Pay-as-you-drive na Holanda

A Holanda vai aplicar apartir de 2012 um sistema de cobrança conforme a quilometragem que poderá ser seguido por outros países europeus. basicamente, um sistema GPS será instalado em todos os carros do pais e os condutores pagam ao quilometro. Este esquema substituirá vários impostos automóveis que vão ser reduzidos para compensar o esquema pay-as-you-drive.

Actualmente, o imposto automóvel na Holanda pode representar até 25% do preço do carro - no novo esquema será abolido bem como o imposto anual de circulação. Segundo o governo holandês, 6 em 10 condutores vão ter vantagens sob este novo sistema com as receitas fiscais anuais a manterem-se e o tráfego na estrada deverá ser reduzido (até 15%). Estima-se que o numero de carros na estrada seja reduzido em 7% e as emissões de CO2 desçam em 10%.

As informações de cada viagem são enviadas para uma agência que gere o sistema, com cada quilometro a custar 7 - mais para estradas com muito transito e durante horas de pico. Camiões, carrinhas e automóveis com maiores emissões pagam mais.

4 comentários:

  • Zé Miguel says:
    24 de novembro de 2009 às 15:53

    Espero que o Socrates não fique com ideias...

  • Turbo-lento says:
    24 de novembro de 2009 às 17:44

    Se anulassem muitos dos outros impostos até seria bom: podemos comprar carros melhores e só pagar aquilo que andamos.
    Mas tendo em conta a mentalidade dos politicos portugueses...

  • Este comentário foi removido pelo autor.
    Turbo-lento says:
    24 de novembro de 2009 às 17:44

    Este comentário foi removido pelo autor.

  • Herege says:
    24 de novembro de 2009 às 18:55

    Isto é uma mina para ganharem mais dinheiro! mas alguem ainda acredita no pai natal? imaginem terem um carro, digamos um tractor, pick-up ou jeep, e andam naquilo que é vosso, um terreno privado por exemplo, então estão a vêr o filme, mesmo que andem dentro da vossa propriadade estão a pagar! isto é só um pequeno exemplo.
    Mas como os nossos politicos são uns chupistas, e gostam de embarcar em modas, espero bem que nem pensem nisto.