Autonomia Citroen C-Zero

Recebi via email (obrigado ao leitor "Jota") scans de um teste feito por uma conceituada revista francesa ao Citroen C-Zero que vem trazer mais números concretos sobre a autonomia dos automóveis eléctricos. Muito construtores falam em "160 quilometros" (este Citroen C-Zero é suposto fazer 130 quilometros) mas nunca dizem como chegaram a esse número e em condições normais de utilização (ou seja, na vida real) para quanto duram as baterias. Pois os números obtidos pelos franceses são no mínimo...mínimos.

A revista testou o Citroen C-Zero (irmão gémeo do Peugeot iOn) e verificou que em transito de cidade apenas conseguiram fazer 84 quilómetros. Em estrada normal (leia-se nacional) conseguiu 74 quilómetros e em autoestrada apenas percorre 52 quilómetros. O site da Citroen diz que o C-Zero é capaz de 130km de ciclo misto normalizado.

Outro pormenor que não sabia é que apesar de baseados no mesmo modelo, o Mitsubishi i-MiEV e os Citroen C-Zero e Peugeot iOn são na verdade ligeiramente diferentes. Os modelos franceses usam até 95% da carga da bateria enquanto o Mitsubishi i-MiEV usa apenas 85% - se isto vai afectar a vida da bateria a ver vamos. Outra diferença é que os modelos franceses tem uma caixa apenas com 1 posição de condução (Drive) enquanto o modelo japonês tem 3 modos de condução (Eco, Drive e B).
Estas modificações podem não fazer grande diferença em estrada e auto-estrada, mas em cidade a revista testou também o Mitsubishi i-MiEV conseguiu apenas 66 quilómetros. de autonomia.

Deixando o consumo de energia há outra informação que me preocupa neste teste - distancia de travagem. Dos 100 km\h o Citroen C-Zero precisa de 43 metros para parar e apartir dos 130km\h precisa de 71 metros. Para referencia, uma Audi A1 precisa de 38 metros e o 63 metros respectivamente. A diferença ainda é grande.
Curiosamente, o teste-drive feito pelo auto.sapo.pt não diz nada sobre estes pormenores.
Ligeiramente melhores são os números que uma revista portuguesa fez ao testar o Nissan Leaf - a Nissan fala de 160 quilómetros com a revista a conseguir pouco mais de 100 quilómetros.

9 comentários:

  • Herege says:
    7 de janeiro de 2011 às 17:59

    Por acaso ao começar a vêr a noticia, dos dois primeiros modelos, associei ao Mitsubishi, eles partilham muito em comum. O interessante é vêr que, teremos que abater sempre cerca de 60% de autonomia aquilo que é anuncioado pelos faabricantes.
    Já com os carros de combustão interna se passa a mesma coisa, quando por exemplo dizem 5.6, metam lá mais 2 litros em cima, as condições de teste que os fabricantes utilizam não se assemeham em nada as condições de que qualquer um de nós utiliza no dia a dia.

  • Rui says:
    8 de janeiro de 2011 às 15:18

    Em relação ao Nissan Leaf penso que o teste efectuado não foi executado tendo em linha de conta que se trata de um veículo eléctrico e como tal o mesmo processou-se com uma postura de carro de Combustão Interna o que deturpa consideravelmente os resultados obtidos pois está confirmado por muitas pessoas a possibilidade de ultrapassar com uma certa facilidade a marca dos 160 kms desde que se leve em conta e se conheça o funcionamento específico das baterias e do motor eléctrico para o rentabilizar ao máximo. Ainda há dois dias dois recém compradores do Leaf nos EUA efectuaram uma viagem de 111 milhas (187 kms) à velocidade media de cerca de 90 kmh o que nos diz que o Leaf suporta perfeitamente um velocidade aceitável e mantém um alcance razoável.Efectivamente é um carro para trajecto citadino e não deve ser usado em AE se se quiser preservar a autonomia. Mas é só a minha opinião. Entretanto, para finalizar e se me permitem convido todos vós para se juntarem no nosso forum de discussão em Português de Portugal em www.nisanleafpt.com. Obrigado pela atenção e Bom Ano de .

  • Turbo-lento says:
    9 de janeiro de 2011 às 13:20

    Esta aí um problema - verdade que podemos conduzir de forma economizadora (seja de combustivel fossil seja de electricidade) mas a verdade é que na "vida real" não conseguimos conduzir de forma "economica". O automovel electrico terá que se encaixar no ritmo que as pessoas usam no seu dia-a-dia.

  • Nuno says:
    17 de fevereiro de 2016 às 19:22

    " Citroen C-Zero precisa de 43 metros para parar e apartir dos 130km\h precisa de 71 metros. Para referencia, uma Audi A1 precisa"

    Compara um Citroen C-Zero com um AUDI (mesmo que o A1) é justo?

    Porque não comparar com um C2 por exemplo?

  • Turbo-lento says:
    18 de fevereiro de 2016 às 11:06

    Na altura utilizei o Audi A1 porque estava na mesma digitalização da revista que cotei logo foram medidas da mesma forma/método.
    Mesmo assim estamos a falar de distancia de travagem, algo que deve ser sempre o mais curto possivel e o Citroen Czero/imiev/Ion são muito mais leves que um A1 logo devia parar mais rapidamente. 8 metros é quase um camião Tir a mais.

  • Unknown says:
    11 de junho de 2016 às 14:55

    Errado. 1 camião tir tem 16.5 metros pois conduzo um e sei o que digo. Como foi dito nãose pode comparar a travagem a audi A1 mas sim por exemplo a um fiat panda.

  • Alexandre says:
    21 de agosto de 2016 às 16:55

    Boas

    tenho um Citroen C0 e essas autonomias são falsas ou andam a arrancar alcatrão nos arranques, em condução normal o computador de bordo diz que tenho uma autonomia de 130kms e são 2 pessoas diferentes a conduzir o carro, dentro da cidade o carro faz mais kms do que em auto estrada e cumprindo o código da estrada nas nacionais tambem faz mais kms que o anunciado posso dizer que vou de Pontével até Aiana de Cima (Sesimbra) sem necessitar de fazer nenhum carregamento no trajecto que são 110Kms e no computador de bordo diz que ainda posso fazer 14Kms, na A33 e por ter sido a primeira vez fui entre os 90 e os 100Kms em todas as outras estradas fui a velocidade normal, por isso ou o meu Citroen C0 é diferente do que fizeram os testes ou o teste é tendencioso.

  • Ave Horta says:
    22 de junho de 2018 às 05:30

    Comparar um carro deste com um audi A1 deve ser piada

  • afonso says:
    26 de setembro de 2019 às 19:38

    Tenho um Citroen C-zero quando o carrego totalmente a máxima indicação que li foi de 109 km, nunca mais por vezes indica apenas 98 km ?? não entendo o porquê e o carro é de 2018.
    Tirando este grande inconveniente, o carro tem um desempenho fantástico, principalmente nas subidas e no arranque se for necessário.