Dieselgate - ponto de situação 25-11-2015

Mais um resumo dos mais recentes desenvolvimentos do dieselgate by Volkswagen, sem OGMs ou tretas acrescentadas. Se bem que uma cerveja ia bem. 

Renault Espace acusada de emissões acima do legal
Segundo o lobby ambientalista alemão DUH a nova Renault Espace tem emissões de óxidos de azoto 25 vezes acima do limite europeu. Segundo este grupo a Renault Espace foi testada segundo o novo ciclo europeu de homologação em 5 testes separados feitos pela University of Applied Sciences em Berna na Suíça. Segundo a DUH e o International Council on Clean Transportation (ICCT) o problema está no facto que a homologação dos automóveis é feita por autoridades do pais do construtor e deixam passar situações como estas. 
Segundo o estudo quando se media as emissões com o motor quente o 1,6 litros emitia até 2,06 gramas de NOx por quilometro e só quando testado com o motor frio é que cumpria o limite de 80 mg/km - ou seja, as medições para a homologação teriam sido feitas com o motor frio e aí "algo" segura os NOx que depois é desligado quando está na estrada. 

E se isto lhe cheira estranho tem boas razões - é que o International Council on Clean Transportation (ICCT) e a DUH já várias vezes surgiram a tentar fazer barulho desde que o dieselgate explodiu. O ICCT foi o tal que escreveu um relatório que "sugeria" que o BMW X3 de ter emissões acima dos limites e que inúmeros sites e jornais usaram como base para acusar a BMW e depois tiveram que se retrair porque não era verdade. A DUH ainda há pouco tempo disse o mesmo da Opel Zafira depois de a testar também nesta universidade na Suiça e a Opel não só desmontou os argumentos como testou no laboratório independente da TUV com a presença da DUH uma Zafira e provou que não havia nada de errado com este veiculo. 

No caso da Espace a Renault já veio a publico reagir às acusações dizendo que a Espace cumpre todas as exigências legais europeias, algo provado em Agosto de 2015 quando este mesmo modelo foi testado de forma independente pela ADAC alemã - a ADAC usou uma Espace comprada por um sócio, não um modelo fornecido pela marca. A Renault também diz que depois de estudar a metodologia usado pela universidade de Berna esta não cumpre as normas europeias. Não tive hipótese de ler como o teste foi feito (só encontrei em alemão), mas uma coisa é certa - o novo ciclo de homologação europeu ainda não esta em vigor e nem sequer está terminado, ainda esta a ser definido. A DUH deve ter usado uma proposta da metodologia para fazer os testes. 

Procuradoria alemã investiga emissões de CO2 da Volkswagen
A Procuradoria alemã da cidade de Braunschweig, próxima dos escritórios da Volkswagen em Wolfsburg, lançou uma investigação a uma possível ligação entre fuga de impostos e a manipulação dos resultados das emissões. A investigação esta centrada em 5 funcionários da Volkswagen mas não precisão nomes. É que tal como o sistema de impostos em Portugal, na Alemanha o imposto automóvel é calculado com base nas emissões de CO2.

0 comentários:

"