Ponto de situação Dieselgate 09-06-2016

Altura para novo ponto de situação no Dieselgate - desta vez com novidades (sem tretas, conservantes ou adoçantes acrescentados) da Suzuki, Fiat e Volkswagen.
Governo italiano diz "nada a declarar"
O ministro italiano dos transportes Graziano Delrio anunciou que testaram os motores diesel da Fiat Chrysler e que cumprem os regulamentos europeus de emissões...o que pode não significar exatamente nada nesta questão.

Como escrevi no outro dia a Fiat foi acusada pelo governo alemão de usar, tal como a VW, um dispositivo para falsear emissões durante testes no 500X equipado com o 2 litros diesel. A foi fazer um choradinho ao governo italiano que disse que problemas com a fiat seriam tratados com eles e o organismo de homologação italiano. Eles veem agora dizer que não há dispositivos de falseamento de emissões e que está conforme as exigências legais.

E ai esta o busílis - é que segundo o Der Spiegel a Fiat está a usar software para desligar o sistema de limpeza de emissões ao fim de trabalhar 22 minutos - o teste oficial para aferir emissões dura exatamente 20 minutos depois do arranque. Ou seja, o ministro italiano diz que o motor esta conforme...será que pararam o teste imediatamente aos 20 minutos segundo a especificação do teste ou esperaram um pouco mais e testaram a a acusação dos alemães?


Alemães decididos a virar a página
Depois de anos a favorecer a industria automóvel interferindo com as regras europeias (não é só os alemães) parece que viram o resultado das suas acções e decidiram mudar - os alemães estão a pressionar para que a União Europeia feche certas previsões na legislação que permitem aos construtores reduzir ou desligar os sistemas de controlo de poluição.
Estas previsões existem e podem ser usadas por razões de segurança ou durabilidade dos componentes, mas parece que depois de testar mais de 50 automóveis a Alemanha duvida que os construtores estejam a usar "apenas para a proteção dos motores". A Alemanha quer a legislação indique que apenas na ausência de melhores opções ou tecnologias é que podem usar a redução ou desligar dos sistemas anti-poluição. Também querem que os construtores identifiquem que tecnologias usam para proteger os motores em condições mais duras e como funcionam.


Cabeças rolam na Suzuki
Fundador e CEO da Suzuki Motor Osamu Suzuki de 86 anos vai abandonar o seu lugar como consequência da marca japonesa ter sido também apanhada a não aferir corretamente consumos e emissões dos seus automóveis. Além de Osamu Suzuki sai (até 29 de Junho) também mas por reforma o Vice-presidente Osamu Honda de 66 anos.

Desde 2010 que a Suzuki submetia resultados de testes de interior de componentes e não de veículos completos em movimento. Segundo a marca 14 modelos foram testados desta forma. E porque é que o fizeram? Falta de dinheiro - com queda das vendas os funcionários deixaram de testar em automóveis completos que teriam de ser descartados mais adiante. Não havia o objetivo de "dourar" os consumos, apenas em fazer o trabalho com menos e os processos internos de controlo de qualidade não detetaram.

0 comentários:

"