Salão automovel de Genebra de 2015 pelo Turbo-lento

|0 comentários
Sei que vou um pouco atrasado mas trabalho e umas ferias de pascoa mantiveram-me um pouco longe do teclado mas não queira deixar de opinar sobre a edição de 2015 do maior e mais importante salão automóvel do mundo - o salão automóvel de Genebra. Se tivesse que dar um lema a este salão seria "potencia e prosperidade" - a industria automóvel quer deixar para trás anos de pessimismo e que melhor forma de o fazer que com um espectáculo de cavalos de potência e designes vibrantes?
Havia metal novinho em folha com 4 rodas e 1 volante para todos os gostos e carteiras - Ferrari, McLaren, Koenigsegg com hiper-carros de sonho, a meio desportivos como o Cayman GT4 ou Civic Type R e a continuação da avalanche de SUV's cortesia da Infinity e Renault..por onde começar?

As novidades que vale a pena falar
Porsche Cayman GT4 - parece a receita para um desportivo perfeito: compacto, a razar o alcatrão, motor atmosférico central, tracção traseira e uma caixa manual.

Infiniti QX30 - não via grande futuro para a Infiniti na Europa ou qualquer outro lado: a historia recente da marca de luxo da Nissan é basicamente um concept atrás de outro concept que nunca davam em nada e a gama real não se adapta à Europa. Mas eis um concept da Infinit que parece ter tudo para não só chegar à realidade mas ter sucesso.

Seat 20V20 - apesar dos resultados positivos actuais via a Seat sem um plano a longo prazo. Mas este concept 20V20 não só anuncia o "actualmente obrigatório" SUV mas também o futuro do designe para a marca espanhola e é magnifico. Agora esperemos que não o estraguem até chegar à estrada...

VW Sport Coupe GTE - mostra para onde vai o designe da marca alemã e após um longo período "cinzento" (não pode ser beje graças ao Polo e Golf GTI...) parece que enfim a marca alemã parece pronta para avançar.

Kia Sportspace - nunca pensei em gostar de um Kia...uau.

Nissan Sway - depois do Nissan Pulsar não esperava o Sway. Antevê o próximo Micra e ao contrario de todos os Micra até agora este não é insípido.

Porsche 911 GT3 RS - se o Dr. Frankenstein tivesse um automóvel para acordar o seu monstro seria provavelmente este.

Koenigsegg Regera - citando Astérix: "estes suecos são doidos". Um hipercarro com um V8 mas híbrido plug-in com 1.500 cavalos mas sem caixa de velocidades...é uma demonstração de génio e engenharia, não fosse Christian von Koenigsegg muito próximo a um vilão de James Bond.

Bentley EXP 10 Speed 6 - consegue ser um Bentley e ao mesmo tempo não ter nada a ver com a marca britânica. Tem todos aqueles detalhes luxuosos que se espera de um Bentley mas não parece algo que os nossos avós gostem.

É moderno e interessante...algo que não digo sobre um Bentley há muito tempo. Só aquela grelha dianteira é que não convence.

Potência que corrompe absolutamente...
Acha que 800 cavalos não chegam para si - que tal 900? Mas porque parar nos 900? Por que não 1000 cavalos de potencia? E já que estamos atirar números porque não 1.500 cavalos de potencia ao dispor do seu pé direito? Sim, podia comprar neste salão automóveis com potencias muito superiores a muitos Formula 1 para quem pudesse pagar o preço. O Aventador é fraquinho demais para si? Agora tem o SV com 742 cavalos. O 911 GT3 não chega? Agora tem o GT3RS. É alérgico aos alemães porque o Bloco de Esquerda o convenceram que eles são a raiz de todo o mal então ira gostar do novo Vangate GT3 (que nos entretantos virou GT12).
O salão de Genebra foi uma explosão de cavalos de potência - de GTI's a hipercarros de outro mundo havia de tudo para todos e a lista é simplesmente deliciosa! E sabem a parte mais incrível de toda esta explosão de potencia, cores e formas? Decorreu num pais em que a única forma de desporto automóvel permitida por lei é a Formula E...

A Ferrari converteu o seu 458 Italia ao turbo com o 488 GTB mais belo, mais potente (670 cavalos) e mais rápido, algo que não ficou sem resposta dos seus eternos rivais e nemesis McLaren que levaram o 675 LT e o definitivamente hiperbólico P1 GTR!

A Porsche deu enfim ao seu Cayman a potencia que sempre mereceu com o Cayman GT4 enquanto passou a mão pelo pêlo dos puristas com o 911 GT3 RS. Mas a minha preferência foi para a Aston Martin que levou o Vantage GT3 e o hiperbólico Vulcan! Já que falamos em hipérboles, a maior de todas veio da Suécia com os 1.500 cavalos do Regera - e era um híbrido logo a Greenpeace não o chateia.

A Bentley surpreendeu com o seu concept EXP 10 Speed 6 que anuncia um futuro desportivo e designe da marca. Terá os Porsche 911 e Jaguar Type-F pela frente e tirando aquela grelha dianteira é simplesmente o mais belo do salão. É gracioso, elegante, leve...quase faz esquecer que vem um SUV a caminho. O salão de Genebra de 2015 também marcou o fim de um ícone - aquele automóvel que todos disseram ser impossível chegou ao fim: a Bugatti trouxe o ultimo dos Veyron.

Mais terra-a-terra tivemos o novo Audi R8. Sendo baseado no Lamborghini Huracan será sem dúvida rápido mas infelizmente exteriormente continua a parecer o "Genérico" dos supercarros. Mas depois de tantas falsas partidas o R8 E-tron esta enfim disponível para os consumidores. Pessoalmente gosto mais do designe do R8 E-tron do que do R8 "normal"...

Mas o Audi R8 parece ter um rival à altura - o novo Honda NSX. Mas como será face-a-face? E será que um bando de americanos do Ohio sob orientação da Honda conseguiu construir um super-carro como deve ser?

Falando em "Americanes" a Ford levou o seu Ford GT! Após anos a desenvolver o Focus e Mondeo toda aquela loucura acumulada tinha que ser libertada e a Ford simplesmente disse para os seus engenheiros para irem irritar a Ferrari - e assim fizeram.

Mas também havia algo para o pessoal com carteiras mais pequenas e os pés assentes na terra. A Honda teve uma boa presença em Genebra e não havia uma única placa de "concept" em lado nenhum - o novo Jazz, NSX, HR-V e CR-V estiveram lá bem como o desejado Civic Type-R que anuncia uma quantidade ridicula de potencia para algo apenas com tracção dianteira.
A Ford não só mostrou que consegue estragar a festa à Ferrar e McLaren com o seu GT mas também trouxe algo que muitos achavam perdido na Ford - um Focus RS. Só falta mesmo as palavras Cosworth... Tivemos os Opel Corsa OPC, Renault Clio R.S. Trophy e o actualizado Peugeot 208 GTi.

Mas se tiver problemas cardiacos e quiser algo mais sedado também havia algo para si - o novo Skoda Superb esteve lá, bem como os novos Citroën Berlingo e o seu primo da Peugeot e o novo Jazz.

Designes modernos voltaram!
Mas não era só potência, os designs eram todos mais audazes, vistosos - e não era só nas marcas de luxo. A DS levou o seu Divine que já conhecemos de Paris, a Volkswagen trouxe o concept Sport Coupe GTE e Lexus trouxe uma enorme grelha no seu concept LF-SA.
A Nissan trouxe o Sway que anuncia o próximo Micra, a Kia trouxe o Sportspace que é basicamente um Optima carrinha para nós Europeus! Mas até o Opel Karl na sua diminuta dimensão e preço era interessante.
O Renault Kadjar chega já no Verão com as suas pronunciadas coxas e confesso que gosto do que vi do Auris carrinha...se a minha cara metade não tivesse de ideia fixa num automóvel de 7 lugares.

SUVs para todos!
A Europa está em completa febre de SUVs e Crossovers - seja pela a imagem dinâmica e aventureira, ou pela imagem de robustez e posição de condução elevada sem terem que comprar um monovolume a verdade é que todos os querem. E sendo baseados em sedans clássicos apenas com uma carroçaria ligeiramente diferente as margens de lucro são muito boas para os construtores e em Genebra todos tinham um ou anunciavam um.
Uma das principais novidades foi o novo Renault Kadjar que juntamente com o seu primo Qashqai devem ter o segmento só para si nos próximos tempos já que a concorrencia esta quase toda em fim de vida. O Range Rover Evoque recebeu uma ligeira actualização mas a principal novidade não esteve la - a versão descapotavel recebeu a luz verde para a produção. Depois do falhanço total e completo do Murano cabriolet será que este pega? A Ásia esta em peso neste formato - a Hyundai trouxe o Tucson que substitui o iX35, a Honda o HR-V e apesar de não compreender como ainda andam por cá a Ssangyong trouxe o Tivoli.

Mas há mais a caminho: a Infiniti trouxe o muito prometedor concept QX30, o Suzuki iM-4 anuncia um novo Jimny e o Lexus LF-SA anuncia um SUV mais pequeno no futuro próximo.

E apesar da Kahn ter trazido um Defender de 6 rodas e enfim a Ford actualizar o Ecosport para o tornar menos "agreste", para mim a estrela deste formato foi mesmo o concept Seat 20V20 que anuncia não só um futuro SUV mas também o designe futuro da marca - e gosto do que vejo.

O pior do salão
Aston Martin DBX - toda a gente quer um SUV. A Jaguar esta a preparar um, bem como a Bentley e a Rolls Royce. A Aston Martin tentou com o Lagonda há uns anos atrás e tal como a primeira tentativa da Bentley foi um desastre. Mas a Aston Martin acha que afinal o que precisamos é de um Rapide redesenhado com suspensão elevada e com motorização eléctrica...a sério? Sim, é apenas um concept mas para uma marca de mercado limitado que está a esticar a sua gama há muitos anos não parece ter uma ideia para onde vai aseguir...

Alfa Romeo - continuam as promessas do regresso da Alfa Romeo ao palco mundial mas infelizmente ainda não foi desta que vimos sorrisos entre os alfistas. Apenas o 4C Spyder esteve presente.

As ausências
Como disse, a edição de 2015 foi repleta de novidades, mas também houveram algumas ausências que se fizeram notar - algumas provavelmente para o salão de Nova York (há que deixar alguma coisa para os americanos).

E é provavelmente para os americanos que ficaram os descapotáveis porque tirando o Alfa Romeo 4C Spyder mais nenhum estreou - tendo em conta a apresentação acelerada da nova gama Smart esperava os ForTwo descapotaveis, bem como o Mini descapotavel. Também esperava o Mini Clubman mas não apareceu.
 Para Nova York ficaram a nova geração do Jaguar XF, o novo Lexus RX, Mercedes GLE (Classe M actualizado). Há 2 novidades que não se sabe bem onde vão estrear (se em Nova York ou Frankfurt): um 4 cilindros num Boxter/Cayman e a chegada do turbo aos modelos de base do 911.
Os franceses também estiveram mito muito pacatos - a Renault trouxe o Kadjar, a DS retirou o citroen de toda a gama, a Peugeot levou o restyling do 208...e mais nada. Nenhum concept car ou outra novidade "sonora". E a Fiat nem apareceu...basicamente.

Houveram mais 2 ausências ainda a notar - a Google e a Apple. Afinal construtores automoveis como a Audi e BMW já invadiram a exposição chave da electrónica de consumo (O CES) e ambos Google e Apple estão a intrometer-se no mundo automóvel: a Google com o seu Googlecar e o seu sistema Android no automóvel e a Apple...com algo que ainda não disseram exactamente o que é mas que andam a preparar algo lá andam.E deviam ter aparecido.

Concluindo
O Salão de Genebra foi acima de tudo uma declaração de intenções - a industria automóvel quer sair rapidamente da crise que a tem puxado para baixo e que melhor forma de o fazer do que com um grande fogo de artificio em conjunto com um espectáculo de luzes, som e belas mulheres em belos vestidos. Mas tal como um teenager que descobre a masturbação e acha que está pronto para sexo a verdade é que é preciso que a "outra parte" esteja pronta a aceitar. Um local onde toda e qualquer fantasia automóvel podia ser realizada, onde não há crise económica, limitações de emissões ou políticos...

Sonhar nunca fez mal a ninguém, tal como acreditar que António Costa tem alguma ideia de como resolver os problemas do pais ou o Bloco de esquerda não vêm de uma dimensão paralela, mas é preciso manter um pé terra firme. Espero, mesmo, que tudo isto dê a volta e que possamos apreciar esta nova geração de automoveis...quero mesmo muito.

Momento "Deve ser um recorde" do dia

|0 comentários
Não sei se existe um recorde para o maior número de acidentes no mais curto intervalo de tempo mas este senhor americano provavelmente merece esse recorde. Sigam a monovolume Chrysler a recuar no meio do ecrã e já agora a pickup vermelha mais acima - apesar de seguirem em direcções completamente opostas vão conseguir embater. Alias, 9 automóveis em 60 segundos vão ser atingidos...

A frente, atrás ou em todo o lado - video

|1 comentários
Uma das eternas perguntas do mundo automóvel - é melhor ter a tracção à frente, atrás ou nas 4 rodas? Em Portugal pode não ser uma pergunta tão importante graças ao nosso clima ameno mas noutras zonas do mundo é algo de muito importante. O pessoal da Xcar resolveu tentar responder a esta pergunta com uma série de testes a 3 automóveis diferentes: a defender o campo da tracção dianteira temos um Renault Megane RS 275 Trophy, no campo da tração traseira temos um BMW 120d e nas 4 rodas um Subaru Impreza. Sim, não é escolha mais equilibrada mas não deixa de ser interessante.

Mercedes AMG C63 by Chris Harris

|0 comentários
Uma das eternas rivalidades automóveis - Mercedes vs BMW. E recordo com grande alegria os duelos entre os BMW M3 e os Mercedes 190 Evo2 no DTM, actualmente esse duelo continua entre os BMW M3/M4 e os Mercedes AMG C63. E é este ultimo que foi conduzido por Chris Harris - sim, esse senhor que todos os pneus temem!

Montar um motor Bugatti W16 - vídeo

|0 comentários
O Bugatti Veyron chegou ao fim com o ultimo modelo a ser levado ao recente salão automóvel de Genebra - e com ele provavelmente vai o seu extraordinario motor W16. Fica abaixo um curto vídeo sobre o processo de montagem deste monstro de pelo menos 1.000 cavalos.

Toyota Mirai - como é feito

|0 comentários
A Toyota publicou uma série de vídeo sobre a produção do novo Mirai que é muito interessante - é seguro dizer que o Mirai é dos automóveis de estrada mais avançados da actualidade mas pelos vistos também é aquele cuja produção é a menos automatizada de todos. Se gosta de tecnologia veja que vale a pena. 
O Mirai é produzido na mesma fábrica onde foi produzido pelo LFA onde apenas 13 trabalhadores montam 3 Mirai por dia - a Ferrari produz mais carros num dia! Nos dias de produção em massa, robôs, linhas automatizadas que avançam constantemente temos a produção de um automóvel com tecnologia espacial em que os trabalhadores têm que empurrar os automóveis de estação em estação, peças ao monte...É a imagem de espelho da construção automóvel - o automóvel de estrada mais avançado de sempre feito de forma quase manual por uma dúzia dos operários mais capazes da Toyota.

- Interior da fábrica e selecção de peças:

- Montagem do chassis e célula de combustível

- Montagem final

- Controlo de qualidade e inspecção antes de saída

Novo Volkswagen Transporter a caminho

|0 comentários
A Volkswagen vai apresentar no próximo dia 15 a próxima geração do Transporter, a sexta do nome.
Mecânicamente devera manter a mesma plataforma do actual T5 recebendo a ultima geração de motores diesel e gasolina.

Nissan e estrada que brilham no escuro

|0 comentários
Quando vi a apresentação deste Leaf com a pintura que brilha no escuro achei que seria um bom companheiro para aquela estrada que brilha no escuro que está em testes na Holanda - a Nissan pensou o mesmo e trouxe-o à Holanda, afinal um dos maiores mercados de automóveis eléctricos do mundo. Um automóvel e uma estrada, igualmente luminosos - o futuro?

BMW i, o primeiro - vídeo

|0 comentários
Um vídeo para os fãs da BMW e dos automóveis eléctricos - quando conduzi o BMW i3 em Paris recordei alguns dos BMW eléctricos ao longo do tempo mas não sabia qual tinha sido primeiro BMW eléctrico. A resposta é dois BMW 1602 usados para os jogos olímpicos de Munique em que o motor foi tirado e substituído por um motor eléctrico alimentado por baterias de 12 volts - limitados demais nunca passaram à produção em massa.

Dacia Sandero Stepway - ensaio

|0 comentários
Depois do ensaio do Dacia Sandero chega a vez de escrever sobre o Dacia Sandero Stepway, o primeiro crossover da Dacia mas não certamente o ultimo - quando publicar este artigo sem dúvida o Lodgy Stepway terá chegado ao mercado. 

Pode parecer estranho não incluir o Sandero Stepway no mesmo ensaio do Sandero normal, mas merece destaque: a Europa está em completa e total esteria de SUVs e CrossOvers e a Renault (que tem no seu Captur o CUV mais vendido na Europa) resolveu dar à sua marca budget um pé neste segmento. E com grande sucesso - dois terços dos Sanderos vendidos são StepWay.

E se quer saber um pouco mais sobre o que faz a Dacia diferente, leia a introdução do ensaio do Sandero.

Primeiro contacto 
O Dacia Sandero normal tem um aspecto robusto com linhas simples sem exageros, e esta adaptação crossover torna-o mais interessante - dá-lhe um ar mais aventureiro, jovem. Acima de tudo não parece um produto low-cost.

A receita para o Stepway é simples e conhecida - partindo de um Dacia Sandero normal subiram a distância ao solo em 40 milímetros, para-lamas alargados via aplicações plásticas, novos para-choques com proteções inferiores, barras de tejadilho (aproveitadas do Duster) e proteções laterais da carroçaria. Todos recebem faróis de nevoeiro, pintura metalizada com para-choques e espelhos retrovisores pintados na cor da carroçaria.

Todos estes detalhes juntos transformam o Sandero de um pequeno utilitário (especialmente se estivermos a falar da versão base Pack) em "algo mais".

Já o nome parece tirado de uma sopa de letras - "Step" é degrau ou passo e "Way" é caminho... 


Bem-vindo a bordo
No interior recebemos o mesmo interior do Sandero Confort normal - o mesmo tablier, plásticos duros (mas duradouros) um pouco por todo o lado e material de Renaults presentes e passados, se bem que os estofos têm um padrão específico.

Recebemos também o interior mais espaçoso do segmento - segundo o catalogo, a mala tem 320 litros e rebatendo os bancos atinge 1.200 litros. Para terem uma ideia o Renault Megane 5 portas (não carrinha) tem 405/1162 litros de capacidade.

Com a maior distância ao solo é mais fácil entrar e sair do Stepway, e como o assento e direção são reguláveis em altura encontrar uma posição de condução confortável é fácil. Sentados atrás do volante temos uma posição de condução elevada muito apreciada pelos fãs dos SUVs, com boa visibilidade para a estrada e com espaço suficiente para conduzir de chapéu...algo que não faço obviamente.

A nível de equipamento o Sandero Stepway recebe todas as opções do Sandero com a excepção dos assentos de couro e o pneu suplente - a primeira não faz muito sentido, já a segunda faz todo o sentido num automóvel feito para sair um pouco do alcatrão. Ou seja, além de crossover o Sandero Stepway é também o topo de gama do Sandero.

Se escolher um Sandero era fácil, o Stepway é ainda mais fácil - tem apenas 3 escolhas a fazer: escolher um de dois motores, escolher uma de seis cores e decidir se quer alguma das duas únicas opções disponiveis. Ou seja, recebe de série ABS, controlo de estabilidade, ar condicionado, sistema multimédia com ecrã tactil e GPS, vidros electricos nas 4 portas, coluna de direção e assento do condutor reguláveis em altura, estofos específicos, cruise control, retrovisores eléctricos, computador de bordo entre outros detalhes.

Curiosamente é também algo que me chateia: não há um Stepway acesivel, é tudo ou nada. Mesmo assim, o Stepway custa 12.600 euros com o 0,9 Tce ou 16.050 euros com o 1.5 dCi e se for para um Juke paga pelo menos 20.000 euros e recebe algo em que apenas teenagers conseguem sentar-se atrás. 


Condução
Como disse acima, o Sandero Stepway está apenas disponivel com 2 motores - o 3 cilindros de 0,9 litros turbo e o turbo-diesel de 1.5 litros, ambos de 90 cavalos e são os melhores da gama Sandero.
Conduzi o Stepway apenas com o motor diesel de 4 cilindros 1.5 dCi de 90 cavalos (que conduzi) que é o topo de gama e para quem percorre mais quilómetros é a melhor escolha - é o mais potente e permite a condução mais relaxada.

Ambos os motores produzem algum ruído e vibração  excessivo (conduzi o 0,9 no Sandero normal) quando se acelera mais, e a caixa de velocidades (igual a todos) é bem guiada mas pouco refinada - sentia-se constantemente aquela sensação dos carretos a encaixar.

Curiosamente achei que o Sandero Stepway se comporta melhor e é mais confortável que o modelo normal. Tal como no Sandero a suspensão é mole, o que permite que adorne um pouco nas curvas e quando se acrescenta uma suspensão mais alta à equação esperava que ele inclinasse ainda mais nas curvas dando um condução menos segura, mas não é que acontece - o acerto da suspensão torna-o mais confortável, sem parecer adornar mais dando confiança ao volante.

Sim, a condução ainda parece desactualizada mas a subida da suspensão parece ter sido boa para o Sandero.

Antes que pense em levar o Stepway muito fora da estrada um aviso - recebe uma maior altura ao solo mas é só isso: os pneus são de estrada, a tracção é apenas à frente e ao contrario do Renault Captur por exemplo não recebe um sistema de controlo de tracção avançado nem por opção. 


Concluindo
O Sandero Stepway consegue fazer varias coisas por um preço relativamente baixo: torna o Sandero mais confortável, dá-lhe uma ar mais moderno e pode sair "ligeiramente" da estrada - é o bilhete de entrada para o mundo dos crossovers.

Tal como no Sandero é aceitável em termos de sofisticação e qualidade, e tal como o Sandero não dá para ignorar o preço. A melhor escolha do Sandero Stepway é a equipada com o 1.5 dCi que custa cerca de 16 mil euros e o mais próximo que arranjei de outra marca foi o Juke Visia que custa com um motor a gasolina de 94 cavalos com equipamento comparável e traçao dianteira por 18.325 euros.

E o Sandero consegue ser mais pratico e espaçoso - eu sei porque já tentei e falhei sair com dignidade do banco traseiro de um Juke.

Quando ensaiei o Sandero disse que seria o automóvel perfeito para aquela pessoa para quem a vontade/prazer de viajar e a necessidade de viajar são 2 coisas completamente diferentes - bem, se concorda e gosta dos crossovers, então vai gostar do Sandero Stepway. 

Recomendo a versão com o 1.5 dCi e escolha a opção do pneu suplente - nunca se sabe quando faz falta. 

Positivo 
- Crossover acessível 
- Espaço interior/funcional 
- Fiabilidade/resistência 
- Conforto em estradas em mau estado 

Negativo 
- Não há modelo acessivel
- Adornar da carroçaria e curva
- Refinamento mecânico

Proximo na lista é o Logan MCV

BBC procura substitutos para Clarkson?

|0 comentários
Segundo o DailyStar a BBC esta a considerar propor Stephen Fry para o lugar de Clarkson no Top Gear. 

Depois de não conseguir convencer Hammond e May a continuar a série sem Clarkson a BBC parece ponderar fortemente na possibilidade de o substituir por alguém que encaixe no perfil sem ser tão controverso - Stephen Fry é um colosso intelectual, actor cómico brilhante e um grande fã dos automóveis clássicos. Teremos que esperar para ver o que acontece...

McLaren P1 GTR - video

|0 comentários
O novo McLaren P1 GTR (e até o P1 "normal") pertence aquela grupo dos elefantes brancos com 4 rodas - os hiper-carros. E eis que o pessoal da Autocar teve a possibilidade de conduzir este monstro dos circuitos.

[update video]McLaren 675LT em Genebra

|0 comentários
Disse-o antes, digo-o outra vez - o salão de Genebra deste ano é uma explosão de potência e eis a mais recente presença confirmada: o McLaren 675LT, LT com em Long Tail. Curiosamente essa ultima parte não é verdade mas já la chego... 

Este McLaren 675LT é uma versão mais radical do 650S para os circuitos mas legal na estrada - basicamente a resposta da McLaren ao 911 GT3 e o Vantage GT3. O V8 biturbo, como o nome indica, debita 675 cavalos ou seja mais 25 que o 650S (pelos vistos metades dos componentes do motor são novos relativamente ao 650) associado a uma melhorada caixa DSG de 7 velocidades. 

Mas pesa menos 100 quilogramas que o 650S o que significa que o novo 675LT é capaz de ir dos 0 aos 200 km/h em 7,9 segundos e atinge 330 km/h. E se está a perguntar quanto demora a chegar aos 100 km\h...demora tão pouco tempo que nem vale a pena mencionar - 2.9 segundos. 
Esses 100 quilos poupados vieram da remoção do ar condicionado e uso de materiais compósitos um pouco por todo o lado, resultando num peso final (sem fluidos) de 1230 quilogramas - acho que um Clio pesa mais. 
Mas a "suposta" grande diferença é a aerodinamica deste "Long Tail" - gera, conjuntamente com um spoiler dianteiro capaz de depilar o alcatrão e um enorme difusor traseiro, mais apoio aerodinamico que o 650S coupe. Só que ele não tem uma "cauda longa" - ele é apenas 34 milímetros mais comprido que o 650S e esses milímetros vêm dos apêndices aerodinamicos acrescentados!


Update 20-03-2015

May e Hammond recusam filmar Top Gear sem Clarkson

|0 comentários
A BBC parece que tentou cortar nas suas perdas pedindo a James May e Richard Hammond que filmassem os últimos episódios de Top Gear sem Jeremy Clarkson - algo que recusaram. Ou seja, teríamos as gravações de exterior já gravadas com Clarkson e depois as filmagens de estúdio sem sem Clarkson. 

Sinceramente concordo com a decisão de May e Hammond - não estou a defender Clarkson e a sua atitude de "Prima donna" que por preferir ter ficado nos copos atrasou uma viagem em 2 horas e depois agride uma pessoa porque não havia comida quente à sua espera, mas porque teria arruinado o programa tornando-o numa anedota. 

Segundo o jornal, ambas as partes já deram as suas explicações oficiais à BBC e agora só falta a direcção anunciar a sua decisão.

Artigos 4rodas1volante

|1 comentários
O 4rodas1volante pretende ser um blog dedicado ao automóvel e a tudo o que o rodeia. Fornecendo noticias atualizadas que despertem interesse e discussão dos leitores mas também conteúdo que nos diferencie dos restantes sites - fazer a diferença. Nós existimos para provar que o automóvel não é só um meio de transporte mas algo que faz parte de expressão humana.

Procuramos informar, debater, divertir e mantendo/nutrindo o nosso publico, crescer. E uma das nossas pedras basilares são os artigos - já temos bastantes (+55) e vamos ter mais. Para já, fica aqui uma lista dos que já existem - só o futuro dirá o que virá a seguir.

Dacia Sandero - ensaio
Novo Mini - história com 4 rodas
Citroen C4 Cactus - ensaio
Ano novo, condutor novo?
BMW i3 - ensaio
2015 - o ano dos inesperados?
Descobrir a Euforia do Futebol com o Mercedes Classe A
Novo Nissan Note - ensaio
Toyota Auris Touring Sports Hibrida - Ensaio
Salão automóvel de Genebra 2014 pelo Turbo-lento
Apple CarPlay vs Google Automotive Link vs MirrorLink
72 Horas Non-stop da Renault inspiram
Novo Peugeot 308 ensaio
Mal posso esperar por 2014
Novo Renault Clio Sport Tourer 0.9 TCe - ensaio
Salão de Los Angeles e Tóquio 2013 - segundo o Turbo-lento
Quem não aprende com a história arrisca-se a repeti-la
Velho demais para conduzir, novo demais para morrer
Liberdade atrás do volante
Salão de Frankfurt 2013 - segundo Turbo-lento
Peugeot 2008 ensaio
Consumos de combustivel irrealistas
Sorte ao jogo, azar nos automoveis?
Renault Captur ensaio
Sinal sonoro dos tempos
Futuro - combustão ou eléctrico?
Etiquetas Europeia de pneus - cuidado na leitura
Industria automóvel Europeia em 2013
Pneus ecológicos - o verde também mata
O futuro da industria automóvel...talvez na sua casa
Os mais importantes automóveis de competição de sempre
O que vestir atrás do volante?
Ensaio Renault Twizy
Toyota Yaris Hibrido - ensaio
Auto-estradas não, eu gosto de conduzir
Industria automóvel na Europa - futuro
Toyota GT 86 - ensaio
Colocar Darwin atrás do volante
Peugeot 508 RXH - ensaio
Renault Fluence ZE - ensaio
O que esconde a guerra ao automóvel
Novo Peugeot 208 - ensaio
Os piores automóveis de sempre e os mais peculiares
Quem conduz um Saab?
Progresso tecnológico com 4 rodas e 1 volante...Boink!
Roubo automovel versão 2.0
A importância de um nome
Renault Twizy - o eléctrico que faz sentido ?
70 anos de Jeep: 1941-2011
Motores ou obras de arte?
Homem com H procuram-se
Os Automoveis mais importantes de sempre
A fazer antes de morrer
Jaguar XJ220 - História sobre rodas
Cizeta V16T - historia sobre rodas
Carros eléctricos - o futuro ou treta ? Parte Deux!
Porsche 959 - Historia sobre rodas
Estrelas com 4 rodas e 1 volante
Ensaio Alfa Romeo Giuletta 1.6 JTDM
2011 - Ano negro para o condutor português
200 anos Peugeot
Carros de sonho do meu Pai
Turbo-lento vê a luz nas 2 rodas
Qual é o teu carro de sonho?
A crise da meia idade e o automovel
Ambiente ou um V12?
Ariel Atom
Ensaio Novo Opel Astra
Automoveis dos anos 80
A ditadura do motor a combustão interna
Vencedores Carro Europeu do ano
Salvem o mundo - Matem a vossa bicicleta
Jeremy Clarkson e o Discovery 4
Carros eléctricos - o futuro ou treta?
Gasolina é melhor que gasoleo
Armindo Araújo - O Nosso Campeão de Rallyes
Super bock no seu carro
Febre automovel
100 melhores carros de sempre
Nissan GT-R Very Important Car
Controlo de pressão de pneus obrigatorio em 2012
Pensão não - compre um carro
Pneus verdes
Kia Ceed mostra o que vale
S2000, o fim dos WRC?
Carpool para o inferno
Os carros novos brasileiros
O legado de Ferruccio Lamborghini
Historia do logo M
Investimento seguro
Medidas de (in) segurança
Branco - a cor da moda auto
Ensaio novo Ford Ka
Carro aprende com o PC
Alterações a nível da aerodinâmica na F1
O Sistema KERS na F1
Alterações dos pneus na F1
Vaca Sagrada de 4 rodas
Melhor estrada de Portugal
Automóveis a pedido do Sultão do Brunei
Viver rápido, morrer jovem...mas viver
Ensaio novo Renault Megane
Turbulencia a 2 rodas
Caçadores de Mitos nas 4 rodas
O melhor carro de sempre
Economias de escala...TRETA!
As melhores ultrapassagens
Tributo ao grupo B
Historia sobre rodas: Dauer Porsche 962
Porto campeão: Ditadura automóvel funciona!
Consultório: Mapas online
Stand Automóveis em Second Life
Hibridos - desfazer o mito
Camuflagem urbana
Distrações ao volante
O que é que o seu carro diz de si?
Os mais vendidos do Brasil
Paciência de Chinês
Driving miss Leonor...
Guia 4rodas1volante - Como gastar pouco
Crise de identidade
Viajar: GPS vs Mapas
100 melhores carros de sempre
Primeiro concurso Quatro rodas e um volante!
Crianças a bordo...perigo constante!
Nurburgring - Parte 2
Nurburgring - Parte 1
Existem poucas coisas assim... 911 GT3 RS
Fim de tarde... NSX

Fui à internet e encontrei isto

|0 comentários
Sim, chegou o fim de semana - e não, não vai haver Top Gear!











"