Mercedes perde processo do R1234yf

Este foi um tema que abordei há uns anos atrás que vou tentar resumir abaixo, mas a questão principal é que a Mercedes ia em breve ter que recolher uma série de automóveis.
Recapitulando, em 2013 a União Europeia proibiu o uso em automóveis de um refrigerante chamado R134a devido a um poder de gás de estufa 1.300 vezes maior que o CO2. A industria automóvel em consenso resolveu adoptar como alternativa o R1234yf desenvolvido pela Honeywell e DuPont - não contribui para o efeito de estufa mas tem um problema: é combustível e em combustão gera um gás bastante forte. Múltiplos testes e ensaios mais tarde e o consenso foi que o risco de ignição era tão baixo quanto o R-134a que substituía e que ignições devem à presença de óleo de PAG usado nos sistemas de ar condicionado automóveis - podia ser implementado.

O problema surge quando uma revista alemã corre um artigo relativo ao R1234yf intitulado "o refrigerante assassino" na mesma altura em que a Mercedes anuncia que terá de recolher vários modelos por linhas de ar condicionados frágeis. A Mercedes resolve não adoptar o novo químico e vende viaturas com o produto proibido justificando a decisão por preocupações de segurança.

O resto dos construtores chatearam-se porque além da Mercedes ter dado a luz verde no R1234yf antes, não havia alternativas viáveis na altura - ainda se está a desenvolver um sistema que use CO2 para eventualmente substituir o R1234yf. Alguns construtores ainda disseram que a verdadeira razão era que a Mercedes não queria ter que usar este produto mais caro. A Volkswagen (e outros construtores) nesse campo foi mais inteligente - homologou os seus automóveis antes da entrada em vigor desta legislação e assim continuou a poder usar o mais barato R134a. A Mercedes não se lembrou disso e depois fez uma birra pelos vistos.

Assim, a Mercedes vendeu durante 6 meses cerca de 130.000 automóveis com o refrigerante ilegal antes das autoridades alemãs de homologação lá terem feito a homologação retroactiva. Pelo meio houve ainda uma pega com os franceses, o assunto foi encaminhado para o tribunal europeu mas o assunto basicamente caiu no esquecimento desde então.

Até agora - no dia 8 de outubro o tribunal europeu concluiu que a "homologação retroactiva" da Alemanha violou a diretiva europeia. Ou seja, a Mercedes prepara-se para ter que recolher esses 130.000 automóveis.

0 comentários:

"