DieselGate - ponto de situação 15-11-2018

Há já algum tempo que não fazia um destes apanhados das notícias ligadas ao dieselgate e há bastantes novidades interessantes - ficam abaixo os principais desenvolvimentos como sempre sem tretas, conservantes ou adoçantes acrescentados.

Proteção consumidores processa Volkswagen
Uma associação de proteção de consumidores alemães chamada VZBV e o clube automóvel ADAC vão processar a Volkswagen pela manipulação de emissões via software. Se terá sucesso é outra pergunta - em Maio deste ano o governo alemão passou uma lei que permitia a associação de queixosos em processos legais para reduzir custos do processo (e esta associação tem cerca de 2 milhões de proprietários de VWs) mas o grupo alemão diz que como a lei só passou em 2018 e a admissão de culpa (de que usavam software para dar a volta às emissões) foi em 2015 logo este processo não pode avançar - pelo menos em grupo de consumidores.


Investidores querem 10.7 mil milhões da VW
Parece que enfim vamos descobrir se a VW se safa ou não do seus investidores - uma das grandes perguntas sobre o dieselgate é se a Volkswagen sabia da falsificação de emissões antes do anunciar publico conjunto com os reguladores americanos a 18 de Setembro de 2015. É que a lei alemã define claramente que nestes cenários os accionistas têm que ser "atempadamente informados" para precaverem a sua posição e se isso não acontecer têm que ser indemnizados pelas perdas: as acções da VW cairam 37% nesse dia. Neste processo um total de 1.670 investidores exigem 9,2 mil milhões de euros.
Mas vão ter que esperar até ao fim de Novembro para retomar o processo.


Auf wiedersehen Herr Rupert Stadler
Como noticiamos antes o CEO da Audi Rupert Stadler foi preso mas desde então nada mais ouvimos de falar de Stadler - há novidades: foi despedido. Yup, a Volkswagen despediu Rupert Stadler - não é mais o CEO da Audi o membro da gestão do grupo Volkswagen.


Audi recolhe 127.000 automóveis e leva multa
A KBA alemã detetou software de controlo de emissões ilegal em vários dos mais recentes motores diesel Euro6 (que equipam os A4, A5, A6, A7, A8, Q5 e Q7) e ordenou a recolha de 127.000 automóveis. Segundo a Audi estes seriam incluídos na recolha de 850.000 automóveis diesel V6 e V8 TDI já anunciada antes. Assim Audi foi multada em 800 milhões de euros pelo governo alemão pela falsificação de emissões nos motores V6 e V8 diesel. A Audi aceitou e não irá recorrer.


Tribunal alemão aprova proibições de diesel
O mais alto tribunal administrativo alemão considerou legal a decisão de cidades proibiram a circulação de automóveis diesel mais poluentes - algo que irá afetar 12 milhões de automóveis na Alemanha. Esta decisão poderá influenciar outros países europeus e poderá forçar a mão dos construtores alemães para atualizar estes automóveis. Esta decisão basicamente fere de morte as tentativas do governo alemão em impedir as proibições de circulação - especialmente porque concluiu que as cidades são independentes para criar estas regras e não têm que esperar ou reger-se pelas ordens do governo. 

As vendas do diesel têm estado em queda, e com esta decisão assim se deve manter a tendência: quem é que vai comprar um carro diesel sabendo que há uma forte possibilidade que em breve não poderá circular em muitas das grandes cidades? Afinal Paris, Madrid, Cidade do México e Atenas já anunciaram a proibição de todos os diesel dos seus centros apartir de 2025 e Copenhaga vai fazê-lo já em 2019.


Volkswagen e Daimler aceitam pagar conversões diesel
Com a decisão acima a Volkswagen e Daimler aceitaram pagar até 3.000 euros por veiculo para reduzir as emissões diesel e assim tentar evitar proibições de circulação de viaturas diesel em grandes cidades. Quem o anunciou foi o ministro dos transportes Andreas Scheuer - a Volkswagen e Daimler estão preparados para assumir o custo de converter diesels mais antigos, ja a BMW ainda não está convencida. Mas ambos os 3 grandes alemães estão de acordo relativamente a mais incentivos à troca de diesels antigos por veículos mais limpos - veículos que não sejam alvos de proibições quer ele dizer.
O Volkswagen Group vai oferecer na Alemanha, dependendo do modelo, entre 1.500 e 8.000 euros de incentivo no abate de viaturas diesel Euro 1 a Euro 4. Adicionalmente proprietários de automóveis do grupo VW de Euro4 e Euro5 em 14 cidades consideradas muito poluídas podem ainda receber mais 500 a 7.000 euros em cima do valor residual do seu veiculo.

Mas é bom que se despachem porque um tribunal decretou que mais 2 cidades alemães, Colónia e Bona, têm que proibir os diesel mais antigos para controlar níveis de óxidos de azoto no ar. Depois de uma ordem de um tribunal a cidade de Estugarda irá apartir de 2019 proibir a circulação de veículos diesel Euro5 e anteriores no centro da cidade. Proibições diesel foram permitidas em Aachen, Dusseldorf, Frankfurt, Hamburgo e Berlim.

O governo do estado de Hesse esta a recorrer da decisão de proibições de circulação em Frankfur (de viaturas diesel até Euro4 imediatamente e Euro5 apartir de Setembro 2019, e a gasolina até Euro2) mas a julgar pelas restantes cidades não deverá ter sucesso.

0 comentários:

"