Ensaio Renault Twizy

Quando ensaio um automovel com o objectivo de escrever acerca dele tento ser o mais independente e ponderado possivel - não gosto dos full-hibrids mas consegui ver bastantes pontos positivos no Peugeot 508 RXH e no Toyota Yaris hibrido. Mas tenho que avisar que falhei - conduzi o Renualt Twizy e posso dizer que encontrei bastantes pontos negativos e limitações, e provavelmente não recomendaria a um amigo mas eu QUERO UM.
Portanto leiam, mas posso adiantar aqui e agora a conclusão - quero um tanto quanto quero a proxima lufada de ar.

Primeiro contacto
Creio que a imagem abaixo diz tudo - assim que parei o Renault Twizy a porta de casa e chamei a familia imediatamente os meus 2 pequenos saltaram para o interior e queriam dar uma volta. Creio que o sorriso do meu pequeno diz tudo.

E não foi só a minha familia - a rua inteira veio ver o pequeno objecto de 4 rodas e 1 volante que tinha acabado de aterrar. Vinham às janelas e apontavam, outros saiam para dar uma vista de olhos e perguntar detalhes. Era uma reação expontanea que diz muito acerca do Twizy, como diriam os Beach Boys - "good vibrations".

Instalar atrás do volante do Twizy é facil graças às portas tipo Lamborghini. O banco dianteiro é apenas regulavel para a frente e para trás e temos 2 cintos de segurança para pôr - para o caso de virar-mos o carro. Algo dificil já que a bateria e o motor estão colocados muito em baixo e foi o pessoal da Renault Sport a desenhar o chassis.

Os comandos são basicos - temos um interruptor de 2 posições para caixa de velocidades, volante e comandos dos piscas, travão de mão e o botão dos 4 piscas. E é tudo.

Talvez o adereço mais estranho seja a chave de ignição - uma chave de ignição num automovel electrico?! O meu tem um cartão mãos-livres e o motor data do século passado. Mas há uma razão por detrás disto - é uma medida de segurança: como o Twizy não faz absolutamente nenhum ruido seria muito facil deixar o carro activo e uma criança ou pessoa sem saber apertaria no acelerador direitinha a parede mais próxima.

E também não permite tirar o travão de mão. Uma vez instalado e activado, temos um painel digital com o indicador da carga da bateria à nossa frente e uma luz verde a dizer "GO". Antes que digam que só pessoas pequenas e magras conseguem usar este Twizy desengane-se: eu e a minha esposa conseguimos instalar-nos ao mesmo tempo e não somos propriamente pequenos - tenho 1,84 metros e ainda recentemente descobri que não cabia num Toyota iQ mas neste tudo bem. A minha esposa tem um pouco menos (1,76 aproximadamente) e uma operação à coluna e ela entrou perfeitamente atrás.

Bora lá! - Condução
Apesar da direcção não ser assistida é facil conduzir o Twizy, principalmente porque conseguimos ver pelo plastico translucido exactamente onde vamos por as rodas. Acima de tudo é incrivel o angulo de curva - a minha rua passam 2 carros lado-a-lado e pouco sobra, mas o Twizy é capaz de fazer uma inversão de marcha completa passeio-a-passeio de uma só vez.

Para carregar o Renault Twizy são precisas 3 horas e 30 minutos - dependendo da condução é possivel entre 80 a 100km de autonomia. Mais do que suficiente para as voltas da cidade. Isto se não fizer como eu que andei sempre prego a fundo e a embaraçar uns quantos nos semaforos! É um gozo de conduzir na cidade e a facilidade de estacionamento é impressionante - cabe em todo o lado. E nos semaforos podemos simplemeste passar até à frente da fila e o pessoal ainda sorria ao ver-nos passar.

Claro que o inverno é capaz de ser um pouco dificil abordo do Twizy - as portas tornam-se indispensaveis e aquela manta termica que vendem parece uma boa ideia. No paralelo notei que era um pouco mais saltitante mas tirando isso era impecavel. E é na rua que nos apercebemos da sua "piece de resistance" - ninguem fica indiferente ao Renault Twizy. Todos param para nos ver.

As pessoas vêem a borda do passeio para nos ver passar. No semaforo em que me cheguei à frente da fila a pessoa ao meu lado abriu a janela e ao invês de mandar vir comigo disse que o carro era muito giro. Eu conheço um senhor que tem um e a esposa morre de ciumes porque ela ia atrás e apercebia-se das teenagers a sorrir e acenarem para o marido enquanto este conduzia.

Mas na ausencia de uma opinião independente vamos lá aos Prós e Contras:
PRÓS:
- É mais seguro do que um mota/scooter
- Finta o trânsito facilmente e pára onde quisermos
- Conduzir ao ar livre é uma sensação de liberdade unica
- Relativamente silencioso
- Perfeito para as pequenas voltas da cidade, ir as compras
- É divertido de conduzir
- Acelera bem quando o semaforo muda
- Ningum fica indiferente

CONTRAS:
- Se não tem garagem, onde carregar?
- Apesar da direção ser relativamente leve, não é assistida e não tem ABS
- Não pode ser usado nas vias rapidas ou auto-estradas
- Não é muito confortavel, não tem climatização ou janelas nem mala nem rádio
- As portas são uma opção de quase 600 euros
- Vandalismo

Preço
Infelizmente não é propriamente barato. A versão que eu gosto, com portas e na cor certa fica por cerca de 8.000 euros - e não recebemos muito por esses 8.000 euros. Isso deve-se principalmente ao facto que se trata de uma viatura que, tirando o volante os comandos e a chave de ignição, não partilha nada com outros modelos da marca: não há economias de escala.

Mas tambem há muito pouco para avariar ou correr mal, e se comparar-mos com quadriciclos à venda no mercado até não é caro - os quadriciclos vendem-se entre 10.000 a 12.000 euros.


Espera aí, e o aluguer da bateria?!
Pois, há essa questão do aluguer da bateria - apesar de carregar a bateria ser relativamente barato a verdade é que temos a mensalidade da bateria que varia com os quilometros feitos - mas consigo defender esta escolha. Ao fazer uma simulação, vi nos papeis que é necessário incluir no seguro 3.150 euros para a bateria, ou seja deve ser este o custo da bateria do Twizy. Mas temos que ter algumas coisas em mente relativamente às baterias dos automoveis eléctricos:
- têm um tempo de vida limitado, entre 6 a 8 anos, mas todos concordam é que assim que a bateria tiver menos de 70% de carga util chegou ao fim da sua vida
- tem que estar sempre o mais carregadas possiveis para durarem mais tempo
- tem que ser mantidas a uma determinada temperatura para durarem mais tempo

Ora no caso do Twizy a bateria é mais pequena (o que significa que vai ser completamente descarregada varias vezes) e é arrefecida a ar (vai funcionar fora das condições óptimas). Ora o que significa que vai durar menos tempo.

No meu caso, para o meu máximo de quilometros iria para o aluguer mais baixo: 50 euros por mês. Se dividir-mos os 3.150 euros por 50 euros/mês isso dá 63 meses ou 5 anos e uns meses. Tendo em conta que a bateria do Twizy é feita para ter uma vida curta (como acima mencionei) e a Renault troca a bateria por uma nova assim que a capacidade de carga cair abaixo dos 70% o que na verdade estamos a fazer com o aluguer da bateria é comprar uma às prestações. Ou seja, poder escolher entre uma injeção na retaguarda tipo penicilina com agulha de cavalo no valor de 3.150 euros ou ir tomando um sup...comprido a cada mês.


E vale ou não a pena?
Sabem que mais, até consigo fazer um bom caso desta coisa do aluguer da bateria. E não estou a falar de discutir prós e contas, vamos fazer contas.
Alguns dados:
custo electricidade (e\Kwh) em bi-horário:
normal - 0,1551 e\Kwh
noite - 0,0833 e\Kwh
Capacidade bateria (Kwh) - 6,1 Kwh
Autonomia - 80 quilômetros
Custo de 1 carga diurna - 0,94611 euros
Custo de 1 carga nocturna - 0,50813 euros
Aluguer da bateria por mês - 50 euros
Quilômetros/ano - 5000 quilômetros
Preço gasóleo - 1,505 euros\litro (media nacional)
Consumo médio - 8 l\100km

Nota - a autonomia do Twizy é de 100 quilometros e conheço um proprietário que faz 90 quilometros por dia sem problemas, mas como na carga há sempre perdas e tenho que entrar em conta com pés mais pesados estipulei 80 quilometros. Estipulei o consumo médio para diesel em cidade em 8 l\100km e o valor do gasoleo é a média nacional segundo o Jornal i. Assim sendo algumas contas:
Para o eléctrico:
Quilômetros por ano - 5000 km
Quilômetros por mês - 416,67 km
Km's por carga - 80 km
Nº de cargas por ano - 62,5
Nº de cargas por mês - 5,21
Custo para cargas por ano (noite) - 31,76 euros
Custo para cargas por mês (noite) - 2,65 euros
Custo bateria+electricidade por ano - 631,76 euros
Custo bateria+electricidade por mês - 52,65 euros

Para diesel:
Litros para 5000 km - 400 litros
Euros para 5000km - 602 euros

O valor que interessa é o custo da bateria+electricidade por ano (631,76 euros) e o custo de gasoleo para percorrer os mesmos 5.000 km (602 euros). Ou seja, o Twizy custa por ano mais 30 euros que um diesel isto só olhando para o valor em euros para "combustivel" - claro que depois há que considerar que o seguro é mais baixo bem como os valores das revisões e não paga imposto de circulação.
Curiosamente, refiz as contas para o custo de gasoleo a 1.57 euros e aí o custo para 5.000 quilometros/ano fica exactamente o mesmo entre electrico e diesel em termos de "combustivel". Mas se é assim tão próximo entre diesel e Twizy, a gasolina o custo dispara completamente.

Ou seja, o aluguer da bateria pode parecer estranho e até contra-natura, mas a verdade é que para circular em cidade onde o motor a combustão consome mais e o electrico esta no seu ambiente faz sentido.


Conclusão
No mundo automovel há aqueles que tem o factor X, aquilo que não se consegue quantificar ou as vezes identificar e este Renault Twizy tem-no em grande. Partir ao volante do Twizy é sucesso garantido - todos param para nos ver passar, os outros condutores colocam-se ao nosso lado e sorriem, todos nos deixam passar nos cruzamentos só para nos ver rolar em total silêncio.

Conduzir um Twizy vai alegrar o dia de todos que se cruzarem consigo. A sério, esqueça comprar um Porsche ou um Ferrari, se quer ter a rua inteira parar para si, arranje um destes.

É verdade é que tem tantas vantagens como defeitos, mas enquanto uma moto ou scooter num acidente as chances de sair inteiro são pequenas, dentro de um Twizy as chances melhoram bastante e não somos obrigados a usar capacete - penteado agradece. E tendo andado de scooter, o Twizy é bem mais confortavel e se levarmos em conta que estamos a falar de um quadriciclo até não é muito caro.

Como um iluminado recentemente me disse, comprar um automovel é um equilibrio entre o lado racional e irracional - e pela primeira vez tenho que confessar que o meu lado racional não foi apenas vencido pelo irracional, foi simplesmente e completamente aniquilado. E nem sequer é um automovel!

21 comentários:

  • César says:
    5 de setembro de 2012 às 15:12

    Não percebo porque se compara um consumo de 8l/100km.
    Qualquer carro diesel com menos de 2.500cc gasta menos que isso e com performances/capacidades muito diferentes.
    Eu percebo que goste muito do carro, mas essas contas estão muito enviesadas. :)

  • Turbo-lento says:
    5 de setembro de 2012 às 15:29

    Não estão - eu estou a levar em consideração que sendo o Twizy um citadino então tenho que levar em consideração os consumos em cidade.

  • César says:
    5 de setembro de 2012 às 15:31

    Então, tenha também em conta que um carro utilitário gasta 5 (6, vá) litros na cidade.

  • Turbo-lento says:
    5 de setembro de 2012 às 17:34

    6 se conduzir como um cristão, mas sabemos que normalmente são mais elevados. Dai que tambem fiz as contas para o Renault Twizy para 80 km de autonomia e não 100km.

  • César says:
    5 de setembro de 2012 às 19:33

    Porque não comparar com um Smart Diesel?

    Consumo de combustível urbano [1] 3,3 (softip); 3,4 (softouch)

    (tirado de: http://www.smart.pt)

    Mesmo que seja 4 litros...

  • Turbo-lento says:
    5 de setembro de 2012 às 22:21

    Pela mesma razão que não comparei com um Audi Q7 V12 diesel - nem todos têm um e nem representa o mercado automovel. tive que fazer uma média se não teria que fazer uma infinidade de contas e mesmo assim haveria alguem a dizer que devia comparar com x ou y.

    Já agora, se compara-se com um smart novo diesel na cidade provavelmente teria que entrar em conta com o custo da mudança do filtro de particulas que ficaria colmatado (obrigatorio na Europa desde este ano) que segundo um colega que repara Smarts deve custar algo entre 650 a 800 euros.

  • HBci says:
    9 de setembro de 2012 às 02:07

    Gostei muito de ler este ensaio. Ainda não existe este veículo à venda no Brasil, mas desde primeiras notícias apaixonei-me pelo conceito. Ando de moto por terrível trânsito urbano, mas trocaria a mota imediatamente por twizy. Sentidos pelo carro são como descrevestes os teus. Abraços

  • Miguel says:
    18 de outubro de 2012 às 17:02

    Eu era para comprar um ( ja tinha ate informado a Maria) , mas mesmo a versao mais potente ( a que obriga a carta de Carro) nao pode andar na VCI ( a segunda circular do porto) invalidou por completo a compra, pois para ir do porto para Gaia, teria de vir a Baixa do porto para passar na ponte, porque nao pode passar na Ponte de arrabida. ai em lisboa, para passar para a margem sul so podem ir de barco...... acabei por comprar uma Honda NC 700 que tem feito media de 3.4l e tem uma condução fantástica


    PS: qualquer utilitario a Disel faz 5-6 litros dentro de cidade........ por isso volta a fazer as contas...

  • Gigio says:
    16 de novembro de 2012 às 13:17

    Não sei em que estradas voces andam a fazer as vossas medias mas tendo eu um Clio comercial 1.9D de 99 vos garanto que não fazem 5-6 litros na cidade, consumo misto sim, gasta uns 6, 6,5...ou também me vão dizer que Coimbra tem mais semáforos e pára arranca que o resto das cidades?? No minimo com um depósito inteiro, a andar sem abusos mas a um ritmo normal consigo uns belos 5,6 aos 100 entre deslocações cidade, auto-estrada. Esse Twizy tem pinta demais, pena nao ter o radiozinho a tocar um Swedish House Mafia - Don´t You Worry Child :-)

    Excelente post!!

  • Pedro Martins says:
    16 de abril de 2013 às 19:27

    Gostei muito do que li, e estou para comprar um Twizy, mas a minha dúvida está no aluguer das baterias...

    É um contrato para a vida ou pode ser limitado?

    O que é que acontece se não pagar?

  • Pedro says:
    16 de abril de 2013 às 19:30

    Estou mesmo para contrar um Twizy e gostei do que li...

    Mas ainda tenho umas dúvidas:
    O contrato com a Renault do aluguer das baterias é para a vida toda ou de X anos?

    O que acontece se não pagar?

  • Turbo-lento says:
    18 de abril de 2013 às 10:22

    O contrato da bateria dura enquanto tiver o carro em seu nome. Sobre o que acontece se não pagar...sinceramente não sei. Mas é uma pergunta que irei fazer ao meu amigo da Renault.

    Se quiser comprar um recomendo ir ao stand virtual porque já la vi alguns Twizy tecnhic com portas e tudo de serviço com pouco mais de 500km e a preço do modelo mais fraco novo.

    Nos entretantos vá visitando o 4rodas1volante que irei mantendo um diario de bordo sobre o Twizy

  • Unknown says:
    23 de outubro de 2013 às 22:21

    Olá, muito boa sua matéria! Penso seriamente em comprar um twizy assim que for lançado no Brasil, isso se o preço por aqui for compatível com o veículo!
    Mobilidade, redução da poluição e contribuição por um trânsito menos caótico.
    Vem twizy!! Colabora Dilma Rousseff! rsrs

  • Anónimo says:
    20 de dezembro de 2013 às 18:52

    Eu adoro o twizy
    Adorava ter um mas para isso e preciso poupar, e e melhor esperar uns tempos ate que a renault pense melhor no " aluguer da bateria "

  • Bruno Evangelista says:
    20 de maio de 2014 às 20:26

    Quero dizer que gostei muito do artigo. Tenho um Twizy (o 80, versão que necessita de carta de ligeiros e que atinge uns "loucos" 84 km/h) e achei o artigo muito realista, principalmente no que menciona sobre o impacto que o Twizy causa em miúdos e graúdos. É muito interessante ver a reação dos que comigo se cruzam (às vezes até exagerada/ridícula) ao verem uma "coisa tão esquisita". Sendo realista, sei que se trata de um veículo que não servirá a todos utilizadores (ex. quem tem de atravessar o Tejo, andar em auto estradas, faça trajetos pequenos visto que aí o aluguer da bateria não faria mesmo qualquer sentido). No entanto, para mim, que faço 40 km diários na margem sul, na maioria das vezes carrego a bateria na garagem do serviço (embora more num apartamento no 2° andar, uso uma extensão para carregar quando estou em casa) para as voltinhas de fim de semana, é o ideal. Confortável? Não é, como menciona o artigo. Mas conduzir o Twizy é uma sensação única, que só quem o faz consegue perceber. Percebi plenamente quando disse: "não o recomendaria a um amigo mas, TENHO DE TER UM", pois foi exatamente o que senti. É muito divertido. Um brinquedo para adultos um pouco caro, mas um aspeto que também considero ser importante, é a vertente ecológica deste tipo de veículos. Também por isso escolhi o Twizy. Já lá vão 2 anos a "twizar" e, até agora, não estou arrependido. Quem puder, pelo menos uma vez,experimente e eu garanto que não se vai arrepender.
    Bem haja pelo artigo.

  • Bruno Sales says:
    27 de novembro de 2015 às 15:38

    Este veiculo ja esta disponivel no Brasil?? onde posso encontra_ló

  • M.Dias says:
    1 de julho de 2017 às 22:24

    Só o que se poupa em kit's de distribuiçaõ,embraiagem,óleo,filtros,velas,injectores e respectivas bombas,liquido de refrigeraçaõ,juntas de colaça,motores de arranque,etc.etc. podia estar aqui a escrever horas, que a lista nunca mais acabava de tantas peças que os motores a combustão Gastam, e que simplesmente os carros eléctricos não usam. São milhares de euros que as pessoas gastam por ano sem se dar conta, não é só fazer contas ao combustível,feitas as contas compensa ou não o aluguer das baterias,na minha opinião eu acho que sim.

  • Unknown says:
    6 de abril de 2018 às 22:29

    Sei que o post ja é um pouco antigo mas...
    Cá vai. Uma das coisas que noto é que a maioria quando faz os calculos só pensa no combustivel. E claro só aponta defeitos aos eletricos pq a bateria dura pouco, pq demora a carregar, pq nao dá para ter luxos... Enfim... é sempre só pontos negativos. Claro que se eu penar bem.... O meu a Diesel é bem melhor (até que um ZOE) em todos os aspetos. Mas... A revisao de um zoe custa nao mais de 50€ o meu n paga menos de 350€, e é todos os anos. Mas vamos ao que interessa. O meu ponto de vista sobre um EV, (tirando já de parte os Tesla) são uma forma de viver, um estilo de vida, tal como os Apple Funboys que adoram pagar 2000e por um portatil que faz menos que um de 1200€ só porque tem estilo. Quem tem um EV, tem de adaptar a sua vida a um veiculo, atualmente adapta as suas viagens á carteira e ao comodismo. Sem duvida que um EV é uma excelente forma de viver e poupar dinheiro. Ainda não foi a muito que fiz o business case de um ZOE. E custou me pensar em largar 20.000e por um usado e estar limitado ao Range dele. mas... mais uma vez. Se eu utilizar o estilo de vida do meu carro, posso poupar muito dinheiro. Se quiser ir ao Porto, entre ir e vir num Polo de 2017 diesel, n gasto menos de 90€ entre portagens e Combustivel. (Lisboa ao Porto). O Zoe 40 faz 350... 400 apertadinho. Demora 3h a carregar. Ok é um grande contra. Mas ninguem obriga a carregar as 3h seguidas para chegar ao porto. Posso sair de Lisboa as 9H e antes do almoço parar numa bomba para comer e relaxar 1h ate ganhar a autonomia que preciso para chegar confortavelmente ao Porto, onde vou deixar o carro a carregar e fazer o que tenho de fazer (pelo menos 3h para regressar da mesma forma). Vamos ver o que mudou nos ultimos 80 anos. Os meus avós levantavam-se as 4 da manha para pegar as 7. Nao tinham carro e andava apé, bicicleta tambem nao era opcao e burros... era quase para ricos. Então seguiam o meio de vida que tinham, deitar cedo e levantar cedo para pegar a horas. Hoje fazemos o oposto. Vivemos com o tempo que não temos. Andamos sempre a 200 para fazer horarios. Deitamos nos tarde para ver series da Netflix e amazon e ver novelas. No dia a seguir levantamos nos 1h 1:30 mais cedo que é o tempo ha justa de deixar os filhos na escola, apanhar fila e chegar 20 min atasados ao emprego. Mais uma vez... Temos o nosso estilo de vida que não nos permite viver uma vida descansada. Não digo aqui que todos tenhamos hipotese de viver uma vida diferente, mas uma boa maioria tambem não faz por isso. É como fumar.. Custa dinheiro, e especialmente faz mal a Saude, mas tambem não queremos desistir, apesar de todos os dias pensarmos no que poupavamos se o deixarmos. Os EV estão para ficar. E a unica coisa que ainda salva os Barões do Ouro Negro, é que nós não temos tempo nem paciencia para carros que não cumpram com o que precisamos para o nosso estilo de vida. 20.000e por um carro que não polui, que gasta uma fração dos outros?, acho um excelente valor. Só a poupança de revisoes, IUCs e afins, é uma poupança imediata nas Baterias. :)

  • Jorge Caeiro says:
    16 de julho de 2018 às 18:57

    gostaria de saber onde fazer um seguro para o twizy?
    estou em vias de comprar um na renault chelas usado de 2012. e a minha seguradora nao faz a carros electricos com aluguer de baterias.
    fica aqui o meu mail joycaeiro@hotmail.com obrigado

  • Fonsecagp says:
    8 de maio de 2019 às 23:02

    Concordo totalmente que a comparação de um diesel a consumir. 8 litros, está muito longe de quem procura um citadino. Se comparasse com um Smart, seria o mais aproximado possível do twizy, e mesmo assim o Smart ainda ficaria muito a frente a nível de condições de conforto. Sou adepto dos elétricos, mas acho que há opções muito mais viáveis do que este twizy. É apenas a minha opinião, mas respeito todas elas.

  • Fonsecagp says:
    8 de maio de 2019 às 23:03

    Concordo totalmente que a comparação de um diesel a consumir. 8 litros, está muito longe de quem procura um citadino. Se comparasse com um Smart, seria o mais aproximado possível do twizy, e mesmo assim o Smart ainda ficaria muito a frente a nível de condições de conforto. Sou adepto dos elétricos, mas acho que há opções muito mais viáveis do que este twizy. É apenas a minha opinião, mas respeito todas elas.