DieselGate - novo ponto de situação 09/10

Infelizmente vida profissional manteve-me longe do 4Rodas1volante, mas com um pouco mais de tempo disponível vamos lá fazer um ponto de situação sobre o debaculo da Volkswagen - mas sem tretas.

Reparações começam em Janeiro 2016

O ministro alemão dos transportes disse estar a rever os planos da VW para a correção dos motores diesel diesel Euro 5 de 2.0, 1.6 e 1.2 litros TDI. Segundo Dobrindt, para o 2 litros a VW espera ter uma correção de software ainda este ano com instalação no inicio de 2016 e para o 1.6 litros além de uma atualização de software também será necessária uma alteração do motor que não devem chegar antes de Setembro de 2016.
 Já nos EUA a solução ainda terá que ser acordada com a EPA, portanto ainda não há calendário para as viaturas americanas. 

Mueller não deu grandes detalhes exatos sobre o que ira ser feito para "reparar" os automóveis afectados - ele referiu a possibilidade de reprogramação, instalação de novo sistema de injeção ou instalar um catalisador maior, mas como cada automóvel mistura diferentes tecnologias e cada mercado tem as suas exigências não há apenas uma solução mas sim vários que têm de ser criadas, testadas e certificadas antes de implementadas. 

Nessa entrevista Mueller também disse que a VW tinha que se tornar mais pequena e menos centralizada, com cada modelo e marca a serem revistos no futuro - apenas citou a Bugatti, mas também disse logo que a VW precisa de uma evolução mais que uma revolução e que será um processo de 2 a 3 anos no fim do qual o grupo será mais pequeno e descentralizado

Volkswagen retira pedido de homologação de diesel para 2016 nos EUA
Para vender automóveis nos EUA tem que passar pela homologação da EPA, e a Volkswagen of America retirou o pedido de homologação para os automoveis com motor diesel de 2 litros TDI até que esta confusão amaine. Que tem em si algo de estranho - é que os motores com a batota já não são produzidos portanto estariam conformes...ou há algo mais? Teremos que esperar para ver.

E na Europa?
Nos EUA a situação é clara, mas na Europa nem tanto. Em ambos os lados do Atlântico a presença do tal modo de teste é ilegal e o jornal alemão Sueddeutsche Zeitung diz que fontes da VW confirmam que o software também seria activado durante o ciclo NEDC e inicialmente dá a ideia de que os automóveis não passariam na Europa mas a meio do artigo lá diz (traduzindo à letra) "teria sido provavelmente não aprovada" - provavelmente. Ou seja, como já tinha dito muitas vezes, ninguém ainda concluiu se estes motores/automóveis têm emissões ilegais segundo as regras europeias. Infelizmente mais um exemplo, de muitos que andam por aí, a tentar gerar tráfico com histórias que não existem - único dado útil desta história: parece que a VW confirma que o algoritmo conseguiria detetar ambos os testes europeus e americanos de homologação.

E já que falamos na Europa, a responsável na União Europeia da industria quer acelerar a introdução de testes de emissões mais sérios, contra vontade da Alemanha, Republica Checa, Áustria, Hungria e Eslováquia.
A União Europeia quer quer introduzir uma componente de "teste em estrada" no processo de homologação de automóveis apartir de Setembro de 2017, além dos testes apenas em laboratório. Mas durante 2 anos, de setembro de 2017 a setembro de 2019 as emissões do "teste em estrada" poderiam exceder os limites em laboratório em 60%. O grupo opositor quer que esse periodo seja mais longo.
De um lado temos a necessidade de tapar o buraco nas regras europeias e recuperar a confiança dos consumidores, mas por outro lado a maior parte dos automóveis europeus são a diesel e temos os construtores alemães e franceses a dependerem muito do diesel. A comissão espera que os governos europeus votem na sua proposta de apertar os testes de homologação no fim de Outubro - vamos ter que esperar para ver.

Winterkorn in the house!
Lembram-se da parte em que Martin Winterkorn se demitiu para que o grupo pudesse seguir em frente? Pois...pelos vistos Winterkorn ainda está lá, em 4 posições diferentes. Winterkorn ainda é o CEO da Porsche SE (empresa que detem grande parte das acções da VW), é o chairman da Audi, da Scania e do recentemente criado grupo de camiões e autocarros.
Sinceramente...o que esta a Volkswagen à espera? Winterkorn pode não ter tido nada a ver com este debáculo, mas a sua continuada presença vai ser arma de arremesso dos criticos e prejudicial para a imagem da Volkswagen: qualquer investigação feita ao dieselgate ficará manchada por Winterkorn ter ainda o poder via a Porsche SE. Pode haver uma razão mais simples - a elevada pensão (28.6 milhões de euros) e indemnização de Winterkorn ainda não foi aprovada pela supervisão da VW, será que Winterkorn quer primeiro assegurar o seu futuro antes de sair de cena?

Olha quem voltou - Piech
Um artigo interessante do Wall Street sobre o (inevitável) regresso de Piech - ele pode ter perdido o embate inicial quando tentou demitir Winterkorn do lugar de CEO e teve de sair de cena pela porta dos fundos, mas com o dieselgate Piech conseguiu no final colocar 2 pessoas que influencia à frente da direção do grupo: ele queria que Matthias Müller substituísse Martin Winterkorn (que aconteceu) e conseguiu o bónus de ter Hans Dieter Pötsch a simultaneamente ocupar o lugar de Piech na supervisão da VW e CFO da Porsche SE. Segundo o artigo, no dia seguinte a demissão de Winterkorn Piech e a sua mulher Ursula regressaram à fábrica da VW pela porta da frente.
Será interessante de ver como evoluiu as vendas da Volkswagen na Europa no próximo mês.

0 comentários:

"