando pela versão GS Line.

A boa noticia é que tirando a presença de escapes atrás e dos logótipos "e" as versões "clássicas" são exactamente iguais à eléctrica. Nesta versão GS Line recebe porém alguns detalhes mais desportivos - o friso dianteiro do Vizor é em preto brilhante, jantes em preto, tejadilho em 2 tons, elementos de carroçaria em preto ao invés de cromado.




E no interior a mesma coisa mantendo o Pure Panel esticado na horizontal pela maioria do tablier. O Mokka GS line recebe um tecido especifico nos assentos dianteiros, tecido preto no tejadilho e alguns acabamentos em vermelho.



Debaixo do capot vamos ter dois motores a gasolina (o 1,2 litros Puretech com 130 cavalos/230 Nm de binário e 100 cavalos/205 Nm de binário) e um diesel (o 1.5 litros 110 cavalos/250 Nm de binário). O motor diesel e gasolina mais fraca estão apenas disponiveis com caixa manual de 6 velocidades enquanto a versão a gasolina mais potente pode ter em opção uma caixa automática de 8 velocidades.



update 23-09-2020

[update]Volkswagen ID.4 - está quase aí

|0 comentários
A apresentação oficial do Volkswagen ID.4 é amanhã, mas antes do evento a marca alemã resolveu publicar alguns últimos teasers para o pessoal.



update de 04-09-2020
A Volkswagen apresentou as primeiras imagens do interior do seu SUV 100% elétrico ID.4 - e é basicamente uma evolução do tablier do ID.3, tirando os ventiladores e a forma como integraram o ecrã multimédia no tablier.






update de 07-08-2020
Enquanto esperamos que a Volkswagen apresente o ID.4 (provavelmente depois de começarem a entregar os ID.3 aos clientes) a marca alemã já expôs o modelo acabado ainda camuflado em público e deu mais alguns pormenores adicionais.


Terá 4,60 metros de comprimento, mais 34 centímetros que o ID.3, uma mala com 585 litros e será capaz de rebocar mais de uma tonelada de peso - se tem uma caravana já sabe. Terá as mesmas motorizações do ID.3 - a primeira versão terá o motor de 150 kW/204 cavalos no eixo traseiro com opções de bateria de 58 e 77 kWh permitindo uma autonomia que pode ir até aos 500km. Mais adiante chegará a versão com o motor dianteiro de 75 kW permitindo tração integral e uma potência acumulada de 225 kW/306 cavalos.

update de 10-03-2020


Post original
A Volkswagen confirmou não só a designação ID.4 para o segundo modelo da sua gama 100% eléctrica como publicou estas imagens do modelo (segundo a VW) "quase de série".


Como anunciado pelo concept ID Crozz é um suv baseado na plataforma MEB e é uma evolução do mais pequeno ID.3 - por dentro e por fora, se bem que parece menos...único e futurista. Sobre a mecânica os alemães nada dizem - apenas confirmaram que a versão com maior bateria será capaz de uma autonomia WLTP de 500 quilómetros.