[update]Gordon Murray Automotive apresenta o T.50

Há novos supercarros com potências e aspetos mais extravagantes que o anterior a serem apresentados regularmente mas muitos "passam ao lado" e caem no esquecimento - mas quando Gordon Murray apresenta um o mundo pára para ver. O genial Gordon Murray, pai do McLaren F1, apresentou o descendente a este ícone do mundo automóvel - o T.50 movido por um V12 atmosférico para apenas 986 quilogramas!
E desta vez ele quis produzir um sucessor espiritual ao icónico McLaren F1 que também colaborou no desenvolvimento - e dá para ver a inspiração do F1 no aspecto do T.50: a forma geral, os vidros em 2 partes e o arranjo de 3 ocupantes com o condutor no centro.


É muito compacto - apenas 4,35 metros de comprimento e 1,85 metros de largura o que significa que é apenas ligeiramente maior que um Renault Megane, e mesmo assim tem uma mala com 228 litros!



Mas sejamos sinceros, o pormenor mais chamativo é o ventilador/ventoinha de 40 centímetros operada por um motor eléctrico de 48 volts e o enorme difusor traseiro que permitem uma aerodinâmica ativa. É capaz de variar o efeito de solo e apoio aerodinâmico para melhor velocidade de ponta ou melhor comportamento em tempo real conforme 6 modos de condução selecionaveis que alteram todas as superfícies moveis do carro.
Em modo "Auto" responde ao estilo de condução do condutor e em modo "Braking" duplica o apoio aerodinâmico usando a ventoinha e o travão aerodinâmico encurtando a normal distancia de travagem do T.50 em 10 metros!

Em modo "High Downforce" para curvas aumenta o apoio aerodinâmico em 30% e em modo "Streamline" aumenta a velocidade de ponta, reduz o apoio em 10%, fecha condutas debaixo do automóvel e acelera a ventoinha para me melhorar a aerodinâmica traseira deixada pelo carro. Finalmente em modo "V-max" expande o modo "Streamline" coloca tudo no máximo incluindo mais 30 cavalos do pequeno motor eléctrico de 30 cavalos do sistema híbrido ligeiro.

Já agora, não posso deixar de apontar aos capots laterais traseiros tirados do DeTomaso Mangusta!
No interior dá para perceber que toda a atenção foi para o condutor - simples, eficaz, comandos em alumínio e titânio, um ecrã de cada lado mais vários comandos/botões no volante.


O exterior excepcional esconde um motor excepcional - um V12 atmosférico de 3,9 litros capaz de atingir 12 100 rpm que debita 663 cavalos (700 em overboost graças a uma admissão activa) e 467 Nm de binário desenvolvido pela Cosworth. Este motor pesa menos que 180 quilogramas, 60 menos que o V12 BMW do McLaren F1, e é capaz de acelerar do ralenti até ao redline de 12.100 rpm em apenas 0,3 segundos - mas não será necessário puxar tanto pelo motor: o binário máximo chega às 9.000 rpm e 71% do binário está disponível logo às 2.500 rpm.

Se há um motor que merece a analogia a um relógio suíço é este - que está associado a uma caixa manual de 6 velocidades desenvolvida especificamente pela Xtrac, que continuando pela caça do peso é 10 quilogramas mais leve que a do McLaren F1, para debitar toda esta potência no eixo traseiro.
E mesmo incluindo luxos como climatização, sistema multimédia compatível com Apple CarPlay e Android Auto com 10 colunas este t.50 pesa apenas 986 quilogramas...o meu Twizy pesa 600 quilogramas! Num dos vídeos abaixo, sinceramente não me recordo qual, Murray diz que criar um desportivo leve não tem que vir de materiais exóticos, vem do estado de mente, de controlo e atenção absoluta, e do conhecimento completo de design leve e optimizado.

Mas exclusividade tem um preço elevado - cada uma das 100 unidades previstas custará 2,36 milhões de libras mais impostos.




update 27-08-2020

0 comentários: