Takata volta a matar

Depois de um período de calma a Takata voltou às noticias - um camião que transportava detonadores/ativadores de airbags com nitrato de amónio da Takata esteve envolvido num acidente rodoviário e explodiu matando um mulher.
Este é o mesmo tipo de ativador/detonador de airbag usados nos airbags que estão a ser recolhidos por todo o mundo. Para terem uma ideia da explosão a vitima mortal era uma mulher de 69 anos que estava à porta da sua casa próxima da explosão e depois de 2 dias à procura dela chegaram à conclusão que o seu corpo foi despedaçado na explosão.

E há mais - o jornal The New York Times publicou um artigo interessante sobre como no final dos anos 90 a Takata entrou no mercado dos airbags com um modelo que era 30% mais barato que a concorrência. Impressionada a General Motors foi ter com a Autoliv, que até à altura usava airbags deles, para ver se estes podiam apresentar um preço comparavel ao da Takata.

Surpreendidos pela diferença de preço a Autolive testou os airbags e chegou à familiar conclusão que não eram seguros, que explodiam e projetavam estilhaços metálicos durante os testes. E apesar de terem mostrado todas essas provas à GM, a marca americana decidiu mesmo assim comprar os airbags da Takata. 

Até agora não houveram problemas com os airbags da Takata em automoveis da GM (tem sido principalmente automoveis da Honda) e a marca americana não quer falar nisso porque segundo eles "isto foi na velha GM, e nós somos a nova GM", ou seja, é um problema da empresa falida não da que saiu da falência.

0 comentários:

"