Volkswagen Cross Coupé GTE apresentado

Este Volkswagen Cross Coupé GTE, acabado de apresentar em Detroit, anuncia o próximo passo no plano de domínio mundial da marca alemã - a Volkswagen conseguiu ultrapassar o alvo de 10 milhões de unidades vendidas em 2014 (10,14 milhões para ser exacto) algo que só esperava atingir em 2018. 

E porque é que ainda não conseguiu mais para destronar a Toyota do topo? Porque não consegue vencer no mercado americano porque não tem SUV's - algo que deve mudar em breve com um novo SUV de 7 lugares baseado na plataforma MQB em 2016 e um Tiguan longo em 2017. Mas voltemos a nossa atenção ao Cross Coupé GTE. 


 Se o nome soa familiar é porque já é o terceiro Cross Coupé (alias este novo concept parece uma versão "quase produção" do concept CrossBlue Coupe que a VW levou ao salão automóvel de Xangai), um constante afinar do designe da Volkswagen para o mercado americano - sim, este modelo e este designe não vai chegar a este lado do atlântico: é o "American way of life" segundo os maiores fãs do David Hasselhoff, os alemães. 

O SUV de 7 lugares VW para os EUA (que deve chamar-se Roccan) começa a ser produzido no final de 2016 em Chattanooga (Tennessee), e este modelo Cross Coupé (provavelmente Roccan Coupé) tipo BMW X6 deverá chegar mais adiante. 

É baseado na mesma plataforma MQB do Golf mas é maior em 5 centímetros que um Touareg (que tem 4,80 metros de comprimento). Neste concept a sigla GTE indica uma mecânica híbrida plug-in que combina um V6 de 3.6 litros atmosférico com 280 cavalos com um motor eléctrico de 54 cavalos no eixo dianteiro e um atrás com 115 cavalos. Tudo ligado debita 360 cavalos e é capaz de percorrer 32 quilómetros em modo 100% eléctrico. 

O interior é bastante moderno e de qualidade, mas para não calcar os calos a Audi deverá ter motores e equipamentos mais básicos, logo mais barato. Nós por cá teremos que nos ficar pelo Tiguan. 

Voltando aos planos de domínio global da Volkswagen, a marca alemã pretende investir 7 mil milhões de dólares nos EUA até 2019 para novos automóveis (principalmente crossovers e SUV's já apartir de 2016 mas também um novo Passat especifico para os EUA em 2018), tecnologia e unidades fabris. Nos EUA, a Volkswagen vende principalmente os Jetta e Passat (que tiveram uma queda de vendas) e os SUVs Tiguan e Touareg sendo importados são bastante caros. Tudo combinado a marca alemã caiu 10% em 2014 nos EUA, um mercado em que tem que vencer se quiser chegar ao primeiro lugar mundial.

0 comentários:

"