Novo Mercedes Classe G apresentado

|0 comentários
Atenção Land-Rover, assim é que se faz - apesar de ter nascido nos anos 70 o Classe G ainda anda por cá e teve o seu melhor ano de vendas em 2016. Mas a idade não perdoa e estava na hora de uma nova geração. Ora se fosse a Land-Rover engonhava até não conseguir cumprir as normas, abandona a produção e partia para pensar no assunto enquanto a imagem do Defender cai no esquecimento - mas a Mercedes não é assim que rola.


E como "em receita vencedora não se mexe" o design exterior basicamente não muda - mantém o look quadradão utilitário, as dobradiças do lado de fora das portas, os puxadores das porta com aqueles grandes botões, a faixa protetora lateral, os piscas por cima dos para-lamas dianteiros e até a roda montada do lado de fora da mala. A Mercedes foi ao ponto de assegurar que a som de fechar a porta neste novo modelo é o mesmo que o modelo anterior para assegurar o estatuto de ícone.

E sim, exteriormente parece que foi apenas um suavizar de rugas, mas as maiores actualizações não são visíveis e apenas um terço dos componentes mecânicos são da anterior geração. Para assegurar que continua capaz de trepar tudo mantém o chassis separado mas carroçaria, chassis, suspensão, direção, motores, caixas de velocidades e assistências à condução são novos.
Desenvolvido e fabricado com a Magna-Steyr muito trabalho foi feito para assegurar que o novo modelo consegue vencer a natureza - a distancia ao solo aumentou 6 milímetros (atinge 241 milímetros atrás; 270 milímetros à frente), a altura máxima de água passou de 60 para 70 centímetros e todos os ângulos melhoraram ligeiramente. Sim, ligeiramente melhor relativamente a um modelo que já era de sí excelente fora da estrada - ou seja, mais do que uma cara bonita.

A suspensão dianteira tem um novo sistema independente e apesar do eixo traseiro continua a ser rígido é agora guiado por 4 braços longitudinais de cada lado e uma barra Panhard. A direção é também nova (passa de hidráulica para eléctrica) permitindo maior precisão na estrada e a instalação de sistemas de ajuda à condução modernos como o Distronic Active Cruise Control.

Perde 170 quilogramas relativamente à anterior geração graças principalmente ao uso de alumínio no capot, para-lamas e portas. Alem de mais leve é também mais rígido. A carroçaria recebe aços de alta resistência que completa os para-lamas, capot e portas em alumínio. A rigidez torcional passou de 6537Nm/grau para 10,162Nm/grau. Apesar de ser mais leve é maior - mais comprido em 53 milímetros e mais largo em 121 milímetros, muito desse espaço foi para os passageiros.

Inicialmente o novo Classe G estará disponível nas versões G500 e G63. O G500 tem o mais recente V8 biturbo M176 de 4 litros com 422 cavalos et 610 Nm de binário acoplado à caixa automática de 9 velocidades com diferenciais bloqueáveis à frente, central e traseira.
No interior o tablier é inspirado nos mais recentes produtos da marca com as saídas de ventilação em turbina, os 2 ecrãs lado-a-lado, 3 interruptores para os diferenciais e outros elementos do Classe E e Classe S. Para os que quiserem quebrar o silencio do ermo onde o Classe G o pode levar, pode até ter um sistema audio de 590 watts da Burmester.


Resumindo, o "Gelandewagen" está mais económico, confortável, mais seguro e mais fácil de conduzir. Este novo modelo foi desenhado e desenvolvido para respeitar o antecessor mas com a tecnologia dos Mercedes modernos. Conseguiram reinventar um ícone e mesmo assim mantê-lo fiel ao original - espero que a Land-Rover esteja a tirar notas...

Aí o amor é tão bonito...

|0 comentários
"Pug love" - foto de Amandine Sanson

Aviso - nudez abaixo!

|0 comentários
Definitivamente não é seguro para o local de trabalho ;)

Porsche 906 Carrera 6 by Takashi Jufuku

Brabham BT3 by Gordon Bruce

Lotus Type 63 by Bruno Betti

Aston-Martin DBR4-250 by Clarence LaTourette

Porsche 935_78 “Moby Dick” by Shin Yoshikawa

Land Rover Series I by Giulio Betti

Ford GT40 Mk IV by James Allington

Lancia Delta HF Integrale Evo 1 by Giulio Betti

Alfa Romeo Giulietta Sprint Spider by Clarence LaTourette

Toyota 2000 GT by Shin Yoshikawa

Peugeot 205 Turbo T16 by ETAI France

Maserati Birdcage Tipo 60_61 by Makoto Ouchi

Tremor de terra em Portugal...não se tiver um Audi ;)

|0 comentários
Para quem está a gerir o Twitter da Audi Portugal...boa, bem metido!

Souvenir da Bretanha!

|0 comentários
Um souvenir da Bretanha - uma lata de bolachas "Les galettes de belle isle" com um Citroën 2 cavalos estampado!

[update]Volvo PowerPulse reduz tempo de resposta de turbo

|0 comentários
Depois de um longo período de quase ausência total, o turbo é quase omnipresente na paisagem automóvel com os construtores a recorrerem a estes dispositivos para compensar cilindradas cada vez mais pequenas - mas turbos sempre tiveram o problema do tempo de resposta, aquele intervalo de tempo em que apertamos o acelerador e temos que esperar que o turbo carregue antes de arrancar-mos decididamente na direção que desejamos. O grupo VW estuda turbos acionados por um motor elétrico, a BMW já mete 3 e 4 turbos nos seus motores e a Volvo mete ar...com o PowerPulse nos V90.
É um sistema que parece muito simples, até ao ponto de fazer pensar porque é que ninguém ainda o implementou - é que permite reduzir o tempo de resposta do turbo de forma muito simples sem complicados sistemas elétricos ou tecnologias futuristas extremamente caras.

O motor D5 usa 2 turbos sequenciais - um de 38 milímetros que alimenta um de 53 milímetros, que é perfeitamente clássico mas a Volvo acrescentou um sistema que injeta ar comprimido no coletor de escape para fazer rodar o turbo de 38 milímetros reduzindo o tempo de resposta: vai das 20.000 às 150.000 rpm em 0,3 segundos

Basicamente a Volvo acrescentou um compressor de ar elétrico e um tanque de 2 litros ar mantido a 12 bar que é mantido constantemente cheio para assegurar potência em todas as alturas. Sempre que o condutor apertar o acelerador para uma ultrapassagem ou outra manobra é lançado um jato de ar de 12 bar que dura pouco mais que uma décima de segundo que aciona o turbo pequeno que depois de atingir a rotação máxima transfere para o turbo maior.


update 15-01-2018
Um souvenir da Bretanha - uma lata de bolachas "Les galettes de belle isle" com um @CitroenPortugal 2 cavalos estampado

[update]Novo Volkswagen Polo apresentado

|0 comentários
E enquanto estava de férias a Volkswagen apresentou um dos seus modelos mais importantes - este é o novo Volkswagen Polo. Que apesar de continuar muito parecido à geração anterior é na verdade um modelo completamente novo e para garantir que o ligamos o máximo possível ao Golf, apresentaram logo a versão GTI. Com assentos em tartan e tudo!
Sempre se disse que o Polo é um mini-Golf, este parece que uma versão reduzida de um Golf 7 e 1/2 mas sinceramente fizeram um belo trabalho. Este Polo é baseado na nova plataforma MQB A0 (estreada recentemente pelo novo Ibiza) e cresce em todas as direcções excepto na altura (até em tamanho se aproxima do Golf): o comprimento cresce 8 centímetros para 4,05 metros (a apenas 20 do Golf), a distancia entre eixos aumenta 9 centímetros, largura aumenta 7 centímetros e capacidade da mala passa de 281 para 350 litros. Basicamente é maior que um Golf 4.... Com a adopção desta nova plataforma perde infelizmente a versão 3 portas.

Temos os faróis dianteiros divididos em 2 partes, que podem ser 100% LED, já os faróis traseiros continuam a ser de uma peça só.
No interior apesar de continuar um pouco sério é bom ver que os designers enfim arranjaram uma nova caixa de lápis de cor - já viram a barra colorida que atravessa o tablier com a cor da carroçaria? Opcional claro, mas interessante...quase jovial. Uma grande evolução do interior em diferentes graus de preto da...bem, de todas as anteriores gerações do Polo para ser sincero.
O conjunto de instrumentos pode ser completamente digital via a nova geração do Active Info Display, complementando o grande ecrã do sistema multimédia (varia de 6.5 a 8.0 polegadas) localizado logo acima dos arejadores.

De série recebe a travagem automática de emergência com deteção de peões, mas pode ainda receber cruise-control ativo, estacionamento autónomo, vigilância de ângulo morto e outras tecnologias.

Debaixo do capot algumas novidades, notem a diferença na oferta de motores entre diesel e gasolina. A gasolina começamos pelo 3 cilindros atmosférico de 1 litro com 65 e 75 cavalos, o 1.0 litros turbo TSI com 95 ou 115 cavalos e o novo 1.5 litros TSI de 150 cavalos com desativação de cilindros. No topo da gama, com assentos de tartan e um 4 cilindros turbo de 200 cavalos está o Polo GTI! Já a diesel a escolha é bastante mais reduzida - apenas o 4 cilindros de 1.6 litros TDI com 80 ou 95 cavalos. O motores menos potentes recebem caixas manuais de 5 velocidades e os restantes de 6 velocidades. Pode ter, como opção, a caixa DSG de 7 velocidades nos modelos com mais de 95 cavalos. Tração continua a ser apenas no eixo dianteiro.

O Polo GTI recebe para-choques dianteiros e traseiros desportivos, aileron no tejadilho, saias laterais, assentos específicos e escape específico. A suspensão desportiva é especifica, bem como as jantes de 17 polegadas - opcionalmente pode ter suspensão ativa Sport Select e jantes de 18 polegadas.



Personalização é também uma novidade - 14 cores exteriores, 13 cores para o tablier, 12 escolhas de jantes, 11 escolhas de coberturas de assentos e 2 níveis de equipamento interior. Mas não acaba aqui - além da linha clássica e R-Line (que dá o look GTI sem o GTI debaixo do capot) pode ainda ir para o modelo Beats que recebe um sistema audio de 300W e alguns autocolantes de gosto duvidoso...

Vendas arrancam no Outono.


update 15-01-2018

[update]Volkswagen up! GTI a caminho

|0 comentários
Ainda um concept para já mas realidade em 2018, provando que coisas boas podem vir em embalagens pequenas.
É, segundo a Volkswagen, o reincarnar do espirito do Golf GTI mk1. O motor continua a ser o 3 cilindros de 1 litro TSI puxado a 115 cavalos (o primeiro Golf GTI tiha 110) e 230 Nm de binário - mas infelizmente o up! GTI pesa 997 quilogramas enquanto o Golf GTI pesava 810 quilogramas. Peso a mais é mau para as performances mas é o custo da segurança moderna. Vais dos 0 aos 100 km\h em 8.8 segundos e atinge 197 km\h - mantendo a comparação com o Golf GTI mk1, este precisava de 9 segundos e dava menos 15 km\h de velocidade de ponta.


Recebe suspensão e um kit visual desportivo que parece pronto para a produção em série.


Update 15-01-2018

[update]Jaguar E-Pace apresentado

|0 comentários
E já temos o próximo êxito da Jaguar - o E-Pace acabou de ser apresentado com grande pompa e circunstancia, afinal espera-se que venha a estabelecer novos recordes de vendas na marca inglesa. Apesar da tração dianteira trazer consigo o fantasma do X-Type...

Mas para assegurar que ninguém se lembra disso a Jaguar fez a habitual demonstração pirotécnica e acrobacia tirada de um filme de James Bond.
Desta vez o E-Pace conduzido por Terry Grant conseguiu o saca-rolhas mais longo de sempre num automóvel de produção com 15,3 metros percorridos e 270º de rotação. Acresce ao mais longo "loop-the-loop" do F-Pace e à travessia do rio Tamisa do novo XF.

Conhecida pelos seus desportivos ou sedans luxuosas, a Jaguar não teve escolha se não acompanhar o mercado atual: faz SUVs ou estás lixada. Com 4,40 metros de comprimento e baseado na plataforma da aço e alumínio do próximo Range Rover Evoque com suspensão derivada da usada no F-Pace, este novo E-Pace fará certamente a vida negra aos BMW X1, Volvo XC40, Mercedes GLA e Audi Q3 - segundo Finbar McFall (o Global product marketing director da JLR) a marca espera que 80% dos compradores do E-Pace sejam novos clientes.
Para terem uma ideia do impacto antes dos SUVs a Jaguar vendeu em 2010 42.952 unidades. No ano fiscal de 2016 vendeu 172.848 unidades das quais 67.955 eram F-Pace's. Um modelo 39% das vendas - com o E-pace espera-se que em 2019 as vendas globais ultrapassem as 250.000 unidades...é o quanto importante este E-Pace é.

Apesar do perfil ser uma versão reduzida do mano mais velho F-Pace a frente, tal como o tablier, é claramente inspirada no Type-F. Apesar de mais pequeno que o F-Pace a distancia entre eixos é quase idêntica e com as rodas nas extremidades a capacidade interior é maior - transporta 5 adultos e 577 litros de bagagem.

Recebe as mais recentes novidades tecnológicas, incluindo um sistema multimédia com um ecrã tactil de 10.1 polegadas, conjunto de instrumentos digital, display de informação no para-brisas, acesso mãos livres, tração integral ativa com torque vectoring e muitos outros opcionais.

Debaixo do capot só motores Ingenium - poderá ter um 4 cilindros de 2 litros diesel com 150 cavalos acoplado a uma caixa manual que debita a potencia apenas no eixo dianteiro. O mesmo motor também terá versões com 180 e 240 cavalos. A gasolina apenas terá o 4 cilindros de 2 litros Ingenium com 250 ou 300 cavalos - estas (bem como o diesel mais potente) estão sempre associadas à caixa automática de 9 velocidades e tração integral.

A apresentação ao publico será no salão de Frankfurt, o que é maquiavélico porque afinal será às marcas alemãs que este SUV mais vai roubar clientela e não esquecer que ao lado será apresentado a versão de série de outro SUV da Jaguar: o 100% eléctrico I-Pace.



update 15-01-2018

[update]Novo Mini apresentado - restyling

|0 comentários
Conforme esperado temos o restyling Mini Cooper nas versões 3 e 5 portas, e descapotável, muitos dos detalhes já anunciados nos últimos concepts da Mini. E são principalmente pequenos detalhes que temos aqui mas que somados fazem alguma diferença para manter o Mini fresco.


Exteriormente toda a gama recebe as mesmas modificações - temos os faróis traseiros com uma nova assinatura visual (o farol em si não mudou) já vista nos concepts Superleggera, JCW GP e Electric, os faróis dianteiros podem agora ser 100% LED do tipo Matrix, novo logótipo, novas jantes e cores exteriores (Solaris Orange e Starlight Blue).




No interior temos novas cores, materiais, um novo volante, pode incluir um novo sistema multimédia com ecrã tactil, carregamento de telemóveis sem fios, Mini Connected Services com informação de transito em tempo real, Apple CarPlay e outras muitas opções.



Debaixo do capot temos também algumas melhorias - a versão base One troca o 1.2 litros por um motor de 1.5 litros turbo com 102 cavalos e mais 10 Nm binário. Chega também a caixa de velocidade de dupla embraiagem excepto ao Cooper SD que mantém a caixa automática de 8 velocidades clássica para aguentar com o binário do 2 litros diesel. Uma novidade interessante é que o sistema start/stop usa informação do sistema de navegação para decidir a melhor altura ou local para desligar o motor.







update 15-01-2018
"