DieselGate - novo ponto de situação 14/10

Sim, novo apanhado das mais recentes noticias relacionadas com o dieselgate by Volkswagen. Sem tretas.

Reino Unido também aperta VW e consegue algumas respostas
O chefe da Vw no Reino Unido esteve a ser ouvido no parlamento relativamente ao dieselgate e no longo inquerito deixou escapar mais alguns detalhes técnicos relativos ao que é preciso fazer aos motores europeus. Paul Willis disse que os motores de 1.6 TDI vendidos desde 2008 vão ter que receber alguma alteração ao nivel da injeção de combustível, incluindo novos injectores mas não leva o tal sistema de adBlue, além de uma actualização de software. Já os 2 litros e os 1.2 litros apenas precisam de uma actualização de software. Segundo Willis, depois da aplicada a correção não deverá haver diferenças nos consumos.

Cortes e novos modelos anunciados
Parece que o grupo Volkswagen já definiu o seu futuro pós-dieselgate: anunciou que ira cortar 1.1 biliões de dólares em custos de desenvolvimento, instalar em todos os motores diesel (na Europa e EUA) um sistema SCR com AdBlue de tratamento de gases de escape em motores diesel e apostar na electrificação da gama - a VW vai apostar nos híbridos plug-in e 100% elétricos com uma autonomia até 300 quilometros, incluindo um novo Phaeton elétrico.
Está a trabalhar numa nova arquitectura elétrica modular chamada MEB que será usada para automóveis elétricos para todas as marcas do grupo, vários formatos e uma autonomia entre 250 a 500 quilómetros.
A VW esta a desenvolver e implementar um programa de corte de custos que inclui salários, marketing, patrocínios, redução de modelos e cortar nos fornecedores para ajudar a lidar com o dieselgate. Só nos fornecedores a VW quer cortar 3 biliões de euros.

Dieselgate segue para Hollywood
E claro que sendo na América tudo sem que ser espremido para lucro - os direitos para um livro sobre o dieselgate foram adquiridos no inicio de Outubro e agora chega a noticia que a produtora de Leonardo DiCaprio já adquiriu os direitos para um filme sobre o dieselgate.

Diesel podem ficar caros demais diz ACEA
Muitos tem comentado que este escândalo poderia ditar o fim da Volkswagen e até mesmo do diesel - algo que não passam principalmente de exageros para atrair tráfego. O que ira provavelmente acontecer é que novos métodos de avaliação mais precisos e realistas em conjunto com limites de emissões apertados venham a tornar os diesel caros demais para certos segmentos - algo que já acabou nos mini automóveis. E a ACEA, associação dos construtores automóveis, concorda.
A ACEA diz que não se deve "precipitar" mudanças nos procedimentos de medição das emissões sob risco tornar os diesel caros demais e serem retirados do mercado. Diz que é preciso um calendário e condições de homologação que levem em conta as realidades tecnológicas e económicas dos mercados actuais permitindo uma transição razoável para a metodologia RDE (Real Driving Emissions). 

Ou seja, estão a pedir para irem com calma, protelar a situação por mais algum tempo. Infelizmente é o que os construtores têm andado a fazer estes últimos anos, a fazer todo o género de jogadas para não terem testes mais precisos e limites mais apertados, e agora que de repente foram apanhados a brincar em serviço e querem que sejamos tolerantes... a sério?!

0 comentários:

"