[update video]Mercedes-AMG Project One apresentado

Gostaria antes de mais de viajar no tempo para o passado, para 1995 para ser exacto. Este foi o ano em que o Ferrari F50 foi apresentado, um carro desenvolvido com 1 linha mestra - ser um Formula 1 para a estrada. E tal seguiram essa directriz que o V12 de 4.7 litros que usava era derivado directamente do V12 de 3.5 litros usado no Ferrari 641 de Formula 1. Viajamos novamente no tempo para ontem, dia 11 de Novembro, em que voltamos a ter uma aplicação da tecnologia da Formula 1 para um automóvel de estrada - a mesma directriz passados 22 anos, este é o Mercedes-AMG Project One!


Debaixo do capot em posição central está uma versão do mesmo V6 de 1.6 litros turbo usado nos Mercedes de Formula 1 capaz de atingir 11.000 rpm - estamos a falar de 600 cavalos de um motor de 1.6 litros! Infelizmente tem um custo - uma revisão completa do motor a cada 50.000 quilómetros. O que não é assim tão mau quando levamos em conta que os motores de Formula 1 costumam durar 4 corridas...

Alem do motor a combustão, há outros motores um pouco por todo o lado - recebe um turbo assistido por um motor eléctrico de 80kW capaz de girar o turbo a umas incríveis 100.000 rpm, um motor eléctrico de 120 kW/163 cavalos na cambota do V6 e 2 outros motores eléctricos de 120 kW/163 cavalos um para cada roda dianteira e cada um com a sua caixa de velocidades permitindo torque vectoring. Mantendo o tema F1, tem um sistema KERS de recuperação de energia via os motores dianteiros para carregar a bateria.
A motorização completa precisa de 5 circuitos diferentes de arrefecimento - admissão de ar, motor de combustão, motores eléctricos, baterias e transmissão todos precisam do seu sistema independente! Mais valia montar uma chaminé de uma central nuclear em cima do carro! E conseguem imaginar o trabalho que deve ter sido necessário para colocar tudo isto a funcionar em sintonia?!

Tudo somado e temos mais de 1000 cavalos distribuídos pelas 4 rodas (também direccionais!)pela caixa mecânica robotizada de 8 velocidades e mesmo assim capaz de 25 quilómetros de autonomia 100% eléctrica - se contarmos com o overboost temos mais de 1140 cavalos. Segundo a Mercedes pesa aproximadamente 1200 quilogramas o que significa que os 100km\h chegam em menos de 3 segundos, os 200 km\h em 6 segundos e atingir mais de 350 km\h de velocidade máxima - para todos os efeitos, as credenciais de um hiper-carro.
A aerodinâmica é activa à frente e atrás, inspirada nos LMP1 das 24 Horas de Le Mans. Por debaixo temos uma plataforma de aço num chassis monocoque de fibra de carbono, com suspensões tipo F1 suportadas directamente no motor atrás e à frente numa subestrutura. Os discos de travagem são em carbo-cerâmica assistidos por ABS e ESP.

No interior, tal como num Formula 1 os assentos são fixos, os pedais e direção são ajustaveis.

Para todos os efeitos este ainda é um concept car, não a versão final - as entregas devem arrancar em 2019 portanto algures em 2018 devemos ter a versão final.

update 19-09-2017

0 comentários:

"