Mazda pode não ir ao salão de Paris

Parece que a Mazda pode vir a juntar-se à Ford e Volvo em não irem ao salão automóvel de Paris - quem o disse foi o CEO da Mazda Europeia Jeff Guyton porque segundo ele este salão é dominado pelos construtores franceses e é difícil para a Mazda ter impacto - algo que não faz nenhum sentido.
A Ford já anunciou que não ia a Paris preferindo os eventos associados com a tecnologia (a Consumer Electronics Show em Las Vegas e o Mobile World Congress em Barcelona) e a Volvo porque decidiu fazer apenas um evento por continente (e já vai estar em Genebra). Relativamente à Ford também deve ser por causa do protesto e invasão do stand por parte dos ex-trabalhadores da Ford que ocorre em todas as edições do salão de Paris.

Mas a desculpa da Mazda de que não vale a pena ir porque é dominado pelos construtores franceses é treta - nesse caso só vão ao salão do Tóquio porque só aí é que não são "estrangeiros". Em termos de quantidade de publico o salão de Paris é o maior da Europa, estive nos bastidores do salão de Paris de 2014 e era incrível a quantidade de automóveis vendidos durante o salão e não era só franceses: na Skoda era vê-los sair. Se um homem parasse a ver um modelo da marca mais que 1 minuto era logo ladeado por duas lindas jovens comerciais.

Se fosse uma mulher rapidamente 2 jovens em fatos justos lhe faziam companhia. Na Toyota a cada 2 horas toda a equipa do expositor fazia uma baita dança.


E a Mazda? Tinha meia dúzia de comerciais apáticos para uma grande quantidade de automóveis expostos todos no mesmo tom de vermelho e banhados por uma luz que fazia difícil ficar muito tempo no expositor. A Mazda talvez não consiga singrar no salão francês porque simplesmente não o faz da melhor forma.

Quando não consegues vencer faz diferente...

0 comentários:

"