Mas que raio Comissão Europeia?!

No outro dia todos os noticiários abriram com a noticia que comer carne fumadas e processadas era tão cancerígeno como tabaco. O que não era verdade: o estudo avaliou as provas que indicavam ser cancerígeno mas não a quantidade necessária para causar cancro. E sim, ambos tabaco e algumas carnes processadas são cancerígenas mas enquanto fumar aumenta o seu risco de cancro de pulmão em 2500% mas comer 2 fatias de bacon por dia aumenta o seu risco de cancro do cólon em 18% - tendo em conta que as probabilidades de uma pessoa saudável ter cancro do cólon são de 5%, se comer bacon passa para 6%. Agora temos a noticia que a Comissão Europeia acabou de decidir que os construtores automóveis podem continuar a emitir grandes quantidades de óxidos de azoto causadores de doenças respiratórias e sabem quantos noticiários falaram nisso? Absolutamente nenhum.

Depois de tanto barulho a comissão europeia cedeu à pressão dos governos de países com grandes industrias automóveis e fez marcha-atrás na proposta de para testes mais rigorosos. A comissária responsável pela industria Bienkowska concordou em deixar que as emissões reais de NOx excedam em 110% o regulamentado por 27 meses até 2020, abandonando a proposta inicial de uma tolerância de apenas 60% até o Outono de 2019. Ela também aceitou que uma tolerância permanente de 50% do limite actual de 80mg/km apartir de Janeiro de 2020 quando o plano original era não haver tolerância. 

Ou seja, na proposta original um automóvel novo em 2019 só poderia emitir 95mg/km de NOx, mas agora com estas novas tolerâncias um diesel Euro6 pode emitir 160mg/km até 2019 e apartir dai pode emitir 120mg/km de NOx. 

Os governos pressionaram a comissão técnica para conseguirem esta proposta diluída para que não tivessem que ser os governos a decidir que seria uma dor de cabeça política para os governos - terem que escolher entre a saúde dos seus votantes ou das empresas que os financiam. É mais fácil por "as culpas" na Comissão Europeia. Pessoalmente creio que é uma afronta - como os construtores não acertam na baliza, ao invés de os obrigar a treinar aumenta-se a distancia entre os postes da baliza. Dá para perceber que isto chateia-me quando uso metáforas de futebol, desporto que desprezo.

Claro que isto vai agora ao Parlamento Europeu onde espero que leve um não!

0 comentários:

"