Victory By Design - Jaguar

|0 comentários
"Victory by Design" foi um documentário dos anos 90 sobre marcas automóveis famosas. Começou com um filme sobre a Porsche rapidamente cresceu e abarcou outras grandes marcas. Grandes máquinas conduzidas como deve ser e o som de outro mundo...vale a pena ver.

[update videos]Jaguar XJ220 - História sobre rodas

|0 comentários
A Jaguar é um construtor automóvel histórico que já produziu inúmeros desportivos, na maioria adaptações de modelos de competição para fins de homologação, mas nunca tinham fabricado um hiper-carro - até produzirem o Jaguar XJ220.
Esta é a historia de como um construtor tinha os ingredientes e receita certa mas ao permitir os contabilistas meter o nariz estraga tudo relegando o XJ220 a um canto obscuro da historia - também não ajudou o timing da crise financeira da altura.
O XJ220 nasceu em Dezembro de 1984 na mente de Jim Randle que com o seu filho Stephen desenharam o que seria o Jaguar de topo. Mas como não havia "espaço" para o XJ220 na produção da Jaguar ele tinha que ser desenvolvido fora dos projectos oficiais, sem grande orçamento e nunca no horário normal de trabalho. Durante 1985 vários fornecedores ofereceram componentes e trabalho de prototipagem e um pequeno grupo de 12 engenheiros e designers juntaram-se para trabalhar fora de horas e aos fins de semana - dai chamarem-se o "Saturday Club". Jim Randle tinha a visão de um carro com um versão menos potente do V12 do Jaguar XJR-9 que venceu Le Mans com a tecnologia necessária para o tornar um estradista capaz - tracção integral, ABS, controlo de tracção, suspensão activa e direcção as 4 rodas. Claramente inspirados pelo o lançamento do Porsche 959.
Para tal colocaram um V12 de 6.2 litros fornecido pela Tom Walkinshaw Racing em posição central de um chassis de alumínio e um tracção integral para melhor colocar a potencia na estrada. A carroçaria foi desenhada por Keith Helfet com inspiração no XJ-13 que nunca correu. Outros detalhes importantes foi a especial atenção à aerodinamica a alta velocidade, portas tipo tesoura e faróis cobertos.
O primeiro prototipo foi completado sem grande influencia da direcção da jaguar e só uma semana antes da sua estreia no salão automóvel inglês de 1988 é que recebeu a bênção da direcção para ser apresentado a potenciais clientes. A recepção foi tão boa que foi decidida a produção em serie limitada com um preço de, na altura, £361,000 (420.000 euros).


A Jaguar conseguiu os depósitos suficiente para financiar o desenvolvimento final do XJ220, que infelizmente demorou 2 anos antes de chegarem à especificação final. Para passar do prototipo à produção a Jaguar contactou Tom Walkinshaw, o responsável pelos XJR-9LM vencedores de Le Mans. Tom Walkinshaw disse que o XJ220 podia ser produzido e ter retorno financeiro mas não na forma inicialmente prevista - seria necessário redesenhar o automóvel mantendo a forma original mas com um V6 bi-turbo e tracção traseira para assegurar um comportamento desportivo.
Não podia ter um V12, nem ter 4 rodas motrizes com toda a tecnologia - com o peso todo não havia garantias de que os pneus aguentassem. As alterações eram para permitir um carro mais pequeno e mais leve mas mantendo o design inicial. Os beneficios da tracção integral eram pequenos e podiam ser conseguidos trabalhando o efeito de solo sem a complexidade, peso e custo da tracção integral.
Relativamente ao motor V12, o seu tamanho e peso não o permitiam - e mesmo se o pusessem, se debitasse os previstos 500 cavalos não seria possível cumprir os limites de emissões. Dai a troca do V12 para o V6 biturbo da TWR com 3.5 litros desenvolvia 542 cavalos e 644.0 nm de binário às 4.500 rpm.
O XJ220 foi o primeiro automóvel de estrada de produção a usar efeito de solo para gerar apoio aerodinamico em velocidade. A frente reduzia a quantidade de ar que passava por debaixo do carro e o pouco ar que passava era acelerado pelos 2 túneis venturi criando uma depressão debaixo do XJ220 e a diferença de pressão entre a parte de cima e o fundo do carro empurravam o carro para a estrada.
O primeiro protótipo de produção iniciou os testes de estrada no dia 1 de Junho. Os testes decorreram em pistas como o Nürburgring, Nardo e a pista da Ford em Fort Stockton em que o XJ220 era capaz de médias de 334km\h tendo atingido 341 km\h em Julho de 1991 - o carro de estrada mais rápido da época, Martin Brundle conseguiu atingir na oval de Nardo (depois de tirar os catalisadores que roubavam cerca de 60 cavalos) 351km\h o que equivale a 359km\h em estrada plana.
Tinha mais potencia que o V12 inicialmente previsto mas passou a alimentar apenas o eixo traseiro, turbo lag era caracterizado como desesperante e travões que não conseguiam parar o carro. As portas em tesoura foram também abandonadas por portas clássicas e muitos elementos interiores foram substituídos por material tirado de Fords da altura.
Mesmo assim, era capaz de atingir os 349km\h e ir dos 0 aos 100km\h em apenas 3,9 segundos e ainda faz suar muitos dos supercarros modernos.
Ao serem confrontados com as alterações de características, aumento de preço e a chegada de uma grave crise económica muitos clientes tentaram cancelar as encomendas, algo que chegou à barra do tribunal mas a Jaguar venceu e a única maneira de se livrarem da encomenda era pagar uma multa elevada. Mesmo com estes precalços, a produção do Jaguar XJ220 arrancou numa fabrica dedicada em Bloxham e os primeiros clientes incluíam o Sultão do Brunei e Elton John.
Entre 1992 e 1994 foram produzidos 208 unidades, ligeiramente abaixo das 220 previstas.

Competição
Desde a fase de conceito que Jim Randle queria que o XJ220 participasse em corridas para criar um pedigree e não apenas uma ligação de marketing ao protótipos do Grupo C que a TWR corria - queria uma ligação directa entre o carro de competição e o carro de estrada. Em Janeiro de 1993 a Tom Walkinshaw Racing (TWR) e a Jaguar Sport lançaram o Jaguar XJ220C para competir na classe GT da FIA. E em simultâneo anunciaram o XJ220S que era uma versão de estrada desse XJ200c para cumprir as normas de homologação.
3 XJ220 participaram nas 24 horas de Le Mans em 1993 tendo apenas um conduzido por John Nielsen, David Brabham e David Coulthard terminado no topo da sua classe conduzido...apenas para perder essa vitoria algumas semanas depois devido a incumprimento de regras técnicas.
Todos os painéis de alumínio da carroçaria foram substituídos por painéis de fibra de carbono (excepto as portas) e acrescentaram vários apêndices aerodinâmicos incluindo um aileron traseiro regulável. O motor foi puxado ao máximo até debitar 680 cavalos e 714 nm de binário, tornando o XJ220S capaz de ir dos 0 aos 100km\h em 3,3 segundos e atingir 370km\h.
Foram fabricados apenas 9 TWR XJ220C e apenas 6 na versão de estrada S - a maioria foram parar, infelizmente, aos Estados Unidos.

Videos vários
Record Não oficial do Nurburgring em Setembro 1991 com o prototipo do XJ220 conduzido por John Nielsen

Prototipo original do XJ220 de 1988 com o V12 inicialmente previsto

Top Gear ensaia o Jaguar XJ220


Vídeo promocional do Jaguar XJ220


Clip de "Jaguar - Victory By Design"

Novo Kia Picanto apresentado

|0 comentários
A Kia publicou imagens e detalhes do novo Kia Picanto que ira apresentar em Genebra - sim, ainda falta bastante mas a marca coreana estava impaciente para apresentar a terceira geração do Picanto, sem duvida mais picante e agressiva que a anterior...ultima piadinha prometo.
A terceira geração do Picanto mantém os 3,60 metros de comprimento da anterior geração mas com distancia entre eixos aumentada em 15 milímetros, para-lamas alargados, assinatura luminosa agressiva e nesta versão GT bastante musculado. Infelizmente perde a versão 3 portas estando agora apenas disponível com 5 portas.


No interior recebe o já esperado ecrã táctil no topo do tablier, o conjunto de instrumentos é mais clássico, a mala é maior, recebe novas tecnologias e possibilidades de personalização. Já sobre o que se esconde debaixo do capot teremos que esperar pelo salão.

Audi Quattro - The Official Story

|0 comentários
Se tiver uma horita para queimar recomendo este vídeo dedicado à historia do Audi quattro (creio que agora se escreve com o "q" minúsculo), o modelo que dominou o mundo dos rallies mas também como evoluiu depois do fim dos Grupo B.

BMW Série 5 versus BMW Série 5 - video

|0 comentários
Com a 7ª geração do BMW Série 5 a chegar, a marca alemão publicou um curto comparativo (em termos de design) com a geração que substitui.

Momento "Sonoro" do dia

|0 comentários
Um video do omnipresente entre as grandes máquinas Marchettino - desta vez à saida do Concorso Italiano de 2016 com várias magnificas máquinas a acelerarem a fundo ao entrarem na estrada. E a lista inclui o raríssimo Alfa Romeo Disco Volante, Ferrari Enzo, 599 GTB, Lamborghini Miura e um Countach...um verdadeiro pim-pam-pum dos melhores automóveis do mundo. Aumentem o volume e sintam os pêlos da nuca a levantar.

Ayrton Senna e o Honda NSX - video

|0 comentários
Ayrton Senna pode ter falecido em 1994 mas nunca será esquecido dentro e fora dos grupos de fãs dos automóveis e desporto automóvel. Menos conhecido é talvez o papel da Senna no desenvolvimento do Honda NSX - o holandês Robbert Alblas criou uma curta-metragem chamada "Senna's Legacy - The NSX" exactamente acerca disso.

Lamborghini Veneno dança na chuva...cuidadosamente

|0 comentários
Hipercarros não gostam de chuva, hipercarros de série limitada ainda menos - neste video de um track day oficial da Lamborghini vemos um Veneno a fazer as curvas em pontinhas de pés mas a soar glorioso enquanto o faz (nos poucos momentos em que a musica irritante ou anunciador não estragam o momento)...

Mazda - vídeos oficiais

|0 comentários
A Mazda do Reino Unido arrancou uma série de vídeos dedicados a tudo do universo Mazda (gama atual, clássicos, concepts e tudo pelo meio), tendo em conta que a maioria dos vídeos oficiais da marca vêm em japonês é sem dúvida algo bem vindo para os fãs. Ficam abaixo os episódios já publicados e irei atualizando conforme novos surgirem.


Episódio 1 - o MX-5


Episódio 2 - bastidores da apresentação do novo MX-5 RF e Mazda CX-5


Episódio 3 - bastidores da apresentação do novo MX-5 RF


Episódio 4 - recordar Mazda 2016 e novos anúncios


Episódio 5 - o "Mazda Drive Together" e o Mazda Cosmo Sport


Episódio 6 - o Cheddar Gorge no MX-5 e o concept RX-VISION

Cerveja de molho?!

|0 comentários
Os suecos têm um clima lixado, eu sei que vivi lá durante 6 meses. Daí que o pessoal nórdico passa muito tempo em casa o que lhes dá tempo e oportunidade para ideias interessantes como mobiliário inteligente, o Volvo XC90 que dada a oportunidade juro que a minha esposa me trocava por um e agora os suecos da PangPang (sim, é mesmo esse o nome) desenvolveram a primeira cerveja para ser consumida no chuveiro. A que originalmente chamaram “Shower Beer”...será que a Super-Bock sabe diferente no chuveiro? Ensaio para breve ;)

[update]Mazda MX-5 RF apresentada

|1 comentários
A Mazda resolveu tirar uma página do manual de operações da Porsche para criar uma versão Targa do seu novo MX-5, acabadinho de receber o título de Automóvel Mundial do Ano. Este é o Mazda MX-5 RF, "RF" de Retractable Fastback, claramente inspirado no Porsche 911 Targa.


Se a anterior geração era um Coupé-Cabriolet este prefere o look Targa diferenciando-se do descapotável pelos 2 aros de segurança fixos por detrás dos ocupantes e pelo bailado do tejadilho que pode ser efetuado em andamento até 10 km\h. Estará disponível com ambos 1.5 e 2 litros Skyactiv-G, o ultimo pode receber caixa automática.




Em termos de diferenças para o MX-5 descapotável, além dos aros de segurança, é 5 milímetros mais alto, ligeiramente mais pesado (mais 50 quilogramas), o interior deve ser mais silencioso (isolamento sonoro adicional na capot e cavas das rodas), o interior recebe novos assentos de couro mais confortáveis e pequenos ajustes na suspensão e direção.


update 23-01-2017

Microsoft chega a acordo com a Renault-Nissan

|0 comentários
A Microsoft volta a tentar entrar no mundo do sofware automóvel com novos programas e serviços (não relacionados com a condução autónoma) rivais aos do Google e Apple estabelecendo uma parceria com a aliança Renault-Nissan que será o primeiro cliente da Connected Vehicle Platform da Microsoft que corre na plataforma cloud Azure. 
Este sistema recolhera informação de uma série de sensores e da utilização do automóvel para que os construtores construam serviços que use essa informação com aplicações da Microsoft como a Cortana ou Office.

A Microsoft está a tentar uma nova abordagem, desistiu de ter o seu sistema operativo nos sistemas multimédia dos automóveis e passou a investir na plataforma de informação. Mas não é só a Renault-Nissan a associar-se com a Microsoft, a BMW planeia ter a Cortana em alguns modelos, a Toyota usa o Azure para os seus automóveis "ligados" e a Volvo já tem Skype em alguns modelos.

Kia Stinger apresentado...e vem para cá!

|0 comentários
Quando ouvimos o nome Kia pensamos normalmente em SUVs ou garantia de 7 anos em todos os seus veículos, em coupés de 4 portas como o Mercedes CLS não...mas foi o que apresentaram em Detroit e também virá para a Europa!


Um formato criado pelos alemães chega agora à Coreia - frente agressiva, tejadilho que flui com um ar Audi A7 e a traseira quase vertical com um toque de Giulia Quadrifoglio...tem personalidade. Inspirado no concept GT4 Stinger de 2014 mas apenas levemente - esse era um coupe, este Stinger é um sedan de 4 portas de 4.83 metros (algures entre os A5 Sportback e o futuro Volkswagen Arteon).

Mecanicamente baseado no Hyundai Genesis, terá debaixo do capot um 4 cilindros de 2 litros turbo de 255 cavalos ou o Stinger GT com um V6 de 3.3 litros biturbo de 365 cavalos. Poderá ter tração traseira ou integral via uma caixa automática de 8 velocidades. 

Mas para a Europa (no final de 2017) também estará disponivel com um 4 cilindros de 2.2 litros CRDi de 200 cavalos e 440 Nm de binário do Sorento. Estara acoplado a uma caixa automática de 8 velocidades com tração traseira ou integral. Terá jantes mais pequenas (17 e não 18 polegadas) e o sistema de travagem será menos potente.



Mas a Kia não quer apenas uma cara bonita e o Stinger passou muito tempo no Nürburgring no acerto do chassis e suspensão regulavel (com 5 modos: Personal, Eco, Sport, Comfort e Smart). Mas se muitos podem dizer que testaram os seus modelos no Nürburgring a Kia foi buscar Albert Biermann, um especialista de 30 anos na BMW M...

Momento "Vibratório" do dia

|0 comentários
Se alguma vez pensou "o que seria bom é se fosse que as minhas calças de ganga vibrassem" então está com sorte porque a Spinalli Design acabou de apresentar o par de calças que procura! E sim, podem ter aplicações automóveis...caso contrário não estaria aqui a falar deles ;)
Os franceses (tava-se mesmo a ver...) da Spinalli Design apresentou no CES os Essential Jeans, uma gama de calças inteligentes que podem ligar-se ao seu smartphone para fornecer direcções até ao seu destino vibrando sensores em cada lado das calças para lhe indicar se tem que virar à esquerda ou direita. Ou seja, nunca terá de ficar a olhar para o ecrã do telemóvel para ver para onde tem que ir. E se virar na direcção errada ambos vibram.

Os "Essential jeans" têm uma bateria incorporada que dura 4 anos se usar o GPS uma vez por semana.
Mas os seus jeans também podem vibrar quando receber mensagens importantes, emails e outras notificações - incluindo, se alguém quiser entrar nos seus jeans. Yup, se encontrar outra pessoa também com o mesmo tipo de jeans e o achar atraente pode sempre fazer as calças dele/dela vibrarem.

[update videos]Novo Hyundai i30 apresentado

|0 comentários
Ao fim de 5 anos temos a 3ª geração do Hyundai i30 - e receita vencedora não muda, evolui: linhas mais suaves, interiores mais cuidados e novas tecnologias.
As linhas são menos agressivas que a geração anterior, é mais comprido em 4 centímetros (4,34 metros no total), mais largo em 15 milímetros (1,795 metros no total) e 15 milímetros mais baixo (1,455 metros no total). Se me é permitida a ousadia, é bastante "europeu" no design. E se na traseira temos um pouco de Golf ou BMW serie 1, o perfil é um pouco Peugeot 308.

A julgar por uma pequena imagem da apresentação dá para perceber que irá ter 3 carroçarias diferentes: 5 portas hatchback, carrinha e coupe.

O interior é muito mais simples, com menos botões. O tablier é dominado pelo ecrã táctil que pode ser de 5 polegadas na versão base (inclui Bluetooth e camara de marcha-atrás) ou de 8 polegadas na versão mais cara (que inclui compatibilidade Apple CarPlay, Android Auto e carregamento de telemóveis sem fio)mas o conteúdo tecnológico não fica por aí: cruise control ativo, leitura de avisos de estrada, ajuda a manutenção da fila de transito entre outras.



Debaixo do capot confirmam-se as novidades, mas só a gasolina: recebe o 3 litros de 1 litro turbo T-GDi (120 cavalos e 170 Nm de binário), e o 4 cilindros de 1.4 litros em versão atmosférica MPI (100 cavalos e 134 Nm de binário) e turbo T-GDI (140 cavalos e 242 Nm de binário). A diesel mantém-se o 1.6 litros CRDi com 95 cavalos/280 Nm, 110 cavalos/280 Nm e 136 cavalos/300 Nm. Poderá escolher entre uma caixa manual de 6 velocidades (única opção nos 1.4 MPI, 1.0 T-GDi e diesel de 95 cavalos) e uma de dupla embraiagem de 7 velocidades (opcional no 1.4 T-GDi e restantes diesels).

A Hyundai também está decidida que o i30 se demarque em termos de comportamento: chassis 22% mais rígido, bastante do desenvolvimento feito no Nurburgring, boa performance aerodinâmica (apenas 0.30), todos os modelos recebem suspensão traseira multi-link, amortecedores acertados para performance e direção mais rápida e direta.
"