[update]Novo Range Rover Evoque apresentado

Já temos a segunda geração do Range Rover Evoque, do que bem podia ser a estrela do filme "Querida, encolhi o Velar!" com algumas novidades significativas debaixo do capot.

Substituir o modelo mais vendido (mais de 750.000 unidades desde 2011) nunca é fácil e a marca britânica não arriscou muito - manteve o perfil do modelo anterior mas com o design do Velar: pegas das portas retrateis, faróis finos e os traseiros ligados por uma faixa negra. O comprimento mantêm-se nos 4,37 metros mas a distancia entre eixos aumenta 2 centímetros para ajudar ao espaço interior. Desaparece a versão 3 portas o que coloca em risco também a versão descapotável.


No interior o tablier é completamente novo - mais ou menos, é o do Velar à escala. Temos um painel de instrumentos completamente digital e 2 ecrãs tácteis na consola central para controlar a climatização ou os assentos.

O sistema multimédia é compatível com Apple CarPlay e Android Auto, recebe o "capot transparente" no ecrã central e para melhorar a visibilidade para trás o espelho retrovisor vira um ecrã que transmite a câmara traseira.

Mecanicamente é um misto - a plataforma é basicamente a mesma da geração anterior (e já tem uns anos: é a plataforma C/D que data dos tempos da Ford) mas graças ao redesenhar das suspensões (que podem ser activas em opção) permite melhorar o comportamento, conforto e o espaço interior (a mala passa de 575 para 591 litros).

É debaixo do capot estão as maiores novidades - recebe uma versão mild-hybrid que combina um novo 3 cilindros de 1.5 litros turbo a gasolina (basicamente um motor de 4 cilindros Ingenium com um cilindro a menos) e um sistema de 48 volts com um pequeno motor eléctrico que assiste o motor de combustão quando necessário, e mais adiante também terá uma versão plug-in deste sistema (com uma bateria de 11 kWh e um motor eléctrico de 80 kW no eixo traseiro). Aproveita ainda os motores Ingenium do primo E-Pace, todas de 4 cilindros e 2 litros: a gasolina com 200, 250 ou 300 cavalos, e a diesel com 150, 180 e 240 cavalos. Todas os motores recebem a caixa automática de 9 velocidades, uma versão melhorada da disponível na geração anterior.

Quase todos os modelos recebem tração integral com Terrain Response 2, diferencial traseiro bloqueavel e graças ao Driveline Disconnect é possível passar transitar entre 2WD e 4WD em menos de 400 milissegundos. 

Para manter as emissões e versões "acessíveis" também vão haver modelos de tração dianteira apenas.


update 14-12-2018

0 comentários:

"