[update video]Renault Kadjar apresentado - odisseia de macaroons e papelinhos

Depois de algum tempo tremido no mercado dos SUV's a Renault apresenta o Kadjar, o seu primeiro SUV no segmento C. O primeiro foi o Koleos (que é 7 centimetros mais pequeno que este Kadjar) que digamos apenas que não correu lá muito bem e depois tiveram o Captur que tem sido um sucesso - este novo Renault Kadjar encaixa entre estes dois e é baseado na mesma plataforma modular CMF-C/D do novo Nissan Qashqai. E pelos vistos o mesmo tipo de nome: Qashqai, Kadjar...parecem bandas dos anos 80!



A apresentação decorreu na Cidade do Cinema em Paris, obra do senhor Luc Besson como se pode ver pelos adereços à entrada. Se nunca viu o filme o "5º elemento" não sabe o que perdeu...




Depois de alguns macaroons e bebidas tivemos enfim a apresentação - cortesia de Carlos Goshn em pessoa que falou do trabalho e do que esperam do Kadjar.



Para terem uma ideia do quanto importante este Kadjar é eis alguns números - em 2014 1 em cada 5 automóveis vendidos no mundo era um crossover, na Europa representaram 23% das vendas e na China 26%... 26% de 22 milhões de automóveis só em 2014! Exportação é a chave para a sobrevivencia e o Kadjar tem que ir longe.

Curiosamente no dia seguinte à apresentação tive hipótese de ver de perto um Nissan Qashqai e apercebi-me do quanto partilham mesmo na chapa exterior - mas algumas pequenas alterações conseguiram uma grande diferença. Faz o Qashqai parecer sem sal e o resto da concorrência como aquele primo de terceiro grau que aparece nas fotos do casamento e que ninguém se lembra o nome ou quem o convidou!



O designe é mais dinâmico, vibrante - a frente é uma mistura entre a nova Espace e o concept Dezir, a lateral muito trabalhada é inspirada no Captur e a traseira mistura o Captur com farois 3D muito semelhantes aos do actual Megane carrinha.





Algum do dinamismo vem das dimensões compactas (mede 4.45 metros por 1,84 metros de altura mas é baixo com apenas 1.60 metros de altura) com as largas aberturas das rodas que podem receber umas belas jantes de 19 polegadas.
Relativamente ao interior apenas há algumas imagens oficiais já que na apresentação os modelos tinham vidros fumados e os engraçadinhos que tentassem chegar perto tinham logo um segurança atrás - sim, houveram vários e não fui nenhum deles. Aprendi a minha lição no salão automóvel de Paris...

Pelas imagens o interior parece próximo ao do Nissan Qashqai mas o tablier, instrumentos, volante e assentos são específicos - pessoalmente sonhava algo mais próximo ao tablier da nova Espace mas mesmo assim a Renault não dormiu na formatura: o Kadjar recebe o sistema multimédia R-Link 2 estreado na nova Espace com um ecrã táctil de 7 polegadas, plásticos de boa qualidade, pode receber um tecto de vidro de 1,4 metros quadrados e uma bela manete de velocidades.


Só terá uma versão de 5 lugares (provavelmente para não roubar clientela à Grand Scenic), uma mala de 472 litros de capacidade e um interior bastante modular: os assentos traseiros rebatem 60/40 com o mesmo sistema Easy Estate da Espace e o assento do passageiro dianteiro pode dobrar para a frente completamente permitindo o transporte de objectos mais longos.

Sobre o que se esconde debaixo do capot não se sabe, apenas que terá versões de tracção dianteira com um sistema de anti-patinagem Extended Grip ou tracção integral com 3 modos de funcionamento (Auto, Lock e 2WD) que deverá estar disponível apenas nos motores mais potentes.

Apesar de ser um SUV a Renault diz que o desenvolveu para se conduza como um sedan normal (posição de condução adequada e bom ângulo de brecagem de 10.72 metros), mas com alguma capacidade fora da estrada: pode receber pneus de lama/neve, distancia ao solo de 19 centímetros, ângulo de ataque de 18º e de saída 25º e claro tracção integral.

Mais detalhes quando apresentado ao público no salão automóvel de Genebra em Março e vendas devem arrancar logo no Verão.

O que há num nome?
É difícil ignorar o elefante na sala - o nome "Kadjar". Dificil de pronunciar e sem grande sentido - a "boca generalizada" era que foi a responsável pela estratégia dos nomes na Renault (uma senhora simpática chamada palavra Cécile Mandonnet-Dupic) que inventou a palavra para não perder um jogo de Scrable. Mas há uma explicação e base para o nome Kadjar.
O nome interno era HFE e a Renault queria um nome coerente com os outros crossovers da marca (Koleos e Captur) mas que também trouxe-se à mente a ideia de viajar e descoberta, de um estilo de vida energético, enquanto soa sólido e de confiança.

Também tem que ser um nome que "funcione" onde vai ser vendido (ser pronunciável e não ter conotações negativas por exemplo) e no caso do Kadjar tem que funcionar e transmitir a imagem pretendida na China. É sem dúvida um nome que não passa indiferente, e de certa forma conseguiram - na apresentação oficial estavam pessoas de todo o mundo e todos debatiam o nome e como se pronunciava.

E citando um colega "Podia ter sido pior, podiam ter ido com o nome do concept que originou o Nissan Juke: Qazana".


Mais alguma coisa?
Durante a apresentação Carlos Ghosn disse que em 2015 a Renault ira apresentar um modelo pequeno, um modelo segmento D e uma pick-up. O modelo segmento D será o substituto do Laguna (que não vai chamar-se Laguna), o modelo pequeno será um citadino para a Dacia mais pequeno que o Sandero e especifico para os países em desenvolvimento (onde será também vendido como um Renault como na Índia) e uma pick-up também Dacia baseada no Duster.


Um ano animado para a Renault sem dúvida, que com a nova Espace e este Kadjar, terá 5 novos modelos em 2015 - ainda espero que o novo Megane apareça por aí, nem seja só a apresentação para comercialização em 2016: é actualmente o mais "velho" do segmento. A Renault parece estar no bom caminho - já temos o novo Twingo, a nova Espace e agora o Kadjar - venham mais...mas com menos papelinhos da próxima vez.



Update 06-02-2015

6 comentários:

  • Anónimo says:
    4 de fevereiro de 2015 às 21:17

    Ao vivo posso ter outra opinião, mas a frente faz-me lembrar um automóvel chinês

  • Turbo-lento says:
    5 de fevereiro de 2015 às 11:54

    Asseguro que não é nada parecido com algumas das criações made in china - dito isto, sou capaz de apostar em como algures na China um construtor automovel está a preparar um clone com um nome igualmente complicado de pronunciar...

  • H. Costa says:
    5 de fevereiro de 2015 às 16:11

    Para ser honesto, o design deste carro é exactamente aquilo que mostra; um Qashqai com o ar de Renault moderno que a marca francesa nos habituou com o novo Clio. Não acho nada que venha de um carro chinês, para ser honesto.

    Em relação ao resto, é um carro com potencial, pelo menos por causa do facto que o seu irmão japonês vende-se como pãezinhos quentes por todo o lado. E como estamos a falar do segmento da moda, escusado será dizer que vai haver muito interesse por parte dos seus futuros clientes...

  • Turbo-lento says:
    9 de fevereiro de 2015 às 10:56

    o Kadjar tem uma vantagem - à excepção do Qashqai toda a concorrencia já começa a datar e a precisar de ser substuida. A Renault tem a vantagem neste momento - agora se a aproveita já é outra questão completamente diferente.

    Outra questão interessante - será que vai haver uma proxima scenic 5 lugares? é que com o Kadjar a roubar clientela será que a proxima terá apenas 7 lugares?

  • H. Costa says:
    10 de fevereiro de 2015 às 17:00

    Ou seja, o Kadjar é um carro "fresco" em termos de presença no segmento, certo? Nesse sentido sim, é uma grande vantagem se for aproveitada da maneira certa.

    Em relação ao segundo ponto, tudo depende se a Renault considerar que o Kadjar roubará ou não clientes à Scenic. É que se ela ficar apenas com sete lugares, aí ela terá de combater com a Espace...

  • Turbo-lento says:
    10 de fevereiro de 2015 às 18:11

    A Europa está neste momento em febre de SUV's - mais um dia mais um SUV. E está mais que provado que estes andam a roubar clientela aos outros segmentos - é agora uma questão de apostas: tal como o Clio, Focus e outros só há em 5 portas, será que vale a pena ter a scenic 5 lugares?

    Apesar de terem os mesmos 7 lugares a Grand Scenic e Espace são completamente diferentes - a Espace é o topo de gama da Renault. Estive dentro de uma no salão de Paris e posso assegurar que parece uma nave espacial.

"