[UPDATE videos]DS 7 Crossback apresentado

Eis o primeiro modelo da segunda geração da DS, o primeiro a nascer sem o logo da Citroen e o seu primeiro SUV - este é o DS 7 Crossback. E logo à partida aponta para o alto para modelos como o Audi Q3/Q5, BMW X3, Mercedes GLC, Volvo XC60, Lexus NX ou Range Rover Evoque mas não ria porque os franceses dotaram o DS 7 Crossback com tudo do melhor do que podiam encontrar, e sim, a cor escolhida para a apresentação pode não ser a mais feliz mas a DS não esteve este tempo todo a dormir - se fosse à Audi ou BMW não me ria.



Um dos primeiros detalhes mais interessantes está logo à frente - temos a nova grelha que deverá surgir nos futuros modelos da marca e com excepção dos modelos acessíveis, os DS7 recebem faróis 100 LED activos desenvolvidos pela Magnetti Marelli que pulsam luz rosada quando destranca ou arranca o carro num espectáculo luminoso para atrair a atenção de todos em redor. Inclui até os piscas activos como os da Audi. O feixe luminoso é controlado com 3 tipos de iluminação possíveis para urbano, estrada ou auto-estrada, e os farois traseiros são também um espectacular jogo de luzes tridimensional.


Com 4,57 metros de comprimento é mais pequeno que a concorrência alemã mas compensa na tecnologia - há o DS Active Scan Technologie analisa a estrada à frente para adaptar a suspensão ou o DS Connected Pilot que permite uma condução autónoma até os 180 km\h. A DS Night Vision usa uma câmara de infra-vermelhos para detectar peões ou animais à noite e o DS Driver Attention Monitoring controla via 2 camaras a atenção do condutor. Se estas tecnologias soam familiares é porque elas existem em nos Mercedes Serie S ou BMW Serie 7 - este é um SUV pouco maior que uma monovolume compacta.




No interior há espaço para 5 passageiros, 550 a 1750 litros de bagagens graças à ausência do tradicional túnel de transmissão, se ira haver uma versão de 7 lugares é uma boa pergunta mas para o mercado chinês e norte-americano é importante. Recebe vidro duplo, assentos massajantes, os materiais de luxo do costume como o Alcântara, couro ou madeira - recebe 2 ecrãs de 12 polegadas (um para o conjunto de instrumentos do condutor e outro para o sistema multimédia) e o celebre relógio específico desenvolvido com a B.R.M. Gosto do pormenor do forro das portas.


Outra novidade esconde-se debaixo do capot - uma versão híbrida plug-in DS 7 Crossback E-Tense, a primeira da PSA, com 300 cavalos prevista para 2019. O eixo traseiro é eléctrico permitindo tração integral, algo que a plataforma EMP2 que usa (a mesma dos Peugeot 3008, 5008 ou Citroën C4 Picasso com o eixo traseiro multibraços do 508) não permitia. Mas acrescentaram 22 metros de colas no fabrico para aumentar a rigidez em 25% e reduzir o ruído no interior.

As restantes versões vão ser apenas de tração dianteira - o 3 cilindros de 1.2 litros PureTech (130 cavalos), o 4 cilindros 1.6 litros THP (180 e 225 cavalos), a diesel o 4 cilindors BlueHDi de 130 cavalos e o 2.0 litros BlueHdi de 180 cavalos.


update 15-03-2017

0 comentários:

"