GNR distribui Espirito Natalício

Não consegui ter hipótese de escrever sobre esta história na altura certa, mas não a queria deixar passar. Antes de mais tenho que dizer que respeito a policia tendo em conta o trabalho que têm, muitas vezes sem o equipamento e apoio necessário mas infelizmente muitos esquecem-se que não estão apenas a fazer cumprir a lei, mas sim lidar com pessoas. 

Esta história começa no dia 23 de Dezembro quando uma ambulância do INEM que fazia o transporte de uma doente com 80 anos cujo estado de saúde complicou-se e a viatura teve de parar para dar assistência à idosa que acabou por morrer na berma da A8. O médico (que faz parte das equipas do INEM) declarou o óbito mas como por lei as ambulâncias não podem transportar cadáveres sem primeiro comunicar com a GNR. É importante dizer que enquanto isto acontecia a ambulância estava estacionada na berma da A8 assinalada por uma carrinha de assistência da concessionária da A8 que chegou ao local nos entretantos.
O caricato é que quando a GNR chegou ao local não quis saber do que se passava - apenas mandou sair toda a gente da ambulância, perguntou quem era o condutor e multou-o em 120 euros por estar parado na berma da auto-estrada...yup, vieram, viram e multaram. 

Ou seja, alguém neste pais de 10 milhões de almas perdeu uma mãe ou uma avo, que ajuda deram os oficiais da lei aos que tentaram salva a sua vida e com ela estiveram nos últimos minutos da vida? Passaram uma multa...

Quando questionados sobre a razão para tal atitude a GNR diz que apenas cumpriu a lei. O major Marco Cruz explica que a multa só foi aplicada depois de vários alertas feitos à equipa da ambulância com a GNR a insistir nos riscos para a segurança publica devido à permanência do veiculo na berma da A8 em Torres Vedras. um auto de contra ordenação tendo em conta o bem superior que é a segurança pública numa autoestrada, mesmo que o caso se tenha passado durante a madrugada e quando a ambulância do INEM estava perfeitamente assinalada e protegida por uma carrinha de assistência com luzes, cones e toda aquela parafernália que todos já vimos nas auto-estradas.

E aí começa a confusão - a carrinha teve que parar por ordem do médico que não podia fazer a reanimação em andamento, foi devidamente assinalada e com a morte da senhora a ambulância não podia se mover sem chamar as autoridades, que fizeram. Chegam as autoridades e basicamente ignoram tudo e passam uma multa por estarem parados na berma da auto-estrada. Curiosamente, segundo Rui Fernandes da GNR, a ambulância não devia ter ficado parada na berma da A8 onde era proibido e devia ter saído num ramal de acesso - mas isso seria ilegal e podiam ser multados ou repreendidos por incumprimento dos procedimentos. Preso por ter cão, preso por não ter...

Mas parece que algumas horas mais tarde a GNR enfim viu a bestialidade da sua situação e decidiu arquivar a multa passada aos bombeiros de Óbidos na A8 depois de ter analisado toda a informação disponível sobre o caso e ter verificado não existir infracção. Só falta saber onde vão parar os 120 euros da multa pagos pelo condutor da ambulância.

Senhor Policias, são pessoas que vocês estão a policiar e é por atitudes destas que as pessoas perdem o respeito pela Policia. Façam cumprir a lei, mas não deixem de ser humanos.

0 comentários:

"