Airbags Takata matam condutor de BMW

|0 comentários
Quando pensava que iríamos deixar de ouvir de fatalidades por causa dos airbags da Takata...voltamos a ter mais uma desta vez um condutor de um BMW na Austrália e mais 2 feridos, um deles no Chipre. Esta fatalidade iniciou a recolha de mais 1,4 milhões de automóveis nos EUA a já maior recolha automóvel da história.
Sei que esta noticia é referente aos EUA, mas estes airbags chegaram também a Europa e portugal via outras marcas e ainda este ano decorreram acções de recolha - o que significa que veículos ainda circulam com estas bombas relógio viradas para os condutores e ocupantes.

Segundo o site da National Highway Traffic Safety Administration esta recolha diz respeito a componentes produzidos pela Takata de 1995 a 1999 vendidos à BMW, Audi, Toyota, Honda e Mitsubishi num total de 1,4 milhões de automóveis.

A BMW diz que tem que recolher nos EUA 116.000 unidades, a Mitsubishi já identificou o Montero (nosso Pajero) como o único modelo afectado e os restantes construtores ainda estão a tentar determinar que modelos são afetados.

Fiabilidade Opel Crossland X

|0 comentários
Devido a um problema de software a Opel está a recolher os Crossland X porque podem causar emissões de óxidos de azoto acima dos limites legais.
Segundo a nota EU A12/1676/19 e o código interno 19-C-090 (E191901510) nos Opel Crossland X com o motor D12XE (RPO codes LEZ; EC type: e4*2007/46*1194*05, e4*2007/46*1194*06, e4*2007/46*1194*07) de 2018 a 2019 devido a um problema de software o controlo da relação ar/combustível pode não ser preciso o suficiente causando emissões de óxidos de azoto acima dos valores legais.

Caixas de velocidades defeituosas Ford - mais detalhes

|0 comentários
Em Agosto escrevi sobre um artigo de investigação do jornal Detroit Free Press em que descobriu que a Ford não só sabiam que as caixas de dupla embraiagem DSP6 que equipam os Ford Fiesta e Focus eram defeituosas, fizeram tudo para ocultar o problema e continuaram a vendê-las enquanto tentavam reparar o problema. Com esta exposição a Ford viu-se obrigada a alargar garantias e suportar custos de reparações destas transmissões - mas o jornal continuou a investigar este assunto e conseguiu entrevistar funcionários da Ford envolvidos nesta situação.
O artigo é longo e infelizmente só é possível ler via uma proxy nos EUA - podem ir a este site e escolher um servidor nos EUA e basta colarem a morada do artigo. Resumindo, o jornal apresenta entrevista que confirmam que a Ford colocou lucros à frente da qualidade de produto - muitos sabiam dos problemas mas ninguém ousou descartar a caixa depois devido ao dinheiro já enterrado no desenvolvimento. E como quer a Ford e a autoridade federal concluíram que a caixa funciona o suficiente para não ser perigosa não há obrigatoriedade de recolha - o que obrigou a milhares de proprietários a terem que processar a Ford nos tribunais.


Citando diretamente do Detroit Free Press:"At the root of the problem was Ford’s decision to use dry clutch technology for the transmission. The guts of a dual-clutch transmission are more like a manual than a conventional automatic transmission, but the driver does not have to shift gears. These transmissions can improve fuel economy and weigh less than a conventional automatic — and also are less expensive to build."
Traduzindo: a origem dos problemas está na decisão da Ford de usar a tecnologia de embraiagem seca para a caixa DSP6 (nota: há 2 tipos de caixa de dupla embraiagem: de embraiagem seca sem lubrificação e de embraiagem molhada com lubrificação). A mecânica de uma caixa de dupla embraiagem é mais próxima de uma manual do que de uma automática, mas permite que o condutor não tenha que mudar manualmente as velocidades. Estas transmissões podem melhorar os consumos, pesam menos que uma automática e são mais baratas de fabricar.


Citando diretamente engenheiro entrevistado pelo Detroit Free Press: “What in the world are you thinking going with a dry clutch? The friction coefficient is inconsistent and it creates problems. But this was someone’s baby. If a manager came up with an idea, people would be afraid to say no. At first, it was just on paper. Someone should have said something. They should have. The idea should’ve been killed. No one knew how it was even considered — and then implemented — in the Focus and Fiesta. But they got to this point in the product development cycle where Ford realized they passed the point of no return. They spent a ton of money and here’s this giant problem,” the engineer said. “How do you solve it? They had implemented the flawed transmission and any fix was going to be super expensive.”
Traduzindo: mas porque raio foram para uma embraiagem seca? o coeficiente de fricção é inconsistente e isso causa problemas. Mas era o projeto preferido de alguém. E se um gestor aparece com uma ideia o pessoal tem medo de dizer não. No inicio era apenas algo em papel. Alguém devia ter dito algo. Deviam. A ideia devia ter sido descartada. Ninguém tinha ideia de como estava a ser considerada e depois implementada no Focus e Fiesta. Mas conseguiu chegar ao ponto de não retorno no seu desenvolvimento onde já tinham enterrado tanto dinheiro que a Ford avançou com a implementação desta transmissão defeituosa que prometia custos de reparação elevadíssimos.


Citando diretamente engenheiro entrevistado pelo Detroit Free Press: “We’d raise our hands and be told, ‘Don’t be naysayers.’ We got strange comments. It seemed the ship had sailed. After that, if you ask questions, you’re accused of mutiny, so you put your head down and make it work. Good people tried to make it work. But you can’t violate the laws of physics. It’s a mechanical catastrophe.
Traduzindo: sempre que engenheiros levantavam a mão alguém dizia-lhes para não serem do contra. Era como se o barco já tivesse partido e quem questionasse a decisão era acusado de motim, portanto baixávamos a cabeça e tentávamos fazer que funcionasse. Muitos bons profissionais tentaram. Mas não é possível violar as leis da física. É uma catástrofe mecânica."

Ghostbusters estão de volta!

|0 comentários
E com eles o "Ecto 1" original! Um novo filme dos Caça fantasmas vem aí - produzido por Ivan Reitman decorre no futuro quando uma mãe e seus filhos mudam-se para uma quinta abandonada do pai que não é outro senão o Dr. Egon Spengler dos filmes originais! E regressa também um dos automóveis mais importantes do cinema - uma Cadillac Miller-Meteor de 1959 mais conhecida como a ECTO 1! Eu quero aquela sirene para o meu Twizy!

Le Mans 66 nos Globos Dourados

|0 comentários
O filme Le Mans 66 pode vir a fazer historia porque creio até agora nenhum filme relacionado com o mundo automóvel ganhou qualquer dos grandes prémios do cinema - Christian Bale é um dos candidatos a um Globo de Ouro pelo seu papel no filme!

Lá vai a matilha!

|0 comentários

[update]Novos Smart Fortwo, Forfour e Cabrio apresentados

|0 comentários
O ultimo Smart feito na Europa, antes da passagem para os chineses da Geely apartir de 2022 - um ultimo restyle antes do fim. Se o exterior pouco muda o mesmo não se pode dizer do que se passa debaixo do capot. Será o suficiente para lidar com os Honda E e Mini Electric que se avizinham?

Exteriormente recebe nova grelha dianteira, novos para-choques e novo interior dos faróis LED à frente - para ajudar a diferenciar o ForTwo recebe uma grelha em forma de V enquanto o ForFour recebe uma grelha em forma de A.






Já no interior pouco muda - recebe uma nova consola central e sistema multimédia compatível com Apple CarPlay e Android Auto. Recebe também um sistema anti-roubo interessante via app - envia uma notificação para o seu telemóvel se o automóvel deixar uma determinada zona e serviço "Ready to" para partilhar o automóvel ou onde o estacionou.

Debaixo do capot desaparecem os motores a combustão - adeus ao 3 cilindros turbo a gasolina, fica apenas a mecânica dos Smart Electric Drive: um motor eléctrico de 82 cavalos e 160 Nm de binário alimentado por um bateria de 17,5 kWh que permite uma autonomia de 160 quilómetros. Parece pouco mas por outro lado usando um carregador de 22kW consegue 80% da carga em 40 minutos. Acelera dos 0 aos 100 km\h em 11,6 segundos (ForTwo) ou 12,7 segundos (ForFour), e a velocidade máxima continua limitada a 130 km/h.


update 03-12-2019

[update]Porsche Taycan 4S apresentado

|0 comentários
A Porsche começou por apresentar as versões Turbo e Turbo S do Taycan mas apresenta agora a versão mais acessível - este é o Taycan 4S, em média 50.000 euros abaixo da versão Turbo, mas com menos capacidade de bateria e potência.

Visualmente é difícil de distinguir este Taycan 4S - recebe jantes de 19 polegadas, as pinças dos travões em vermelho, o difusor e fundo da carroçaria é em preto.




Mecanicamente mantém os 2 motores mantendo assim a transmissão integral. Esta variante terá a escolha de duas capacidades de bateria, variando também a potência debitada neste Taycan 4S - com a bateria de 79,2 kWh (Performance Battery) debita 530 cavalos em overboost e com a bateria de 93,4 kWh (Performance Battery Plus, de série nas variantes Turbo e Turbo S) debita 571 cavalos.

A escolha da bateria pode alterar a autonomia (407 quilómetros WLTP para a bateria de 79,2 kWh ou 463 quilómetros WLTP para a bateria de 93,4 kWh) mas pouco mexe nas performances porque ambas aceleram dos 0 aos 100km\h em 4 segundos (para referência as versões Turbo e Turbo S fazem esse exercício em 2,8 segundos.



update 09-12-2019

[update]Novo Opel Insignia - restyle

|0 comentários
A Opel acabou de apresentar uma atualização do seu Opel Insignia para tentar animar um pouco as vendas - mas foi bastante ligeiro, será que a PSA (nova proprietária da Opel) está muito interessada neste modelo?
Exteriormente recebe uma nova grelha dianteira e para-choques inspirados nos do novo Corsa, as luzes diurnas descem, os faróis de nevoeiros são redondos e nas versões topo de gama pode ter faróis LED tipo Matrix com 168 diodos.


No interior não vale a pena esforçar a vista à procura de diferenças - apenas recebe um novo carregador de telemóveis por indução, uma câmara de marca-atrás de melhor resolução, o sistema de navegação recebe novos icones e algumas melhorias nos sistemas de assistência à condução.
Debaixo do capot...boa pergunta porque a Opel nada diz. Quando a Opel atualizou o Astra trocou o motores da General Motors por unidades da PSA, mas será que vai fazer o mesmo para o Insignia? Teremos que esperar para ver.



update 09-12-2019

BMW, Daimler e VW multadas por cartelização

|0 comentários
As autoridades alemãs vão multar a BMW, Daimler e VW em 100 milhões de euros por ilegalidades na compra de aço.
De 2004 a 2013 os construtores reuniram-se com os produtores de aço e outras companhias na cadeia de fornecimento para discutir uniformizar sobretaxas na compra de produtos de aço longo/long steel usado para cambotas engrenagens e direções. Estes preços ilegais foram aplicados até 2016, representando menos de 1% do custo do automóvel.

Os construtores não contestaram e vão pagar - a BMW 28 milhões, Daimler 23,5 milhões e a VW recusou-se a dizer quando ia pagar mas as contas são fáceis de fazer e parece que levou a maior marretada.

Automóveis clássicos no cinema - Ford Mustang

|0 comentários
Uma série de vídeos dedicados a automóveis clássicos no grande ecrã - neste caso o Ford Mustang, que parece ter sido para as perseguições automóveis: "Gone in Sixty Seconds", "John Wick", "Bullet", na mais celebre gafe dos filmes de James Bond em "Diamonds are Forever" e outras.

Produção Mercedes Classe S W116 - video

|0 comentários
Video clássico da produção do Mercedes Classe S W116 em 1972 na fabrica de Sindelfingen.

Nissan GT-R50 by ItalDesign a caminho

|0 comentários
Para festejar os 50 anos dos Nissan GT-R a Nissan apresentou no ultimo Goodwood Festival of Speed um concept desenhado pela ItalDesign - mas pelos vistos não vai ficar por apenas mais um concept, a Nissan anunciou que irá produzir até ao fim de 2021 50 unidades.

Por fora nada muda - baseado no mais recente GT-R Nismo e os vidros são claramente do modelo "normal", mas o resto...digamos que é mais Batmobile que automóvel propriamente dito.

Debaixo do capot mantém-se o V6 biturbo 3.8 litros VR38DETT mas agora debita 720 cavalos - para referência o GT-R normal debita 570 cavalos e o Nismo fica por 600. O motor recebe novos pistões, cambota, lubrificação interna, perfil das árvores de cames, tempos de ignição optimizados, novo escape e admissão. E isto é apenas dentro do motor - fora do motor a caixa de 6 velocidades de dupla embraiagem foi reforçada, recebe novos diferenciais e braços de transmissão, novos amortecedores Bilstein DampTronic ajustáveis, novos travões Brembo de 6 pistões à frente e 4 atrás, e calça pneus Michelin Pilot Super Sports.


E o preço desta magnifica peça de design automóvel? 99.911 euros mais impostos! Yup, um Nissan que custa mais de um milhão de euros...ora aí esta algo que não se diz todos os dias. E sim, já foram todos reservados.

[update]Tesla Cybertruck apresentado...yup

|0 comentários
Elon Musk prometeu surpreender o mundo quando a pick-up da Tesla chegasse - bem...a Cybertruck foi apresentada durante a madrugada e não há duvida que Elon Musk manteve a sua palavra. E muitos gostariam que não o tivessem feito...


À primeira vista parece um adereço de um filme de ficção cientifica, apenas com linhas retas sem qualquer das curvas que os restantes modelos da Tesla nos habituou - até o semi-reboque da Tesla tem mais curvas que esta pick-up. Faróis reduzidos a uma banda luminosa, vidros planos e de perfil parece uma daquelas cunhas triangulares de travar as portas.
É definitivamente diferente, e é verdade que todos os Teslas são diferentes do que a concorrência faz, mas também é possível exagerar no diferente e este mercado das pick-ups aka "trucks" é bastante cerrado e pouco dado a "inovações" especialmente a algo que parece ter sido desenhado pelos italianos nos anos 70. A julgar pelas imagens da apresentação parece enorme e alta - e terá vidro blindado. Algo util nos EUA, se bem que durante a apresentação terá falhado essa demonstração.

A originalidade continua na mecânica, apesar de poucos detalhes técnicos terem sido dados - sabe-se que estará disponível com um, dois ou três motores eléctricos, e poderá transportar na caixa 1.590 quilogramas de peso na caixa.

A versão de 3 motores promete acelerar dos 0 aos 100km\h em 3 segundos, uma autonomia de mais de 800 quilómetros e será capaz de rebocar até 6.350 kg. A versão Dual Motor terá uma autonomia de 480 quilómetros e será capaz de rebocar 4.530 kg, e a versão Single Motor terá uma autonomia de 400 quilómetros e será capaz de rebocar 3.400 quilogramas.
No interior é minimalista, vêem-se poucos botões, temos um enorme ecrã de 17 polegadas, o volante é bastante futurista inspirado provavelmente nos jogos de arcada e será capaz de transportar 6 pessoas em 2 bancos longos.
Já possível encomendar uma nos EUA (preços entre 39.900 e 69.900 dólares) mas as entregas só devem arrancar em 2021, 2022 para a versão de 3 motores.
update 05-12-2019

Novo Jaguar F-Type - restyle

|0 comentários
Para manter o F-type atualizado a Jaguar acaba de apresentar um restyling ao seu coupé - se o primeiro restyling em 2017 foi discreto este é bem mais profundo.
Exteriormente o restyle deu ao F-type um ar mais agressivo: recebe faróis mais pequenos e horizontais, para-choques foram redesenhados com uma grelha maior e novas entradas de ar - qualquer coisa de i-Pace com Audi R8 à mistura. Atrás pouco muda apenas a assinatura luminosa e o difusor foi atualizado.



No interior o sistema multimédia agora compatível com Apple CarPlay e Android Auto recebe um novo ecrã táctil de 12,3 polegadas e 2 escolhas de sistema de som Meridian.


Debaixo do capot mantém-se o 4 cilindros de 300 cavalos, mas V6 de 3 litros que costumava ficar no meio desaparece sendo substituído por uma versão de 450 cavalos e 580 Nm de binário do V8 de 5 litros disponível com tração traseira e integral. No topo continua o F-Type R que passa a debitar 575 cavalos (antes 550 cavalos) nas 4 rodas. Mas não é apenas potência - a Jaguar reviu o chassis e direção, recebe novos amortecedores, molas e barras anti-rolamento, e nova gestão da caixa Quickshift de 8 velocidades que para a versão F-Type R recebe comandos no volante.




É uma mistura estranha - exteriormente está mais agressivo e agora têm-se a possibilidade de ter o V8 jaguar com tração traseira, mas perde-se o V6 que era uma opção melodiosa acessível e a caixa manual.