Novos DS4 e DS4 Cross apresentados

A nova gama da DS continua a crescer com os novos DS4 e DS4 Cross que vão encaixar entre os já disponiveis 3 e 7, com o 9 a fechar para já a contagem. Para quem procura um compacto mais premium (tipo BMW Série 1, Audi A3 e Mercedes Classe A) acabou de ter algo mais para considerar. A versão anterior do DS4 foi descontinuada em 2018 e deixou um grande buraco na gama - sejamos sinceros, vendem-se muitos compactos na Europa. Esta nova geração tem 2 sabores: o DS4 normal e o DS 4 Cross que tem barras no tejadilho e um ou outro detalhe de estilo com o resto a ser igual, incluindo a altura. Mais adiante vai haver uma terceira variante chamada Performance Line.

Exteriormente acima de tudo não um Citroen C4 empinocado como era a anterior geração - e distinto e diferente e definitivamente quer ser luxuoso e não apenas parecer luxuoso. Parece que a DS enfim está confiante que encontrou a sua imagem e identidade.




Tem uma assinatura luminosa muito espetacular e pegas das portas semelhantes aos do Jaguar I-Pace...sim, e como os do Tesla Model S. Apesar de ser um compacto não é propriamente pequeno (4,40 metros de comprimento com 2,67 metros a ficarem entre as rodas, 1,83 metros de largura e 1,49 metros de altura - basicamente um Mercedes GLA mas mais baixo) e vai estar apenas disponível com jantes de 18 a 20 polegadas que vão combinar muito bem com o look mais musculado deste novo modelo que ira estar disponível com 2 versões.





O DS4 normal e uma versão supostamente aventureira chic "Cross" (pensem camping versus glamping) apenas distinguíveis pelas barras em preto, logotipos específicos e o tejadilho na mesma cor da carroçaria (no DS4 normal o tejadilho é em preto).



A versão Performance Line ira carregar em acabamentos em preto, fibra de carbono e um controlo de tração avançado com Hill Descent Control.

O interior é luxuoso mas não recorreram à receita do costume de atirar com couro, fibra de carbono, alcantara por todo o lado. Moderno e até simples relativamente aos anteriores produtos da DS. Temos assentos elegantes e confortáveis, os poucos botões estão bem agrupados e não passaram simplesmente para algum submenu no sistema multimédia. Gosto do detalhe das saídas de ar laterais estarem nas portas junto aos controlos e quase nem se vêm as saídas de ventilação centrais ou os seus comandos. Há um ecrã mais pequeno em baixo junto ao controlador da caixa de velocidades para algumas das funções.


Inclui novas tecnologias neste segmento como vidro acústico, a visão noturna, suspensão pilota Active Scan com uma camara a preparar a suspensão para irregularidades à frente, head-display no para-brisas e condução semiautónoma.

Este novo DS4 estreia uma evolução da plataforma EMP2 para permitir suspensões e direção especifica, o design avançado, poder receber novas tecnologias e reduzir peso graças ao uso de materiais compósitos e colagem.

Debaixo do capot terá sempre um motor a combustão e uma caixa automática de 8 velocidades - e a versão elétrica pergunta vocês, afinal a DS até esta na Formula E e tudo...não há. A diesel terá apenas o 1.5 litros BlueHdi de 130 cavalos, enquanto a gasolina terá o 1.2 litros PureTech com 130 cavalos e o 1.6 litros PureTech com 180 ou 225 cavalos. Também terá uma variante hibrida plug-in chamada E-Tense com um motor de combustão ajudado por um motor elétrico a debitar um total de 225 cavalos no eixo dianteiro. A bateria de 12,4 kWh permite uma autonomia 100% elétrica de 50 quilómetros.

Curiosamente, apesar da DS representar a luxo francês, este novo DS4 vai ser produzido na Alemanha...inicialmente a ideia era produzir o DS4 em Sochaux na França mas a decisão foi tomada para que seja produzido na fabrica da Opel em Rüsselsheim já que esta unidade está muito subaproveitada (apenas produzindo o Astra e Insignia) e provavelmente para acalmar os sindicatos alemães que temem perda de empregos desde que a PSA comprou a Opel.

0 comentários: