Renault Clio RS 16 concept apresentado

|0 comentários
Este é o Renault Clio RS 16, ou o que acontece quando um Clio recebe um transplante de coração de um Mégane RS. Ocasionalmente a Renault perde a cabeça - o que não é necessariamente uma coisa má: por exemplo um dia lembram-se de colocar um V6 no banco traseiro de um Clio e sabemos como isso correu. 
Desta vez como a Renault queria levar algo de especial para o Grande Prémio do Mónaco para celebrar os 40 anos da Renault Sport mas não tinham muito tempo: daí que pegaram num Clio RS Trophy e na maior calçadeira que encontraram para trocar o 4 cilindros de 1.6 litros turbo com 220 cavalos e 260 Nm pelo 4 cilindros do mano mais velho Megane RS Trophy-R com 2 litros que debita 275 cavalos e 360 Nm no eixo dianteiro. Recebe também a caixa de velocidades e o sistema de refrigeração do Trophy-R.

A suspensão dianteira é nova usando um misto de componentes novos e de outros automóveis (Megane, Kangoo and Espace), os amortecedores do Trophy-R, os discos dianteiros e sistema de travagem são do Nurburgring Pack disponível no Megane, novas jantes de 19 polegadas, vias alargadas, o aileron e difusor traseiro da versão de pista Cup, o escape é da Akrapovic e todos os sistemas eletrónicos foram recalibrados para digerir toda aquela potência.
Para completar a insanidade acrescentaram assentos de competição e uma bateria de lítio, tiraram o ar condicionado e assento traseiro para melhorar o peso.
Infelizmente a Renault não publicou números sobre do que este concept é capaz. Se ira ser produzido é outra questão - é um concept mas baseado na sua maioria em componentes que a Renault já produz em volume, logo a homologação para estrada e desenvolvimento não há de ser muito complicada ou dispendiosa. Uma série limitada não será de descartar.

Nissan produz 50.000º Leaf em Inglaterra

|0 comentários
Um marco silencioso digno de nota - a Nissan produziu o seu 50.000º Leaf e respetivas baterias na sua fábrica de Sunderland desde que arrancou a produção em 2013. E daqui seguem para 23 países diferentes pelo mundo fora e é o automóvel elétrico mais vendido de sempre com mais de 220.000 unidades vendidas. 
E com esse marco a Nissan apresentou algo de interessante que vai começar a ser testada no Reino Unido - imagine que chega a casa ao fim do dia e ainda tem bastante carga no seu Leaf, então vende essa carga restante durante o dia para depois carregar completamente durante a noite a um preço mais baixo.

Carta de condução por pontos

|0 comentários
O novo sistema da Carta por Pontos entra em vigor no dia 1 de junho - abaixo está o que precisa de saber, cortesia da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária.  


1. “CARTA POR PONTOS”. O QUE É? 
Ao título de condução de cada condutor serão atribuídos 12 (doze) pontos a partir de 1 de junho de 2016. Por cada contraordenação grave ou muito grave, ou crime rodoviário, serão subtraídos pontos. Se não praticar contraordenações graves, muito graves ou crimes rodoviários, podem ser atribuídos pontos. Se praticar uma contraordenação grave ou muito grave, para além da coima e eventual inibição temporária de conduzir, também perderá pontos.  

2. TENHO QUE SUBSTITUIR A CARTA DE CONDUÇÃO? 
Não. O novo sistema de carta por pontos não implica nenhuma substituição de documentos. Os pontos são subtraídos e adicionados informaticamente.

3. AS INFRAÇÕES PRATICADAS ANTES DE 1 DE JUNHO DE 2016 TIRAM PONTOS? 
 Não. Qualquer contraordenação grave ou muito grave, ou crime rodoviário, praticado antes da entrada em vigor deste sistema, será punido ao abrigo do regime anterior e não terá como consequência a subtração de pontos.  

4. QUANDO É QUE SÃO RETIRADOS PONTOS APÓS PRATICAR A INFRAÇÃO? 
Os pontos só são subtraídos na data da definitividade da decisão administrativa ou do trânsito em julgado da sentença. 

5. QUANTOS PONTOS SÃO RETIRADOS EM CONTRAORDENAÇÕES GRAVES (artigo 145º do CÓDIGO DA ESTRADA)? 
Aquando da prática de uma contraordenação grave, na sua generalidade, são retirados 2 (dois) pontos. São retirados 3 (três) pontos nas seguintes contraordenações graves: - Condução sob influência de álcool, com uma taxa de alcoolemia igual ou superior a 0,5g/l e inferior a 0,8g/l ou igual ou superior a 0,2 g/l e inferior a 0,5 g/l quando respeite a condutor em regime probatório, condutor de veículo de socorro ou de serviço urgente, de transporte coletivo de crianças e jovens até aos 16 anos, de táxi, de automóvel pesado de passageiros ou de mercadorias ou de transporte de mercadorias perigosas; - Excesso de velocidade superior a 20 km/h (motociclo ou automóvel ligeiro) ou superior a 10 km/h (outro veículo a motor) em zonas de coexistência; - Ultrapassagem efetuada imediatamente antes e nas passagens assinaladas para a travessia de peões ou velocípedes. 

6. QUANTOS PONTOS SÃO RETIRADOS EM CONTRAORDENAÇÕES MUITO GRAVES (artigo146º do CÓDIGO DA ESTRADA)? 
Aquando da prática de uma contraordenação muito grave, na sua generalidade, são retirados 4 (quatro) pontos. São retirados 5 (cinco) pontos nas seguintes contraordenações muito graves: - Condução sob influência de álcool, com uma taxa de alcoolemia igual ou superior a 0,8g/l e inferior a 1,2g/l ou igual ou superior a 0,5 g/l e inferior a 1,2 g/l quando respeite a condutor em regime probatório, condutor de veículo de socorro ou de serviço urgente, de transporte coletivo de crianças e jovens até aos 16 anos, de táxi, de automóveis pesado de passageiros ou de mercadorias ou de transporte de mercadorias perigosas, bem como quando o condutor for considerado influenciado pelo álcool em relatório médico; - Condução sob influência de substâncias psicotrópicas; - Excesso de velocidade superior a 40 km/h (motociclo ou automóvel ligeiro) ou superior a 20 km/h (outro veículo a motor) em zonas de coexistência.  

7. QUANTOS PONTOS SÃO RETIRADOS POR CRIME RODOVIÁRIO? 
São retirados 6 (seis) pontos.  

8. QUAL O MÁXIMO DE PONTOS QUE PODEM SER RETIRADOS SE PRATICAR VÁRIAS CONTRAORDENAÇÕES EM SIMULTÂNEO? 
Quando praticadas várias contraordenações graves e muito graves no mesmo dia, são retirados no limite 6 (seis) pontos. No entanto, se entre as condenações por contraordenação grave ou muito grave estiver em causa a condução sob influência do álcool ou sob influência de substâncias psicotrópicas, são ainda retirados os pontos respetivos (3, 5 ou 6 – consoante seja grave, muito grave ou crime).  

9. COM O REGIME DE CARTA POR PONTOS TAMBÉM TENHO QUE ENTREGAR A CARTA DE CONDUÇÃO PARA CUMPRIR A INIBIÇÃO DE CONDUZIR? 
Sim, os pressupostos da determinação da medida da sanção acessória mantêm-se. Após a prática de contraordenação grave ou muito grave, o processo corre os seus trâmites legais, e no caso de haver decisão condenatória de sanção acessória de inibição temporária de conduzir, o condutor deverá entregar o seu título de condução para cumprimento da mesma.  

10. POSSO GANHAR PONTOS? COMO? 
Sim. No final de cada período de 3 (três) anos, sem que sejam praticadas contraordenações graves ou muito graves, ou crimes de natureza rodoviária, são atribuídos 3 (três) pontos ao condutor, não podendo ser ultrapassado o limite de 15 (quinze) pontos. A cada período da revalidação do título de condução, sem que sejam praticados crimes rodoviários, e o condutor tenha frequentado voluntariamente ação de formação de segurança rodoviária, é atribuído um ponto ao condutor não podendo ser ultrapassado o limite de 16 (dezasseis) pontos. Este limite é aplicado apenas em situações em tenham sido atribuídos pontos conforme previsto no parágrafo anterior, caso contrário mantém-se o limite máximo de 15 (quinze) pontos.  

11. OS 3 ANOS, PARA EFEITOS DE ADIÇÃO DE PONTOS, SÃO CONTADOS A PARTIR DA DATA DA ÚLTIMA INFRAÇÃO OU DA DATA DA DEFINITIVIDADE DA DECISÃO ADMINISTRATIVA SOBRE ESTA? 
Os 3 (três) anos são contados a partir da data de definitividade da decisão administrativa ou do trânsito em julgado da sentença da última infração praticada (contraordenação grave ou muito grave, ou crime rodoviário). 

12. CASO NÃO PRATIQUE NENHUMA INFRAÇÃO, SÃO ATRIBUIDOS 3 PONTOS A 1 DE JUNHO DE 2019? 
Sim, até um limite máximo de 15 (quinze) pontos. 

13. ESTOU NO REGIME PROBATÓRIO, O QUE PODE ACONTECER À MINHA CARTA DE CONDUÇÃO SE PRATICAR UMA INFRAÇÃO? 
Os trâmites legais, em vigor, mantêm-se. Ou seja, no caso da prática de duas contraordenações graves ou uma muito grave, o título de condução é cancelado.  

14. SE FICAR SEM PONTOS, O QUE ACONTECE AO TÍTULO DE CONDUÇÃO? 
No caso de se encontrarem subtraídos todos os pontos, é ordenada a cassação do título de condução em processo autónomo, isto é, fica sem carta de condução. Efetivada a cassação do título de condução, fica impedido de obter novo título durante o período de 2 (dois) anos. Após este período poderá tirar novamente a carta, suportando os respetivos custos.  

15. TENHO 5 OU 4 PONTOS. E AGORA? 
Agora, será obrigado a frequentar uma ação de formação de Segurança Rodoviária. A falta não justificada implica a cassação do título de condução, isto é, fica sem carta de condução e terá que aguardar 2 (dois) anos para a tirar novamente, suportando os respetivos custos.  

16. TENHO 3, 2 ou 1 PONTOS. E AGORA? 
Agora, será obrigado a realizar a prova teórica do exame de condução. A falta não justificada ou a reprovação na prova implica a cassação do título de condução, isto é, fica sem carta de condução e terá que aguardar 2 (dois) anos para a tirar novamente, suportando os respetivos custos.  

17. COMO É QUE SEI QUANTOS PONTOS TENHO? 
Para saber os pontos que tem, deverá registar-se no Portal de Contraordenações Rodoviárias em https://portalcontraordenacoes.ansr.pt/

Alemanha vai repetir testes em 30 automóveis por CO2 elevado

|0 comentários
O governo alemão continua a sua investigação nas emissões automóveis e anunciou que vai pedir a mais testes em 30 automóveis devido a emissões de CO2 inexplicadamente elevadas.
Inicialmente toda esta investigação começou (na Alemanha e outros países) para procurar "dispositivos" de falseamento de emissões de óxidos de azoto durante os testes de homologação depois da Volkswagen ter sido apanhada. Mas durante esses testes também detetaram níveis exagerados de CO2 - segundo os alemães dos 53 automóveis testados, 30 tinham emissões de CO2 elevadas.

São estes automóveis que vão agora ser avaliados, em termos de CO2, e é algo que pode ser preocupante - os impostos de circulação e sobre veículos tem, em quase todos os países da Europa, uma componente de CO2. Já tivemos isto antes também com a VW, mas veio a concluir-se que a diferença era pequena demais para causar aumento de impostos - mas agora estamos a falar de outras marcas (em comunicados anteriores a KBA disse que estaria a testar automóveis do grupo VW, Ford, Opel, BMW, Mercedes, Fiat, Renault, Peugeot e Toyota) e será que alguma delas tem uma diferença de emissões suficiente para saltar de categoria de impostos?

Momento "Alguém não estava a prestar atenção" do dia

|0 comentários
Tendo um Renault recebo frequentemente a Newsletter MyRenault que inclui algumas ideias, propostas e promoções interessantes. Mas ao ler a ultima edição creio que das duas uma: ou o editor estava a dormir na formatura ou estão a promover "algo mais". Leiam abaixo a descrição da promoção de "Massagem 2 pessoas".
É que não é por nada, mas eu li Romeu e Julieta e sei como é que acaba! "Final especial inspirado" no final de Romeu e Julieta?!

Aston Martin Vanquish Zagato Concept apresentado

|0 comentários
A Aston Martin acabou de apresentar um novo concept produzido em parceria com a Zagato baseado no novo Vanquish e é magnífico - este é o Vanquish Zagato.


A marca inglesa e a Zagato já colaboram desde os anos 60:
1960 - Aston Martin DB4 GT Zagato

1986 - Aston Martin V8 Zagato

2002 - Aston Martin DB7 Zagato

2003 - Aston Martin DB AR1

2011 - Aston Martin V12 Zagato

2013 - Aston Martin DBS Coupe Zagato Centennial

2013 - Aston Matin DB9 Spider Zagato Centennial

E agora, 2016, temos o Vanquish Zagato - a carroçaria em fibra de carbono foi redesenhada pela Zagato e inclui elementos como o tejadilho com a dupla boça, os faróis traseiros parecem inspirados do Vulcan, os espelhos do One-77 e com alguns detalhes do novo DB11.

O interior foi também melhorado - notem os Z nos assentos.
Debaixo do capot está o V12 de 5.9 litros puxado para 592 cavalos. E o que isso significa em termos de performance? 
Se está a pensar nisso então não não percebe ou aprecia este concept - ele foi desenhado para ir ao Concorso d'Eleganza Villa d'Este em itália já no dia 22 de Maio e é daquele tipo de automóvel que é verdadeiramente apreciado dentro da garagem com um belo copo de vinho na mão.

Fiabilidade Peugeot 2008

|0 comentários
Os Peugeot 2008 produzidos até ao dia 14 de Julho de 2015 estão a ser recolhidos porque podem ter um cinto de segurança incorretamente montado.
O aperto dos parafusos que fixam a parte baixa do cinto de segurança do lado direito podem não estar correto e na eventualidade de um acidente pode não segurar corretamente.

Fiabilidade Renault Talisman

|0 comentários
O Renault Talisman já esta com várias ações técnicas em curso - abaixo está o detalhe por modelo e data de produção.
- Talisman KPA3, KPA4, KPA5, LPA3, LPA4, LPA5, LPMJ, LPMV produzidos até 03 de Fevereiro de 2016 pode ter o tubo flexível dos travões dianteiros (direito ou esquerdo) incorretamente montados, podendo entrar em contacto com a jante ou pneu causando desgaste que se perfurar pode causar perda de fluido e eficiência de travagem.

- Talisman LPA3, LPA4, LPA5, LPMJ, LPMV produzidos até 11 de Janeiro de 2016 podem ter linhas dos cintos de segurança dianteiros partidas o que pode comprometer a eficiência do cinto em caso de acidente.

Fiabilidade Renault Espace 5

|0 comentários
A Renault Espace (JRA4, JRA5, JRME) tem várias ações técnicas em curso - abaixo está o detalhe por data de produção.
- produzidos até 03 de Fevereiro de 2016 pode ter o tubo flexível dos travões dianteiros (direito ou esquerdo) incorretamente montados, podendo entrar em contacto com a jante ou pneu causando desgaste que se perfurar pode causar perda de fluido e eficiência de travagem.

- produzidos até 11 de Janeiro de 2016 podem ter linhas dos cintos de segurança dianteiros partidas o que pode comprometer a eficiência do cinto em caso de acidente.

- produzidas até 18 de Setembro 2015 podem ter o alinhamento do eixo dianteiro incorreto devido ao braço inferior da suspensão não estar corretamente fixado, causando desgaste assimétrico dos pneus.

- produzidas até 14 de Dezembro de 2015 podem ter parte do tejadilho de vidro incorretamente fixado podendo soltar-se em movimento.

BMW 2002 Hommage apresentado

|0 comentários
Mais um ano, mais um concept Hommage no Concours d'Elégance de la Villa d'Este - não fosse parceiro do evento. E este ano a BMW resolveu homenagear o 2002 dos anos 60 com um concept baseado no M2.


Se a BMW fala no 2002, creio que é impossível não fazer a ligação a um modelo do 2002 em particular: ao BMW 2002 Turbo de 1973. Foi o primeiro BMW de série com motor turbo - um 2 litros turbo com 170 cavalos tirado do BMW Turbo concept, sendo capaz de atingir 210 km\h e acelerar dos 0 aos 100km\h em 8 segundos. A potência chegava de forma brutal e era preciso coragem para o conduzir rapidamente - muitos especialistas dizem que foi o falhanço do 2002 turbo que quando a BMW criou os M5 e M3 desenvolveram motores atmosféricos e não turbo. Mas eis que avançando para a atualidade todos os modelos M são turbo-comprimidos.

Incluindo este 2002 Hommage baseado no M2 - temos os pequenos faróis quadrados, a grelha BMW cromada em fundo preto, para-choques dianteiro e traseiro, flancos trabalhados e tampa da mala com aileron incorporado.


Uma bela máquina sem duvida - o que me faz perguntar, porque raio a BMW não é capaz de dar tal "emoção" aos automóveis de série? Já viram o novo Serie 7? Caminhamos perigosamente para beije...

Nova Renault Grand Scénic apresentada

|0 comentários
Depois da versão de 5 lugares ter sido apresentada em Genebra, eis que a Renault (muito convenientemente no dia seguinte à Peugeot apresentar o seu 3008) apresenta a versão longa de 7 lugares - eis a nova Renault Grand Scénic.

Consegue manter o aspeto dinâmico, atraente, com a possibilidade de pintura de 2 tons e jantes de 20 polegadas da versão curta para tentar fazer a Scenic competir com os mais populares SUVs e crossovers. Mantém e prolonga aquela superfície vidrada lateral ondulada da versão curta mas para diferenciar a parte traseira é claramente inspirada na nova Espace.


Ganha 23 centímetros de comprimento relativamente à versão curta para um total de 4,64 metros podendo receber 7 passageiros - em configuração de 5 lugares tem uma mala de 718 litros, mais 40 litros que a atual geração.
No interior temos exatamente o mesmo cuidado e qualidade da Scenic curta especialmente (nas versões de topo) o ecrã vertical do sistema multimédia R-Link 2, bem como para mim talvez o maior erro da Renault: desaparecem os assentos independentes traseiros.
A atual geração tem 3 assentos separados mas mesmo na versão longa mantém o assento traseiro que divide 1/3-2/3 da versão curta. As partes deslizam em carris mas não são extrativeis ou dobram completamente - apenas as costas dobram. Tem a vantagem que é possível rebater os assentos apartir do comando na mala mas parece que o acesso à ultima fileira será no mínimo penoso.
Debaixo do capot vamos ter 5 motores a diesel e 2 a gasolina. A diesel temos o 1.5 litros Energy dCi com 110 cavalos (caixa manual ou EDC de 7 velocidades) ou com 130 cavalos (só com caixa manual de 6 velocidades) e o 1.6 dCi Energy com 160 cavalos apenas disponível com a caixa ED de 6 velocidades. A gasolina apenas vai estar disponível o 1.2 litros Energy TCe disponível com 115 ou 130 cavalos sempre com caixa manual de 6 velocidades. Também vai ter uma versão mild-hibrida chamada "Hybrid Assist" que combina o 1.5 dCi de 110 cavalos com um motor elétrico e uma bateria de 48 volts carregada em desaceleração.

[update videos]Novo Renault Koleos apresentado

|0 comentários
O 1º Renault Koleos foi uma tentativa sem sucesso de importar um SUV fabricado na Coreia para a Europa, mas quando à primeira não consegues tenta de novo. Para já só há esta imagem frontal e o vídeo abaixo, mais provavelmente só quando for apresentado no salão automóvel de Pequim. 
Visualmente parece uma versão SUV do Talisman (se bem que mais comprida - 4,70 metros de comprimento total) baseado na mesma plataforma do Nissan X-Trail. Excepto que deverá ter apenas 5 passageiros tal como o novo Kadjar para não roubar clientela à nova Scenic e Espace, aproveitando os motores de 1.6 litros a gasolina e diesel desta ultima. O principal mercado deste modelo será sem dúvida a China (onde a Renault acabou de montar uma fabrica novinha em folha em Wuhan) mas deve cá chegar em 2017.

Novas imagens










Videos (update 24-05-2016)
"