Comprar um automóvel a gasolina - pense nisso

Dizem que comprar um automóvel é o 2º maior investimento que podemos fazer - o que não é exactamente verdade: ter filhos é o maior investimento, seguido pelo casamento, seguido de perto pela compra de habitação e depois então temos a compra de automóvel particular. Mas comprar o automóvel em si não é o mais caro, mantê-lo é o que custa mais: entre combustível, impostos, manutenção regular, reparações, seguros, portagens, multas...a conta é sempre a somar ao longo dos anos.
Daí que é importante avaliar bem todos os pormenores antes de avançar na compra de um automóvel - e como pode ter adivinhado pelo título vou abordar só uma dessas questões: o tipo de motor, a gasolina ou a diesel?

Introdução
Um grande número de compradores, em Portugal e em toda a Europa, vão atrás da promessa de consumos e custos de combustível mais baixos dos motores diesel - mas trata-se da escolha errada para muitos. Após 9 anos de fieis serviços tinha chegado a hora de me despedir da minha Renault Megane carrinha diesel e procurar um novo automóvel para a família - e comecei mal.

O processo de escolha foi muito pensado e planeado - começamos por acordar no limite do quanto podíamos gastar, sobre o que o automóvel teria que ser capaz de fazer, algo que rapidamente definiu o tipo/formato do automóvel que procurávamos e com uma short-list debaixo do braço aproveitamos o ultimo salão automóvel de Lisboa para investigar todas as possibilidades de uma só vez. Mas rodeados por todo aquele metal brilhante novinho em folha a ficha caiu: estivemos até aquele momento a olhar apenas para as motorizações diesel e essa era a escolha errada.


Baixa Quilometragem
O que me fez chegar a essa conclusão foi o facto que com 9 anos e trocos debaixo do capot apenas fizemos 125.000 quilómetros com a Megane (12.500 quilómetros por ano - efeito Twizy e conduzir os carros de outros) e muitos deles dentro da cidade. Foi esta observação que me fez repensar tudo, em particular porque é que o motor a gasolina era o certo para nós e quem sabe para sí?


Mais barato na compra
Estive a ver várias marcas e modelos e olhando apenas para preços no stand (sem promoções e acções comerciais), paga pelo menos mais 3 a 4.000 euros por um modelo a diesel relativamente ao equivalente a gasolina. Se converter em gasolina essa diferença monetária pode, usando os consumos (não esquecer de acrescentar 20% aos consumos homologados), ver quanto tempo demoraria a compensar comprar um automóvel a diesel - para nós deu 2 anos e meio anos de gasolina. Isto sem contar com o custo das manutenções.

Mesmo comprando um automóvel usado a diferença é substancial - passei algumas horas em sites a comparar gasolina vs diesels em diferentes automóveis e na maioria dos casos a variante a gasolina é muito mais barata, tem menos quilómetros e estão (julgando pelas fotos principalmente) em melhor estado. Segundo amigos que negoceiam em automóveis usados, atualmente a maioria dos privados que vendem os seus automóveis a diesel ou é porque já não têm muito mais para dar ou porque precisam do dinheiro.


Revisões e reparações mais baratas
Como disse acima não contabilizei o custo das manutenções - os motores diesel modernos são muitíssimo avançados e em média observei (confirmei isto em várias oficinas oficiais) que as revisões de automóveis diesel são 60 a 80 euros mais caras que o equivalente a gasolina. E quando as coisas correm mal, devido ao elevado conteúdo tecnológico dos motores diesel a conta de reparação é muito mais elevada que num motor a gasolina. Recentemente recebi emails de 2 leitores que tiveram mais de 1.500 euros em reparações nos sistemas de injecção dos seus diesel.

Pelo meio há a questão da correia de distribuição presente em muitos motores a diesel em automóveis compactos e médios que tem que ser regularmente mudada. A maioria dos motores a gasolina usam corrente de distribuição que não precisa de substituição, apenas um ajuste regular.

Uma dica: antes de comprar um automóvel vá a uma oficina oficial e peça o custo das revisões regulares para ter uma ideia.


Filtro de partículas
Todos os diesel modernos os têm, e como começaram a ser instalados em 2007 muitos dos usados no mercado também: é um dispositivo para limpar partículas muito finas e óxidos de azoto em emissões diesel (que não existem a gasolina) e que precisa de ser regularmente limpo - algo que faz automaticamente. Mas se passar muito tempo no trânsito lento de cidade ou fizer poucos quilómetros o filtro de partículas não consegue regenerar-se e pode ficar bloqueado. O que significa que terá que ir ao mecânico para desbloquear ou na pior das hipóteses ter que substituir o filtro e isso é algo que não é coberto por garantias.

Mesmo nos sistemas modernos com adBlue e regenerações melhoradas este perigo mantém-se: numa marca quando expliquei quando quilómetros fazia o vendedor disse logo que se comprássemos aquele modelo a diesel estaríamos de volta dentro de 2 meses com um filtro bloqueado. Outra marca disse-me que se as viagens diárias não atingirem pelo menos os 13/15 quilómetros seguidos iria absolutamente ter problemas.

Já se fala de instalar filtros de partículas em automóveis a gasolina por causa das injeções diretas, mas esses são de tipo diferente, para poluentes diferentes, e não precisam nem de temperaturas tão elevadas para limpar ou de fazê-lo tão regularmente.


Adaptáveis
Se comprar um automóvel a gasolina e subitamente começar a fazer mais quilómetros tem sempre a possibilidade de adaptar a um combustível mais barato convertendo o seu automóvel GPL ou (ainda raro em Portugal mas possível) a CNG (gás natural comprimido).


Silencioso
Os motores a gasolina produzem menos ruído e as vibrações sentidas no volante e pedais são também muito menores.


Poluição
Se se preocupa com o ambiente os motores a gasolina são a melhor escolha - podem produzir mais CO2, mas os motores diesel produzem muitos mais compostos perigosos como partículas finas e muito finas, e os já conhecidos óxidos de azoto, todos eles associados com doenças respiratórias graves e mortes prematuras.


Arranque a frio mais demorado
Os motores a gasolina usam blocos principalmente de alumínio atingindo muito rapidamente a temperatura certa de funcionamento. Já os diesel não, e particularmente se o tempo estiver frio, vão trabalhar mais tempo a temperaturas abaixo das óptimas - se não tiver cuidado e deixar o motor atingir a temperatura certa antes de acelerar pode danificar o motor.


Se gosta de conduzir


Claro que também há desvantagens a considerar para os motores a gasolina:
Custo combustível
Para quem faz mais quilómetros a vantagem está no campo do diesel - mas é importante manter em mente que essa vantagem vai reduzir-se muito rapidamente em breve. A diferença de preço entre gasóleo e gasolina é apenas a uma questão de impostos não de produção e pelo andar da carruagem não vai ser por muito tempo para os privados.

O governo português já está a testar soluções de "gasóleo para profissionais" nas zonas fronteiriças e eventualmente ira chegar a todo o pais. Quando isso acontecer o mais certo é o preço do diesel subir e custar o mesmo que a gasolina (como já se faz em muitos países da Europa). Pergunte-se a si mesmo: um governo resistir à tentação de mais impostos sem ter que se preocupar com greve de camionistas?


Consumos mais elevados
Um ponto sem discussão possível - os motores a gasolina são menos eficientes e mesmo ao ralenti gastam mais combustível que os motores diesel. É possível recuperar alguma dessa diferença adquirindo um automóvel com start-stop (mesmo pequenas paragens ajudam) ou escolher uma variante híbrida. A titulo de exemplo o Yaris híbrido sai 1.000 euros mais barato que a versão diesel, a Hyundai apresentou recentemente o Ioniq com versões híbridas apartir de 33.000 euros quando um Megane diesel com motor e especificação semelhante fica nos 30.000 euros.

No futuro próximo os sistemas híbridos de 48 volts (que já andam por ai mas ainda em poucos modelos) vão permitir reduzir os consumos a um custo reduzido - segundo a Schaeffler e Continental o seu sistema é capaz de reduzir os consumos em 20% nos motores a gasolina e 5 a 10% em motores a diesel. Estes sistemas não vão substituir os diesel completamente, mas em alguns segmentos o diesel será simplesmente caro demais.


Binário
Os motores diesel tem mais binário que um motor a gasolina e a uma rotação mais baixa o que os torna perfeitos se tiver um reboque, atrelado, caravana ou transportar cargas pesadas ou muitos passageiros. Em ultrapassagens num automóvel a gasolina terá muito certamente que trabalhar a caixa de velocidades, num diesel normalmente não precisa.


Valor de revenda
Atualmente, e provavelmente por muitos anos ainda, os automóveis a gasolina valem menos em usados porque a maioria de nós, como disse acima, olham apenas para os diesel.


Test-drives
Pois...infelizmente para automóveis compactos ou maiores as chances de ter um demonstrador a gasolina disponível para ensaiar é difícil se não impossível. O mais certo é ter que recorrer ao que eu fiz: testei o automóvel que adquiri com a motorização diesel e as impressões sobre o motor foi noutro modelo completamente diferente.


Resumindo...
Não escrevi tudo isto apenas para picar o pessoal (já o fiz antes aqui), mas para tentar recordar que ao comprar um automóvel devemos considerar todas as variáveis para fazer a escolha mais acertada - cada tipo de motor têm as suas vantagens e desvantagens, e olhar apenas para consumos e o custo do combustível é errado.

Automóveis a gasolina são mais baratos a adquirir e manter, mas são menos eficientes - se conduz pouco e/ou passa muito tempo dentro da cidade então um motor a gasolina é uma boa escolha e se tiver opção híbrida melhor ainda. Já automóveis com motor diesel são mais caros a adquirir (e vão ficar ainda mais caros) e a manter, mas são sem dúvida mais eficientes e se fizer longas viagens (especialmente de auto-estrada) então essa é a melhor escolha. Mesmo com combustíveis ao mesmo preço se fizer muitos quilómetros o diesel vale a pena...mas atenção: se faz muitos desses quilómetros em cidade prepara-se para correr muito mal muito caro muito rapidamente.

E sim, no final compramos a gasolina.

1 comentários:

  • cRiPpLe_rOoStEr a.k.a. Kamikaze says:
    23 de agosto de 2017 às 20:06

    Ainda me entusiasmo mais pelo Diesel que pelos motores a gasolina, mas considero que a melhor alternativa seria o uso de biodiesel ou mesmo de óleos vegetais como combustíveis veiculares. O problema é a falta de uma iniciativa do governo para promover combustíveis mais limpos que ainda sejam adequados às condições de uso dos veículos. Já passou da hora de Portugal parar de seguir cegamente as aspirações ditatoriais da União Européia.

"