Takata - novidades

Todos falam e opinam sobre o dieselgate e o grupo Volkswagen mas poucos falam dos airbags da Takata que nem bombas relógios à nossa frente à espera de uma desculpa para explodirem e encherem o habitáculo de estilhaços metálicos - um problema que teve a sua primeira fatalidade em 2001. Apesar do problema afetar automóveis na Europa, apenas a NHTSA parece estar a investigar a situação e chegou à conclusão que durante os 6 anos que investiga este problema a Takata em dificultado deliberadamente as suas investigações.
Aparentemente ao invés de colaborar com a investigação, a Takata tem fornecido informação incompleta ou incorreta aos investigadores, e a NHTSA multou a Takata 70 milhões de dólares e pode ir até aos 200 milhões se certas condições não forem cumpridas - incluindo terminar as reparações dos 19 milhões de airbags (nos EUA) até 2019. E por que é que demora tanto tempo a substituir airbags? É preciso fabrica-los porque não há airbags suficientes no mercado.

A Takata terá um supervisor independente pelos próximos 5 anos e terá de deixar de usar o nitrato de amónia nos seus airbags - ainda não há uma conclusão definitiva que o problema é este explosivo, mas há pistas suficientes para a NHTSA proibir a sua produção. A idade e humidade ambiente também parecem ter forte influencia. Já 8 mortes confirmadas e cerca de 100 feridos com estes airbags.

Pelo meio (segundo a Detroit News) a Honda, uma das empresas que inicialmente apoiou a Takata quando isto explodiu (literalmente), já disse que vai deixar de trabalhar com a Takata. Não me surpreenderá se outros não seguirem o exemplo.

0 comentários:

"