Salão Automovel de Paris 2014 - notas finais

É altura de encerrar o tema do salão automóvel de Paris, um belo fim de semana quem sabe um dia a repetir em Frankfurt? Para acabar queria deixar o que gostei, o que não gostei, o assim-assim e o que eu acho vale a pena ficar de olho para 2015.

O Bom...
Veia desportiva ainda bate - muitos diziam que com as limitações de emissões os desportivos seriam uma espécie em extinção. Sim, a McLaren nem se dignou a aparecer mas desde o novo Mazda MX-5 ao Peugeot 308 GT, Ferrari 458 Speciale Aperta ao Mercedes GT, Ford Mustang ao BMW i8. Eles adaptam-se e parece que não vão cair silenciosamente na noite.

O Mazda MX-5 em particular - é o modelo mais leve e mais pequeno de sempre, o que significa que é igualmente rápido com motores mais pequenos.

Efeito Carlos Tavares - a Peugeot tem acertado em quase tudo: o 208, 2008 e 308 tem tido um grande sucesso mas isso é agora e o mais importante é o futuro: e olhando para os concepts Quartz e Exalt 2 parece que a Peugeot tem tudo muito bem planeado. Só a Citroen é que não apresentou nada que indicasse para onde vai aseguir...
Será um português a conseguir dar a volta à PSA? Carlos Gohsn não deve achar piada nenhuma.

Renault Twingo - sinceramente de todos os mini o Twingo é o mais engraçado e tecnicamente muito bem conseguido.

Espero ter em breve hipotese de o conduzir.

Audi TT - aquele tablier digital tem futuro escrito por todo o lado.


Organização do salão - 2 semanas de salão, quase 1,3 milhões de pessoas, creio que houve uma invasão de uma manifestação e sinceramente nada parecia falhar. Sinceramente um evento que recomendo.

Animação Toyota - sinceramente o expositor mais animado. Um salão automovel não é só sobre as máquinas...

Hibridos plug-in - parecem ser o futuro: se nenhum novo 100% electrico esteve presente, por outro lado quase todos (incluindo a Lamborghini) trouxeram (como modelos de série ou protótipos) híbridos plug-in. A quanto obrigas limites de emissões...

Smart - a nova geração ForFour, desenvolvida em parceria com a Renault, estava muito bem conseguida, original e divertida.
Se gosta da ideia de um Mini, mas quer um pouco mais de espaço e practibilidade experimente.

Nova Espace - o mundo automóvel está em constante evolução e parar é morrer: o formato das monovolumes está a perder clientela face aos SUVs e a Renault arriscou na mudança.
E parece que outros em breve vão seguir a mesma receita.

Jaguar XE - se bem que as versões base parecem um pouco sem-sal, não duvido que será uma séria pedra no sapato dos alemães.
Só vejo 2 problemas no seu caminho - as versões base do Mercedes Classe C são muito bem acabadas e vem aí um novo Audi A4.


O assim-assim...
8 ou 80 do designe - haviam magnificas peças de designe um por todo o lado e para todos: Citroen C4 Cactus, DS Devine, Renault Twingo e Espace, BMW i3 e i8, Mercedes GT e por diante. Então como explicar tanta falta de ousadia de outros - Opel Corsa, Volkswagen Passat e Polo, Honda, Suzuki Vitara, Porsche, Ford S-Max entre outros.


O Mau...
Honda - teve a desfaçatez de trazer modelos já à venda noutros mercados (Jazz, CR-V e HR-V) apenas com uma placa a dizer "Protótipo".
Foi ao ponto de colocarem lado-a-lado o CR-V actual e o restyling (que já está à venda noutros mercados e que irá introduzir na Europa até ao fim do ano) excepto que o restyling tinha uma placa a dizer "Protótipo". Para esfregar sal na ferida apenas o CR-V actual estava disponível ao publico - sinceramente, mais valia não terem vindo.

Volvo - sim, o XC90 é um belo automóvel e um novo começo, mas tinham mesmo que renegar toda a restante gama?


Mazda - além de todos os automóveis expostos serem absolutamente da mesma cor (que até doía os olhos de certos ângulos) porque é que não trouxeram o Mazda2?

É que na semana seguinte ao salão a Mazda estava a organizar ensaios para jornalistas Europeus. Ou seja, já têm as versões europeias do Mazda2 cá mas não o levaram ao salão automóvel europeu com mais visitantes - quase 1,3 milhões este ano?!

0 comentários:

"