A gama Hyundai Ioniq no salão automóvel de Paris 2016

Em grande destaque no expositor da marca coreana do salão de Paris estava a gama Ioniq, uma grande aposta da marca - um rival capaz de bater o Toyota Prius, o sinonimo de híbrido e apesar de muitas tentativas ninguém conseguiu sequer chegar perto. Mas a Hyundai percebeu que para ter qualquer chance de tirar o Prius do pedestal tinha que fazer diferente...


Para isso a Hyundai criou um automóvel de raiz exclusivamente para motorizações electrificadas - híbrida clássica, híbrida plug-in e 100% eléctrica de acordo com o perfil do comprador. Mas apesar de seguir o mesmo tipo de design do Prius e Volt consegue ser mais consensual, menos extravagante, muito bem equipado e com uma qualidade de construção capaz de rivalizar com os alemães.

E segundo os números da EPA americana (muito mais realistas que os do NEDC europeu) consegue ser mais económico que o novo Prius. O novo Prius (clássico, não o plug-in) é capaz de 50mpg ou 5,6l/100km em auto-estrada, 54mpg ou 5,2l/100km em cidade e 52 mpg ou 5,4l/100km em circuito combinado. Já o Ioniq clássico consegue 54mpg ou 5.2l/100km na auto-estrada e 55mpg ou 5,1l/100km na cidade e em circuito combinado. Já o Ioniq plug-in consegue (além de 50 km de autonomia 100% eléctrica) 59mpg ou 4.8l/100km na auto-estrada, 57mpg ou 5l/100km na cidade e 58mpg ou 4.9l/100km no circuito combinado. Dito isto, segundo o pessoal da Hyundai em Paris deverá custar mais 2.000 euros que a versão clássica.





A versão Ioniq Electric infelizmente chegou um pouco tarde - segundo a EPA a autonomia é de 124 milhas ou 200 quilómetros, um pouco melhor que um Leaf e o mesmo que o ZOE clássico, mas com o ZOE 40 já disponível e o Ampera-e quase a chegar a Hyundai terá que mais cedo ou mais tarde reforçar a bateria. Segundo declarações à Automotive News isso deverá acontecer em 2018.

E sim, fui dar uma volta por Paris num Ioniq. Fica para mais tarde...



0 comentários:

"