EU atira Mercedes para o tribunal

E quando parecia que esta história da Mercedes vs União Europeia já estava encerrado, volta para a ribalta - desta vez a comissão Europeia vai levantar um processo legal à Alemanha e a Mercedes por causa do R134a. Algo que o mais certo é ir acabar no tribunal europeu.
 
A Alemanha tem agora 2 meses para responder, que depois será analisada pela comissão e depois poderá (ou não) seguir para tribunal.
 
Resumindo a história até agora, a Daimler Mercedes baseia a sua escolha em manter o R134a devido a preocupações porque durante testes com o novo R1234yf este entrava em combustão e gerava um gás tóxico. A diretiva europeia 2006/40/EC proíbe o uso do R134a em automóveis novos aprovados para venda depois de Dezembro de 2010, mas permitia a venda de veículos certificados antes de Dezembro de 2010 ou derivados desses até 2017. Ora foi esta exceção que a Mercedes e Governo Alemão usam para dizer que os seus modelos pode continuar a usar legalmente o R134a - o problema é que a Mercedes usa este fluido nos Classe A, Classe B, CLA e SL que são automóveis completamente novos - mas curiosamente, as autoridades alemãs não concordam.
 
Há novos testes de segurança a serem feitos no R1234yf e a Daimler esta a desenvolver com outros construtores um novo sistema de ar condicionado baseado em CO2, mas a Comissão Europeia não levou a bem o puxar do tapete e iniciou processo legal. O processo tem como alvo a Mercedes e a Alemanha por não impor a lei europeia que assinou, mas a comissão europeia já ameaçou juntar o Reino Unido, Bélgica e Luxemburgo ao processo já que suspeita que estes países estão a tentar fazer a mesma manobra homologando novos veículos pelo padrão antigo.
Vendo o lado da Comissão Europeia, este novo fluido foi desenvolvido ao longo dos últimos anos e foi testado por todos os construtores incluindo a Daimler - ninguém se queixou até recentemente. O novo fluido já é usado nos EUA e em muitos automóveis novos em toda a Europa.
 
Uma outra noticia interessante surgiu, que apesar de não estar ligada diretamente à discussão do R134a pode ter implicações - a ADAC admitiu que vai desistir de atribuir o seu famoso prémio anual Yellow Angel Award (que distingue o automóvel preferido do clube) depois de se ter descoberto que andaram a alterar nos resultados para favorecer certos modelos. Um pouco como o Trofeu de Carro do Ano, mas atribuído pelo maior clube automóvel da Europa (18 milhões de membros).
O diretor de comunicações do ADAC Michael Ramstetter admitiu que favoreceu o Volkswagen Golf, transformando os 3.409 votos dados ao Golf em 34.299 votos. Pode ser só um prémio a distinguir um modelo mas é o suficiente para colocar em dúvida todo o trabalho da ADAC, incluindo os testes de segurança.
 
E agora fica o elo de ligação - a KBA alemã usa resultados do ADAC para a defesa da posição de Daimler.

0 comentários:

"