[update]Novo Alfa Romeo Giulia apresentado

Um video interessante Afinal são dois - o design do novo Alfa Romeo Giulia explicado e o ominpresente entre grandes máquinas Marchettino.

Update de 16-07-2015
O site worldcarfans publicou imagens do interior do novo Alfa Romeo Giulia Quadrifoglio Verde - muita fibra de carbono (opcional), couro e alcantara. O assento traseiro parece ser mono-peça não rebativel.











Update 12-07-2015
A revista Car conseguiu sentar-se com o engenheiro chefe do projecto Philippe Krief para uma entrevista. Abaixo fica um resumo do que a Car publicou on-line. 
O Alfa Romeo Giulia foi desenvolvido em apenas 2 anos e meio, o que é muito pouco para um automóvel completamente novo. Normalmente um automóvel novo demora entre 4 a 5 anos a ser desenvolvido mas o Giulia foi desenvolvido em metade do tempo - a Alfa diz que isso deve-se ao facto do CEO da Fiat Sergio Marchionne ter autorizado a criação de uma equipa de 10 especialistas dedicados completamente a este projecto fora da estrutura da empresa e que isso tenha permitido o mais rápido desenvolvimento. Até pode ter sido o caso, mas também ajudou o facto de que Alfa utilizou um versão encurtada da plataforma do já fiabilizado Maserati Ghibli e que isso poupou muito tempo no desenvolvimento.
Confesso que quando li isto recordei-me de que a Alfa tinha feito algo semelhante com o Mito e que saiu furado mas desta vez foi uma questão de uma equipa dedicada a trabalhar com material testado. 

Grande importância colocada na relação peso-potencia e comportamento. Dois factores que andam de mão dada - para o comportamento basta dizer que Philippe Krief foi um dos responsáveis pelo Ferrari 458 Italia e 458 Speciale que são considerados dos melhores super-carros do momento e para ajudar usaram materiais de baixo peso onde ele faz mais impacto: motores, portas, para-lamas e suspensões são em alumínio, e na versão Quadrifoglio Verde a tampa da mala, tejadilho, eixo de tracção e estruturas dos assentos são em fibra de carbono.

Na versão Quadrifoglio Verde o binário para ir para apenas uma única roda - graças ao sistema de torque vectoring composto por um diferencial e 2 embraiagens que pode, dependendo das condições e situação mover a potência entre as rodas incluindo a possibilidade de numa curva ir toda para apenas uma roda.

O V6 a gasolina é uma novidade sem duvida e promete um nível de potência capaz de embaraçar os grandes - Krief assegura que não é um caso de meter grandes turbos num motor pequeno e que será capaz de sair que nem um gato escaldado independentemente da velocidade em que estiver. É também interessante porque este motor irá certamente surgir noutros modelos italianos, provavelmente no novo Ferrari Dino que Sergio Marchionne já confirmou estar em desenvolvimento

Aerodinamica activa é algo de novo para a Alfa e creio para este segmento - o Giulia (pelo o Quadrifoglio Verde tem já o resto da não se sabe se terá de série ou opção) tem um splitter à frente com 2 accionadores eléctricos ligados à ECU e em linha recta ele sobe para melhorar a performance aerodinamica e nas curvas ele desce para aumentar a aderência. A ECU leva em consideração não só se esta em curva como também se o Giulia está a fugir de frente ou traseira para decidir a posição do splitter.

update de 09-07-2015
A Alfa Romeo publicou 2 mais um curto vídeos sobre o novo Alfa Romeo Giulia Quadrifoglio Verde em que podemos não só ouvi-lo como ver em detalhe o novo logótipo da marca.


Post original de 26-06-2015
O site QuattroRuote publicou algumas imagens do interior do novo Alfa Romeo Giulia Quadrifoglio Verde, o que é estranho: porque é que não publicam as imagens do interior? Haverá detalhes ainda por decidir?






Post original de 25-06-2015
Mais imagens e mais detalhes do novo Alfa Romeo Giulia, sucessor do 159, que estreia logo com a versão de topo Quadrifoglio Verde com 510 cavalos no eixo traseiro - haverá melhor forma de celebrar de 105 anos de vida? Terá pela pela frente os Mercedes Classe C, Audi A4, BMW Serie 3, Jaguar XE...espero que o Sergio tenha feito o trabalho de casa.

É um automovel muito importante para a Alfa que pretende intrometer-se com os alemães - ainda há energia e magia naquela marca tão italiana? Sergio Marchionne tece um plano muito ambicioso para que a Alfa passe dos actuais 70.000 automoveis anuais para 400.000 unidades em todo o mundo em 2018. Há quem duvide que isso seja possivel, mas também disseram o mesmo da Maserati e essa correu bem. Esperemos que Sergio consiga acertar...

Sim, porque o apresentar deste Giulia logo pelo modelo mais potente é claramente mais que uma afirmação da desportividade deste Giulia - é uma declaraçaõ de guerra! Afinal é chegaram a arena com um sedan tão ou mais potente que os outros, com a melhor relação peso-potência (3 kg/cavalo) e tempo dos 0 aos 100km\h mais curto de todos. Agora se isso bastará para assustar a concorrência é outra historia - vejamos os números:
- Alfa Romeo Giulia QV  : V6 3 litros biturbo, 510 cavalos, 0-100 km/h 3,9 segundos
- Mercedes AMG C63 S : V8 4 litros biturbo, 510 cavalos, 0-100 km/h 4,0 segundos
- BMW M3 : 6 em linha 3 litros biturbo 431 cavalos, 0-100 km/h em 4,1 segundos

Olhando para os números parece bem, mas terá que ter um bom comportamento, a potência tem que chegar na altura certa, tem que fazer o som certo - como parte da actual Alfa e quer passar a cotovelos pelos alemães terá que impressionar.

Este Giulia Quadrifoglio usa o mesmo motor dos Maserati Quattroporte e Ghibli (dos quais também aproveita a plataforma), um V6 turbo de 510 cavalos no eixo traseiro e caixa manual. É um portento de força e tecnologia que não via em Alfas de série há muito tempo - elementos como arvore de transmissão, capot e tejadilho em fibra de carbono de série e pode ainda ter como opção os discos de travões e assentos com estrutura em fibra de carbono. Usa aluminio nos para-lamas e portas, tem um spoiler dianteiro activo e Torque Vectoring. Tudo pesando apenas 1.500 quilogramas.

O sistema DNA continua presente com 3 modos de condução e a suspensão activa pode ser configurada - Dynamic, Natural, Advanced Efficient (com desactivação de cilindros) e nas versões Quadrifoglio Verde tem ainda a posição Racing.

Não se sabe detalhes sobre os modelos menos potentes mas alguns sites avançam com a gasolina um 4 cilindros de 2 litros disponivel com 178, 247 e 326 cavalos, a diesel um 4 cilindros de 2,2 litros disponivel com 133, 178 e 207 cavalos e ainda um V6 de 3 litros com 335 cavalos.

O Giulia Quadrifoglio deve estar à venda na Europa em Março de 2016 e nos EUA alguns meses mais tarde. As variantes menos potentes devem chegar na mesma altura, incluindo versões 4WD e diesel. Uma variante SUV deverá chegar em 2017.

Post original de 24-06-2015
A espera parece que terminou emfim e via o Carscoop.com temos as primeiras imagens oficiais do novo Alfa Romeo Giulia, neste caso são da versão Quadrifoglio Verde (QV) que ira rivalizar com a flor fina como Audi RS4, BMW M3 e Mercedes C63 AMG. 







Esta variante terá 503 cavalos graças a um V6 de 3 litros turbo desenvolvido pela Ferrari e é capaz, segundo a Alfa Romeo de ir dos 0 aos 100km\h em 3.9 segundos. Esperemos por mais detalhes da restante gama...

Post original 23-06-2015
O site do Carscoops publicou 2 imagens do que parece ser o novo Alfa Romeo Giulia. A apresentação oficial é daqui a poucas horas portanto em breve deveremos ter muito mais para mostrar...não sei se vou ser capaz de dormir!


3 comentários:

  • Michordeiro says:
    25 de junho de 2015 às 17:20

    Parece que finalmente a Alfa Romeo está no caminho certo... Depois do 8C e 4C eis mais um passo que parece bem dado.
    Vamos ver como crescem....

    Gostava de ver nascer concorrência no seio da hegemonia alemã. Se a concorrência vier de uma marca com uma história riquíssima como a Alfa Romeo, melhor, mais interessante será!

  • Turbo-lento says:
    26 de junho de 2015 às 17:19

    Espero bem que sim, porque se há alguem que todos nós (provavelmente até os alemães) gostariam de ver esmurrar o nariz à BMW, Audi ou MErcedes é a Alfa.

    O problema com a imagem projectada e alvos que pretende atingir é que a Alfa tem "este momento" apenas para ter sucesso - se o Giulia não for tão bom quanto promete ninguem levará a sério. SIm, a Alfa venderá muitas unidades especialmente quando o SUV chegar mas não conseguirá retirar compradores às marcas de luxo alemães.

    Eu, torço pela Alfa. Quero que a marca italiana que esteve este tempo todo sentada num canto escuro do bar a ouvir os seus comparsas alemães a gabaram-se das suas vendas que se levante e sem pré-aviso dê uma cabaçada a cada um deles!

  • Anónimo says:
    10 de julho de 2015 às 19:32

    A Alfa Romeo nem no seu período negro foi inferior aos alemães.
    Apenas não tem valor no mercado, mas tem muito valor para quem o utiliza e usufrui do que ele oferece!
    Como sei isso? Os Alfas vêm equipados de fábrica por quase tudo da BOSCH tal como os alemães...
    Os interiores são lindissimos, inclusive nas versões base.
    Nas versões camel nem se fala.
    Trazem amortecedores Sachs e há sempre a possibilidade de upgrade para Bilstein. As 156sw traziam inclusivamente Nivomat. Na questão de conforto e segurança também não ficam rigorosamente nada atrás dos alemães.


    Quanto ao resto, estética, desportividade são muito superiores aos alemães.
    Então como pode ser pior?

    O calcanhar de Aquiles da Alfa sempre foi e sempre vai continuar a ser o seu espírito inovador aliado à sua exclusividade.
    Isso faz com que só a marca e quando falo em marca tem de ser um bom representante ofereça a manutenção adequada, visto que há representantes FIAT que não valem nada.. mecânicos low cost (que não vão a formações para mexer em Alfa Romeo porque elas custam dinheiro) esqueçam porque volta e meia, começam a mexer no que não sabem e avariam o que está bom.
    Agora julguem a marca por ser inovadora e ter o reverso da medalha, mas pelo menos não é uma copy-paste como muitas que andam aí!

    E quem compra um Mercedes também não gasta pouco em manutenção.

"