Fiat atira a toalha

Num combate de boxe, quando o treinador vê que o seu lutador não está em condições de combater atira a toalha ao chão como sinal de desistência - algo que Sergio Marchionne anunciou para a Fiat na Europa que não voltará a ser um construtor de volume. 
Citando Marchionne: "In terms of the scope of a mass producer of vehicles, Fiat no longer offers, and it never intends to have, a full range of product of the kind mass brands have. Fiat will lose its appeal as a general brand and it will focus on what it does best“. 
Traduzindo a letra - em termos de um construtor de volume/massa de automóveis a Fiat não oferece nem faz intenções de voltar a ter uma gama completa de produtos/automóveis como os restantes construtores/marcas têm. 

Assim sendo a Fiat ira focar a sua atenção onde tem mais força, ou seja nos citadinos e pequenos automóveis expandindo com novas variantes os Fiat Panda e 500. Claro que Marchionne está a espera que a expansão da Jeep (especialmente graças ao Renegade) e o (suposto) regresso da Alfa Romeo como um construtor global venha compensar o encolher da gama da Fiat.

0 comentários:

"