2015 porque vem depois de 2014

Que nem os canais de televisão que andam a pedir aos astrólogos as suas previsões para 2015, não queria deixar terminar 2014 sem assinalar alguns apontamentos, tendências que vale a pena ter em mente para o mundo automóvel 2015. 

Gigantes da tecnologia avançam para o mundo das 4 rodas - antes um mundo fechado sobre si mesmo, o mundo automóvel começa aos poucos a deixar outros brincarem na sua caixa de areia. Começou com a abertura ao acesso dos sistemas multimédia via os smartphones, mas a Google já prepara um Android não só para correr os sistemas multimédia mas também aceder a todos os sensores do seu automóvel. Claro que ainda temos a condução autónoma (que apesar de ser o futuro duvido que no próximo ano vejamos grandes evoluções) e a comunicação entre automóveis que esta sim deverá surgir em 2015 - estou a falar de automóveis capazes de "comunicar" entre si e avisar por exemplo que estão em rota de colisão mesmo antes do humano atrás do volante se aperceba. 

Híbridos para todos - creio que não há dúvida que o futuro é dos híbridos (os plug-in em particular devem começar a surgir em força para o ano), qualquer que seja o segmento - ter um motor elétrico para apoiar o clássico motor de combustão que por sua vez se tornam cada vez mais pequenos. 
Sim, os 100% elétricos devem continuar a crescer lentamente, mas até alguns desenvolvimentos surgirem (caixas de velocidades e baterias) creio que continuaram a ser marginais. 

O regresso do Turbo - quase esquecido eis que surge em força como a resposta para cumprir as regras de emissões em combinação com motores cada vez mais pequenos. 


Prémio "Não é preciso reinventar a roda" do ano
O mundo automóvel cai facilmente e rapidamente em exageros: o número de botões em alguns dos Citroen do passado recente, a guerra de potência dos alemães, o tamanho dos ailerons nos japoneses, a overdose de equipamentos em muitos modelos e estranhos designes - tudo na corrida para captar mais clientes. Mas a verdade é que muitas vezes a melhor resposta é a "mais simples" e houve alguns exemplos disso mesmo em 2014. 
- Novo Renault Twingo e Smart ForTwo/ForFour - quando a Mercedes e a Renault se sentaram à mesa para discutir como construir um citadino concluíram que a melhor maneira de ter um bom angulo de viragem seria ter a tracção e o motor atrás, algo que permitia também colocar as rodas nas extremidades da carroçaria o que por sua vez permitia aumentar o espaço útil no interior. É a arquitetura perfeita para a cidade e tão simples que custa a acreditar porque é que raio não fizeram isto antes?!

- Citroen C1\Peugeot 108\Toyota Aygo - produzir o mesmo automóvel para 3 marcas diferentes mas como se trata de um citadino de baixo custo na geração anterior apenas o nome, para-choques e os faróis dianteiros diferenciavam os modelos. Mas para a nova geração conseguiram fazer 3 automóveis não só de aspecto mas também de "atitude" diferente. 

- Citroen C4 Cactus - confrontada com a queda de vendas a Citroen tinha que criar algo capaz de seduzir, sem roubar clientes à Peugeot ou à sua actual gama e usar apenas o que tinha à mão. O Citroen C4 Cactus foi o resultado: é um automóvel básico com apenas o que precisa de um automóvel, mas com um twist francês. Foi muito bem desenhado, por dentro e por fora - é "novo", diferente, ligeiramente passado dos carretos mas com a atitude e o preço certo. 



Premio "Testículos de titânio" do ano
Pessoalmente acho que a BMW merece esta menção para o ano de 2014 pela coragem necessária para tornar realidade 2 modelos completamente opostos e nada a ver com a "cultura" BMW - o BMW i8 (primeiro desportivo hibrido) e o Série 2 Active Tourer (primeiro monovolume BMW e de tração dianteira). 

Ambos são modelos que há pouco tempo teriam arrancado gargalhadas à maioria dos amantes do mundo automóvel - mas são realidade. Se bem que ainda é cedo para medir a aceitação do Série 2 Active Tourer (ainda falta a versão 7 lugares para completar a gama) no caso dos i3 e i8 a BMW simplesmente não consegue fabrica-los suficientemente rápido para satisfazer a procura. 


 Prémio "Medalha de Rolha" do ano
- Audi - Há 2 constantes relativamente aos Audi's - uma é que quando adquiridos por alguém em segunda-mão transformam essa pessoa de humano em "algo" fixado em seguir o carro à sua frente a 1 milímetro do para-choques traseiro convencido que é o maior e as regras de trânsito não se aplicam. 

A outra é que são todos exatamente iguais: a Audi basicamente desenha um automóvel e depois enfia-o numa fotocopiadora e manda aumentar ou diminuir à escala. E quando enfim vários modelos a chegarem ao fim do seu tempo de vida via a possibilidade de que enfim iria dar-nos algo do novo. Infelizmente, não.
- Chevrolet fora da Europa - sinceramente gostava de ter estado na reunião da GM em que alguém teve a ideia de instalar a Chevrolet na Europa para vender automóveis coreanos e mecânicas simplificadas da Opel mas que ao ser um "Chevrolet" como em "Chevrolet Camaro" iria ser um sucesso imediato. E mesmo com alguns modelos baseados em mecânicas Opel e com preços próximos de certeza que não iria roubar clientes à Opel que já estava em enormes sarilhos...Trazer a Chevrolet para a Europa foi uma ideia perfeitamente cavalar e só é mais gritante o tempo que demoraram a chegar a essa conclusão.
- Recolhas: 2014 foi decididamente o ano das recolhas técnicas com todos os recordes a serem batidos, mas se por um lado são um sinal que os construtores automóveis acompanham os seus produtos e estão atentos a problemas, houveram 2 situações que ilustram o quanto as coisas podem correr mal: a General Motors e a Takata. Ambas são grandes multinacionais supostamente geridas por pessoas inteligentes com imensos recursos mas é incrível o quanto as coisas podem correr mal - ainda há várias investigações a decorrerem sobre o que verdadeiramente correu mal (se bem que sendo os EUA o mais certo é passarem um cheque bem chorudo e ninguém tem que admitir nada de errado) e vários casos chegam a tribunal em 2015. 
Mas não é só aos grandes que corre mal - em 2014 a Porsche andou literalmente em chamas quando vários 911 GT3 novinhos em folha simplesmente incendiavam-se na estrada. Após uma longa investigação concluíram que componentes foram incorretamente montados e a solução foi substituir todos os motores dos GT3 produzidos - 785 unidades no total. 


Prémio "Desta não estava à espera"
Americanos aprendem a fazer um desportivo - a ideia de um desportivo para os americanos sempre foi simples: um grande motor à frente, suspensão arcaica no meio e tracção atrás com uma pitada de muito barulho e fumo de pneus quanto baste. Muito rápidos em linha recta, mas em pista e lado-a-lado com um desportivo europeu era anedótico - eram simplesmente inúteis.
Mas surpresa - o novo Mustang abandonou o eixo traseiro rígido por uma suspensão independente, o Corvette as suspensão de lâminas recebendo materiais além de ferro como alumínio e até o novo Viper é considerado controlável. Em pista são capazes de acompanhar e em alguns casos bater os europeus...será que afinal burro velho pode aprender línguas? 


Curiosidades para 2015
Há alguns automóveis que devem chegar ou ser apresentados no decorrer de 2015 e que estou muito curioso por ver. 
- Maserati Alfieri - os roadsters belos e simples estão de volta, o Jaguar Type F conseguiu recuperar essa receita e outros construtores preparam as suas versões. Em particular estou curioso em ver como será o Maserati Alfieri - a marca italiana acertou no alvo com os novos Quattroporte e Ghibly, o Levante parece estar bem encaminhado mas o concept Alfieri é uma belíssima máquina.
Não via algo tão belo e sensual dos Italianos há muito tempo - espero que o modelo de série não fuja muito ao concept...
- Infiniti Q80 Inspiration - sinceramente já perdi quase todo o interesse na Infiniti: são concepts atrás de concepts que não dão em nada numa gama pouco adaptada à Europa. Mas a Infiniti diz que é desta e que o Q80 Inspiration apresentado em Paris como concept já recebeu a luz verde para avançar!
É um modelo que pretende rivalizar com os BMW serie 7 e Mercedes Classe S e deve chegar ao mercado mais daqui a 3 anos mas devemos ver outras versões deste concept a medida que se aproxima da produção em série.
- Mini Superleggera Vision - a Mini fez no salão de Paris um grande erro: colocou logo à entrada do seu expositor o concept Superleggera Vision e o resultado foi que quase ninguém entrava para ver o Cooper de 5 portas acabado de apresentar!

O concept foi apresentado no Concorso d’Eleganza Villa d’Este e é o produto da colaboração entre a BMW e a Touring Superleggera - a boa notícia é que a BMW registou o designe do modelo e terá que apresentar em breve um Mini descapotável...sim, por favor sim!
- Honda Civic Type R - a Honda tem-me tirado do sério ultimamente com a sua mania de apresentar como "Protótipos" na Europa modelos que já estão a ser comercializados noutros mercados. Mas por outro lado quando se ouve "Civic Type R" é difícil (quem gostar de automóveis claro) não reagir - especialmente porque a Honda já anda há muito tempo a desenvolve-lo e promete pelo menos 300 cavalos...
- Tecnologia Hybrid Air - um dos grandes problemas da hibridização é o custo, principalmente associado com a bateria necessária para acumular a energia aproveitada. Mas a PSA Peugeot Citroën creio que encontrou uma forma alternativa de armazenar a energia - ao invés de a armazenar sobre a forma química numa bateria, armazene-a sobre a forma mecânica com um sistema hidráulico de azoto comprimido.

Mas para investir em força neste tecnologia a PSA precisa de um parceiro para justificar o investimento. 


Desejos para 2015
Queria deixar alguns pedidos para 2015, apenas o que me salta assim de repente.
-Visitar outro salão automóvel - adorei fazer o salão automóvel de Paris este ano e quem sabe em 2015 fazer o de Frankfurt - o de Genebra é financeiramente incomportável.
- Renault Twingo RS ou um Smart Forfour Brabus - temos um citadino com tracção e motor traseiro...só falta potência, assim uns 200 cavalos para a coisa ficar interessante. E quem sabe mais tarde uma versão Turbo2 ou Turbo-Maxi como nos Grupo B. Por favor?
- Marchionne porta-te bem - Sergio Marchionne conseguiu enfim tirar Luca di Montezemolo do caminho, mas o que será que Sergio vai fazer? Por favor Sergio, não estragues a Ferrari.

0 comentários:

"