Salão automovel de Genebra de 2015 pelo Turbo-lento

Sei que vou um pouco atrasado mas trabalho e umas ferias de pascoa mantiveram-me um pouco longe do teclado mas não queira deixar de opinar sobre a edição de 2015 do maior e mais importante salão automóvel do mundo - o salão automóvel de Genebra. Se tivesse que dar um lema a este salão seria "potencia e prosperidade" - a industria automóvel quer deixar para trás anos de pessimismo e que melhor forma de o fazer que com um espectáculo de cavalos de potência e designes vibrantes?
Havia metal novinho em folha com 4 rodas e 1 volante para todos os gostos e carteiras - Ferrari, McLaren, Koenigsegg com hiper-carros de sonho, a meio desportivos como o Cayman GT4 ou Civic Type R e a continuação da avalanche de SUV's cortesia da Infinity e Renault..por onde começar?

As novidades que vale a pena falar
Porsche Cayman GT4 - parece a receita para um desportivo perfeito: compacto, a razar o alcatrão, motor atmosférico central, tracção traseira e uma caixa manual.

Infiniti QX30 - não via grande futuro para a Infiniti na Europa ou qualquer outro lado: a historia recente da marca de luxo da Nissan é basicamente um concept atrás de outro concept que nunca davam em nada e a gama real não se adapta à Europa. Mas eis um concept da Infinit que parece ter tudo para não só chegar à realidade mas ter sucesso.

Seat 20V20 - apesar dos resultados positivos actuais via a Seat sem um plano a longo prazo. Mas este concept 20V20 não só anuncia o "actualmente obrigatório" SUV mas também o futuro do designe para a marca espanhola e é magnifico. Agora esperemos que não o estraguem até chegar à estrada...

VW Sport Coupe GTE - mostra para onde vai o designe da marca alemã e após um longo período "cinzento" (não pode ser beje graças ao Polo e Golf GTI...) parece que enfim a marca alemã parece pronta para avançar.

Kia Sportspace - nunca pensei em gostar de um Kia...uau.

Nissan Sway - depois do Nissan Pulsar não esperava o Sway. Antevê o próximo Micra e ao contrario de todos os Micra até agora este não é insípido.

Porsche 911 GT3 RS - se o Dr. Frankenstein tivesse um automóvel para acordar o seu monstro seria provavelmente este.

Koenigsegg Regera - citando Astérix: "estes suecos são doidos". Um hipercarro com um V8 mas híbrido plug-in com 1.500 cavalos mas sem caixa de velocidades...é uma demonstração de génio e engenharia, não fosse Christian von Koenigsegg muito próximo a um vilão de James Bond.

Bentley EXP 10 Speed 6 - consegue ser um Bentley e ao mesmo tempo não ter nada a ver com a marca britânica. Tem todos aqueles detalhes luxuosos que se espera de um Bentley mas não parece algo que os nossos avós gostem.

É moderno e interessante...algo que não digo sobre um Bentley há muito tempo. Só aquela grelha dianteira é que não convence.

Potência que corrompe absolutamente...
Acha que 800 cavalos não chegam para si - que tal 900? Mas porque parar nos 900? Por que não 1000 cavalos de potencia? E já que estamos atirar números porque não 1.500 cavalos de potencia ao dispor do seu pé direito? Sim, podia comprar neste salão automóveis com potencias muito superiores a muitos Formula 1 para quem pudesse pagar o preço. O Aventador é fraquinho demais para si? Agora tem o SV com 742 cavalos. O 911 GT3 não chega? Agora tem o GT3RS. É alérgico aos alemães porque o Bloco de Esquerda o convenceram que eles são a raiz de todo o mal então ira gostar do novo Vangate GT3 (que nos entretantos virou GT12).
O salão de Genebra foi uma explosão de cavalos de potência - de GTI's a hipercarros de outro mundo havia de tudo para todos e a lista é simplesmente deliciosa! E sabem a parte mais incrível de toda esta explosão de potencia, cores e formas? Decorreu num pais em que a única forma de desporto automóvel permitida por lei é a Formula E...

A Ferrari converteu o seu 458 Italia ao turbo com o 488 GTB mais belo, mais potente (670 cavalos) e mais rápido, algo que não ficou sem resposta dos seus eternos rivais e nemesis McLaren que levaram o 675 LT e o definitivamente hiperbólico P1 GTR!

A Porsche deu enfim ao seu Cayman a potencia que sempre mereceu com o Cayman GT4 enquanto passou a mão pelo pêlo dos puristas com o 911 GT3 RS. Mas a minha preferência foi para a Aston Martin que levou o Vantage GT3 e o hiperbólico Vulcan! Já que falamos em hipérboles, a maior de todas veio da Suécia com os 1.500 cavalos do Regera - e era um híbrido logo a Greenpeace não o chateia.

A Bentley surpreendeu com o seu concept EXP 10 Speed 6 que anuncia um futuro desportivo e designe da marca. Terá os Porsche 911 e Jaguar Type-F pela frente e tirando aquela grelha dianteira é simplesmente o mais belo do salão. É gracioso, elegante, leve...quase faz esquecer que vem um SUV a caminho. O salão de Genebra de 2015 também marcou o fim de um ícone - aquele automóvel que todos disseram ser impossível chegou ao fim: a Bugatti trouxe o ultimo dos Veyron.

Mais terra-a-terra tivemos o novo Audi R8. Sendo baseado no Lamborghini Huracan será sem dúvida rápido mas infelizmente exteriormente continua a parecer o "Genérico" dos supercarros. Mas depois de tantas falsas partidas o R8 E-tron esta enfim disponível para os consumidores. Pessoalmente gosto mais do designe do R8 E-tron do que do R8 "normal"...

Mas o Audi R8 parece ter um rival à altura - o novo Honda NSX. Mas como será face-a-face? E será que um bando de americanos do Ohio sob orientação da Honda conseguiu construir um super-carro como deve ser?

Falando em "Americanes" a Ford levou o seu Ford GT! Após anos a desenvolver o Focus e Mondeo toda aquela loucura acumulada tinha que ser libertada e a Ford simplesmente disse para os seus engenheiros para irem irritar a Ferrari - e assim fizeram.

Mas também havia algo para o pessoal com carteiras mais pequenas e os pés assentes na terra. A Honda teve uma boa presença em Genebra e não havia uma única placa de "concept" em lado nenhum - o novo Jazz, NSX, HR-V e CR-V estiveram lá bem como o desejado Civic Type-R que anuncia uma quantidade ridicula de potencia para algo apenas com tracção dianteira.
A Ford não só mostrou que consegue estragar a festa à Ferrar e McLaren com o seu GT mas também trouxe algo que muitos achavam perdido na Ford - um Focus RS. Só falta mesmo as palavras Cosworth... Tivemos os Opel Corsa OPC, Renault Clio R.S. Trophy e o actualizado Peugeot 208 GTi.

Mas se tiver problemas cardiacos e quiser algo mais sedado também havia algo para si - o novo Skoda Superb esteve lá, bem como os novos Citroën Berlingo e o seu primo da Peugeot e o novo Jazz.

Designes modernos voltaram!
Mas não era só potência, os designs eram todos mais audazes, vistosos - e não era só nas marcas de luxo. A DS levou o seu Divine que já conhecemos de Paris, a Volkswagen trouxe o concept Sport Coupe GTE e Lexus trouxe uma enorme grelha no seu concept LF-SA.
A Nissan trouxe o Sway que anuncia o próximo Micra, a Kia trouxe o Sportspace que é basicamente um Optima carrinha para nós Europeus! Mas até o Opel Karl na sua diminuta dimensão e preço era interessante.
O Renault Kadjar chega já no Verão com as suas pronunciadas coxas e confesso que gosto do que vi do Auris carrinha...se a minha cara metade não tivesse de ideia fixa num automóvel de 7 lugares.

SUVs para todos!
A Europa está em completa febre de SUVs e Crossovers - seja pela a imagem dinâmica e aventureira, ou pela imagem de robustez e posição de condução elevada sem terem que comprar um monovolume a verdade é que todos os querem. E sendo baseados em sedans clássicos apenas com uma carroçaria ligeiramente diferente as margens de lucro são muito boas para os construtores e em Genebra todos tinham um ou anunciavam um.
Uma das principais novidades foi o novo Renault Kadjar que juntamente com o seu primo Qashqai devem ter o segmento só para si nos próximos tempos já que a concorrencia esta quase toda em fim de vida. O Range Rover Evoque recebeu uma ligeira actualização mas a principal novidade não esteve la - a versão descapotavel recebeu a luz verde para a produção. Depois do falhanço total e completo do Murano cabriolet será que este pega? A Ásia esta em peso neste formato - a Hyundai trouxe o Tucson que substitui o iX35, a Honda o HR-V e apesar de não compreender como ainda andam por cá a Ssangyong trouxe o Tivoli.

Mas há mais a caminho: a Infiniti trouxe o muito prometedor concept QX30, o Suzuki iM-4 anuncia um novo Jimny e o Lexus LF-SA anuncia um SUV mais pequeno no futuro próximo.

E apesar da Kahn ter trazido um Defender de 6 rodas e enfim a Ford actualizar o Ecosport para o tornar menos "agreste", para mim a estrela deste formato foi mesmo o concept Seat 20V20 que anuncia não só um futuro SUV mas também o designe futuro da marca - e gosto do que vejo.

O pior do salão
Aston Martin DBX - toda a gente quer um SUV. A Jaguar esta a preparar um, bem como a Bentley e a Rolls Royce. A Aston Martin tentou com o Lagonda há uns anos atrás e tal como a primeira tentativa da Bentley foi um desastre. Mas a Aston Martin acha que afinal o que precisamos é de um Rapide redesenhado com suspensão elevada e com motorização eléctrica...a sério? Sim, é apenas um concept mas para uma marca de mercado limitado que está a esticar a sua gama há muitos anos não parece ter uma ideia para onde vai aseguir...

Alfa Romeo - continuam as promessas do regresso da Alfa Romeo ao palco mundial mas infelizmente ainda não foi desta que vimos sorrisos entre os alfistas. Apenas o 4C Spyder esteve presente.

As ausências
Como disse, a edição de 2015 foi repleta de novidades, mas também houveram algumas ausências que se fizeram notar - algumas provavelmente para o salão de Nova York (há que deixar alguma coisa para os americanos).

E é provavelmente para os americanos que ficaram os descapotáveis porque tirando o Alfa Romeo 4C Spyder mais nenhum estreou - tendo em conta a apresentação acelerada da nova gama Smart esperava os ForTwo descapotaveis, bem como o Mini descapotavel. Também esperava o Mini Clubman mas não apareceu.
 Para Nova York ficaram a nova geração do Jaguar XF, o novo Lexus RX, Mercedes GLE (Classe M actualizado). Há 2 novidades que não se sabe bem onde vão estrear (se em Nova York ou Frankfurt): um 4 cilindros num Boxter/Cayman e a chegada do turbo aos modelos de base do 911.
Os franceses também estiveram mito muito pacatos - a Renault trouxe o Kadjar, a DS retirou o citroen de toda a gama, a Peugeot levou o restyling do 208...e mais nada. Nenhum concept car ou outra novidade "sonora". E a Fiat nem apareceu...basicamente.

Houveram mais 2 ausências ainda a notar - a Google e a Apple. Afinal construtores automoveis como a Audi e BMW já invadiram a exposição chave da electrónica de consumo (O CES) e ambos Google e Apple estão a intrometer-se no mundo automóvel: a Google com o seu Googlecar e o seu sistema Android no automóvel e a Apple...com algo que ainda não disseram exactamente o que é mas que andam a preparar algo lá andam.E deviam ter aparecido.

Concluindo
O Salão de Genebra foi acima de tudo uma declaração de intenções - a industria automóvel quer sair rapidamente da crise que a tem puxado para baixo e que melhor forma de o fazer do que com um grande fogo de artificio em conjunto com um espectáculo de luzes, som e belas mulheres em belos vestidos. Mas tal como um teenager que descobre a masturbação e acha que está pronto para sexo a verdade é que é preciso que a "outra parte" esteja pronta a aceitar. Um local onde toda e qualquer fantasia automóvel podia ser realizada, onde não há crise económica, limitações de emissões ou políticos...

Sonhar nunca fez mal a ninguém, tal como acreditar que António Costa tem alguma ideia de como resolver os problemas do pais ou o Bloco de esquerda não vêm de uma dimensão paralela, mas é preciso manter um pé terra firme. Espero, mesmo, que tudo isto dê a volta e que possamos apreciar esta nova geração de automoveis...quero mesmo muito.

0 comentários:

"