Só não acerto no EuroMilhões com a Takata

Recentemente escrevi sobre a falência da Takata e do processo que irá correr até ao enterro numa cova funda coberta com cal - principalmente sobre a substituição a nível mundial dos airbags que continuará e deverá terminar em 2020. Talvez...
Na altura escrevi "talvez" porque isso dependia se os airbags de substituição fossem seguros - a única diferença entre os airbags que explodiam e os novos de substituição é que estes têm um químico dissecador que absorve a humidade a temperaturas mais altas (acha-se que combinação de idade e humidade torna o nitrato de amónio instável). Ora apenas a Takata usa nitrato de amónio em airbags portanto não há forma de saber se isso basta.

A NHTSA determinou que a Takata tem até ao fim de 2019 para provar que estes novos airbags são seguros e se não o fizer terá que recolher e substituir esses também...Pelos vistos segundo a Reuters isso pode vir a acontecer.

Poucos dias depois da NHTSA anunciar que testes aos novos airbags da Takata indicaram que 2.7 milhões de um total de 100 milhões de unidades de substituição estavam defeituosas (tendo sido trocado o agente dissecador para outro composto) vários especialistas em explosivos estudaram o problema e parece (novamente, segundo especialistas em explosivos) que a adição do tal agente dissecador pode simplesmente adiar o problema - não o resolve.

Keiichi Hori, supervisor para o sector automóvel na Japan Explosives Society (sociedade japonesa de explosivos), disse que o agente dissecante pode reduzir mas não elimina o risco de explosões descontroladas. O problema é que o nitrato de amónio é volátil demais e até ex-funcionários da Takata dizem que isto é apenas uma manobra de ganhar tempo, que mais cedo ou mais tarde também estes airbags vão ter que ser recolhidos por alguém. Claro que nessa altura a Takata já não existe e isso significa que os construtores automóveis vão ter que pagar a conta.

Quanto tempo? Os airbags originais que iniciaram toda esta telenovela não explodiam imediatamente após a tal exposição ao calor e humidade - em média parece que estes airbags tinham mais de 5 anos de uso antes do nitrato de amónio se tornar volátil demais e explodir violentamente. Estes novos airbags podem ser estaveis durante mais tempo, quanto mais tempo é uma boa pergunta.

A única luz ao fim do túnel (curiosamente vem dos Americanos) é que a Takata tem até 2019 para provar que estes novos airbags são seguros e na ausência de tal prova até esses tais 100 milhões de novos airbags de substituição vão também ter que ser recolhidos.

Apenas para relembrar, 13 mortes estão confirmadas a estes airbags da Takata, com mais 4 ainda a ser investigadas mas fortes indicações de serem também por estes airbags.

0 comentários:

"