DieselGate - ponto de situação 19-06-2018

Altura para mais um apanhado das notícias ligadas ao dieselgate e há bastantes novidades interessantes com o verão a trazer dinheiro e cadeia pelo ar - ficam abaixo os principais desenvolvimentos como sempre sem tretas, conservantes ou adoçantes acrescentados.

CEO da Audi preso
O CEO da Audi Rupert Stadler foi preso esta segunda-feira - nem Audi ou VW comentou e estão em reuniao de crise a tentar perceber o que vai acontecer a seguir.

Esta detenção está ligada ao alargar da investigação da falsificação das emissões na Audi para incluir Rupert Stadler, já que foi a Audi sob controlo de Stadler que criou o software que gerou toda esta confusão. Stadler está entre vários (aponta-se 20) elementos da Audi sobre investigação pela procuradoria de Munique.

Mas neste caso alem do acima a procuradoria diz que há risco que Rupert Stadler destrua provas e o juiz concordou ordenando a detenção do CEO da Audi.


Volkswagen multada em mil milhões de euros
As autoridades alemãs multaram a Volkswagen em mil milhões de euros devido à manipulação das emissões diesel. A Volkswagen anunciou que não vai contestar a multa. O pagamento desta multa encerra apenas as questões regulatorias na Alemanha, e irá ajudar com os problemas reguladores na União Europeia - não encerra as queixas civis e de proprietários.
Recordemos que em Janeiro de 2017 a VW chegou a acordo com as autoridades americanas pagando 4.3 mil milhões de dólares para resolver acusações criminais e cíveis pelo falseamento de emissões.

Mas poderá não ser a ultima multa que a VW possa ainda receber na Alemanha - a Audi poderá ainda ser multada adicionalmente por falhas de supervisão interna que permitiram que esta falsificação de emissões tenha ocorrido nos seus motores de 6 e 8 cilindros. Acresce a uma anterior multa sobre as mesmas violações nos motores de 4 cilindros.

E claro, esta ainda a decorrer a investigação sobre se a VW manipulou o mercado ao não anunciar de forma atempada a falsificação de emissões que envolve o topo da direcção, atual e passada, do grupo alemão.


Multas possivelmente a caminho da Bosch, Porsche e Daimler
Segundo a procuradoria de Estugarda a Daimler, Porsche e Bosch também estão expostas a processo por falsificação de emissões e multa exatamente pelo mesmo que a Volkswagen acabou de ser multada: infracção de regulamentos e deficiências organizacionais que permitiram a instalação de software que manipulou as emissões.


Porsche limita vendas na Europa
A Porsche ira limitar a venda de alguns modelos na Europa para resolver questões relacionadas com a transição para o novo protocolo de homologação WLTP (obrigatório apartir de 1 de Setembro) - a Porsche não referiu que modelos estão afetados mas segundo o Frankfurter Allgemeine Zeitung alguns Cayenne e Panamera podem só chegar em Março de 2019 e alguns 911 não antes do outono deste ano.

Não é só a Porsche, a BMW também parou a produção de alguns modelos em Maio, a Renault avisou que a transição ira afetar vários modelos e só em Abril 2019 deverá estar tudo resolvido, e a VW também terá problemas.


Daimler recolhe automóveis e arrisca multa
Segundo a revista alemã Spiegel noticia que terá, em reunião fechada com o CEO da Daimler Dieter Zetsche ameaçado o construtor com uma multa de 3.75 mil milhões de euros pela falsificação de emissões via software detetado pelo regulador que envolve automóveis e carrinhas comerciais da marca alemã - 750.000 automóveis multiplicando por 5.000 euros de multa por cada automóvel. Isto vem no seguimento da recolha das Mercedes Vito com motores diesel de 1.6 litros ordenada pelo KBA.

A Daimler aceita que tem problemas de emissões e promete colaborar.

Assim sendo a Daimler esta neste momento a recolher 774.000 automóveis na Europa equipados com motor diesel - a marca alemã irá atualizar o software em Mercedes Vito, GLC e Classe C. Segundo o Bild am Sonntag a KBA disse que encontrou 5 funções de software não aprovadas em ECUs de vários motores Euro6. É chato ser ordenado para fazer a recolha, mas tem a favor o facto que uma atualização de software parece bastar - não é preciso alterações de hardware.

A Daimler já tinha voluntariamente recolhido cerca de 3 milhões de automóveis na União Europeia (tal como a VW e BMW) para atualizar software para melhorar performance de emissões.

0 comentários:

"