2015 - o ano dos inesperados?

Sejamos sinceros, todos gostamos quando um gigante tomba às mãos de alguem completamente inesperado: temos David e Golias, Hercules, os Gregos face aos Persas, o "Cinderela Man", Rocky, J.K. Rowling, Erin Brockovich, Nelson Mandela, qualquer tipo branco num combate de boxe ou qualquer opositor de Pete Sampras...creio que a expressão inglesa "underdog" melhor explica o que eu quero dizer.

E creio que 2015 poderá ser um ano em que vamos ver alguns "underdogs" da industria automóvel que estavam até agora muito calmos e calados no canto do bar levantarem-se e simplesmente dar um murro nos queixos dos "mandões". Do que é que estou para aqui a falar? Disto.

Mazda MX-5
A Mazda a muito que diz que quer fazer os seus automóveis mais leves, mais divertidos mais eficientes para se distanciar da competição e recentemente apresentou a manifestação mais pura desses ideais - o novo MX-5. Miata para os "americanes".

Pode parecer estranho referir o MX-5 como importante, afinal é um modelo de mercado limitado, mas todas as marcas precisam de um modelo "desejável", marcante para cativar os consumidores. E tendo o RX-8 desaparecido o MX-5 tomou o papel de líder carismático da marca. Esta 4ª geração é completamente nova e ao mesmo tempo igual à primeira geração - a simplicidade de "Jinba ittai": japonês para "cavaleiro e cavalo num só".

A Mazda está a tentar a fazer o mesmo à sua "gama de volume" com a combinação do designe Kodo e tecnologia Skyactive - a Mazda agora tem o porta-estandarte certo para intrometer-se entre os grandes. Agora depende do que faz com ele...


Jaguar XE
Outro "underdog" é o Jaguar XE, a ideia dos britânicos de picarem os alemães que dominam o sector do luxo, neste caso ir atrás dos BMW serie 3, Mercedes Classe C e Audi A4.

Uma ideia que deve ter ataques de riso aos alemães e sejamos sinceros não podemos propriamente deixar de questionar "o que raio andam os ingleses a pensar?" A ultima tentativa foi o insípido Jaguar Type-X que foi um completo desastre que custou milhões e milhões à Ford e no fim contribuiu à decisão da Ford despachar a Jaguar para a Tata. Para os que nunca ouviram falar do Jaguar type-x era basicamente um Ford Mondeo de 2000 com um logótipo diferente, nada de luxuoso.

Também há a questão que os SUV's estão neste momento em explosão e a Jaguar vai atrás dos adversários mais fortes no segmento onde estão mais fortes e onde as vendas têm estado a descer. Mas sinceramente, depois de ver a apresentação, acredito que a Jaguar venha a ter a ultima gargalhada - a Jaguar sabe que não pode apenas agradar, tem que deixar todos sem ar. Vou estar em no Salão de Paris deste ano e vai ser um dos primeiros stands que vou visitar e depois de Type-F não espero menos do XE.

Sim, a Jaguar tem exagerou um pouco no teasing - sinceramente a Volvo ainda detém esse troféu com a campanha que fez com o novo XC90, mas quando somamos todos os pedacinhos de informação não podemos deixar de pensar que será algo de especial, diferente. Sabemos que estreia uma nova plataforma modular de alumínio, as suspensões do Type-F, novos motores completamente novos de 4 cilindros, que terá versões clássicas e híbridas, e equipamentos de ultima geração. As pessoas que compram automóveis deste segmento (não me refiro claro aos que os compram em segunda-mão, esse é um publico completamente diferente) querem imagem, aura, designe marcante e qualidade de topo. Acrescentar uma pitada de performance e prazer de condução quanto baste e a Jaguar pode dar um olho a belenenses aos alemães muito em breve.

O publico também começa a ficar farto de um segmento a três e procura um rufia que entre ruidosamente em cena - sejamos sinceros, as raparigas gostam que amor e carinho, poesia e uma salada, mas lá no fundo elas querem que um tipo com um pouco de barba e ligeiro toque de suor dê um pontapé na porta, pegue nela ao colo e saia pela janela. Se a Jaguar conseguir (e secretamente eu quero muito que tenham) um designe que agarre as pessoas pelos colarinhos juntamente com aquela aura clássica Jaguar e...magia acontece. Se acontecer "magia" creio que a Audi será quem mais perderá no início porque nos últimos tempos parecem que apenas fabricam automóveis convencionais. Claro que se "não houver magia" com tanto investimento feito duvido que a Jaguar sobreviverá.


Volvo XC90
E falei no novo Volvo XC90, outro "actor secundário" que também pretende intrometer-se entre os valores estabelecidos, leia-se Mercedes, Audi, BMW, Range Rover (Sport e o Land Rover Discovery), Porsche Cayenne e o Volkswagen Touareg. Esta segunda geração parece ser um passo na direcção certa - o designe é novo e ao mesmo tempo continua a ser um Volvo, escolhas inteligentes de tecnologia e fabricação, um interior de sonho...mas será que vende?
Duvido que recupere a popularidade que teve no passado na Europa e nos Estados Unidos já que a oferta no segmento simplesmente explodiu, mas é um novo começo para a Volvo (quer de designe e tecnologia) e teremos que esperar para ver. Onde provavelmente não teremos que esperar é para a reacção no principal mercado automóvel do mundo - a China. Detida pela Geely assegura um trunfo naquele mercado.

Mas como eu disse este Volvo XC90 é o tiro de partida para uma série de novos modelos, e 3 anos e 10 mil milhões de euros mais tarde os Suecos podem estar discretamente a deixar os alemães no tapete para o puxarem...


Land-Rover Discovery Sport
É estranho referir a Land Rover como um "outsider", especialmente se considerar-mos a Range Rover - mas a verdade é que até recentemente parecia que não havia um plano a longo prazo para a marca inglesa. Não havia uma ligação de designe ou mecânica entre as gamas, apenas modelos sortidos - e isso permitiu que competição mais organizada (leia-se alemã) tome o mercado. Mas isso pode estar a mudar.


Primeiro organizaram a marca de luxo (Range Rover)com o Evoque, novo Range Rover e Range Rover Sport e agora vão para a gama genérica com a Land Rover: primeiro passo o Discovery Sport que o substitui o vestudo Freelander antes de termos o Discovery. Os ingleses passaram muito tempo a planear quietinhos no seu canto sem que ninguém lhes prestasse muita atenção. Agora têm a minha atenção...

0 comentários:

"