BMW M4 e M3 apresentado

O nome M3 é conhecido e respeitado por todo o mundo automóvel, substituí-lo não deve ter sido decisão fácil - mas eis que chegou: o BMW M4.

 
Com a sigla M3 agora bloqueado no sedan, o coupé recebe o M4 como topo de gama com todos os detalhes importantes - boça no capot, para-choques agressivos, retrovisores específicos, 4 ponteiras de escape e acima de tudo, um 6 cilindros em linha de 3 litros 2 turbos injeção direta, abertura variável de válvulas. 431 cavalos às 7.300 rpm e 550 Nm de binário nas rodas traseiras...deliciosos.
 
São mais 11 cavalos que o anterior V8 atmosférico mas enquanto este só debitava 400 Nm de binário o novo motor debita 550 e isso faz toda a diferença. A corrida dos 0 aos 100km\h começa e acaba em 4,1 segundos com a caixa DSG de 7 velocidades com Launch Control com 2 definições: normal e “Smokey Burnout” que faz o mesmo mas queima um pouco mais os pneus.

 
Uma dica - se conhecer alguém a gabar esta característica, não o convide para jantar. Mas o M4 assegura a performance - para conseguir manter o peso nos 1.500 quilogramas a BMW aproveitou muitas das lições dos BMW i e o carbono chegou ao tejadilho, transmissão, tampa da mala e se necessário os discos de travões, e alumínio nos braços das suspensões e suportes vários.
 
A tração continua a ser traseira com um diferencial autoblocante ativo e a direção é elétrica e tal como a suspensão pilotada tem 3 modos: Confort, Sport e Sport+.
 
E chegou também o M3, agora sem a versão coupe ou descapotável...apenas uma berlina a anabolizantes?

 
A mecânica é a mesma do M4, os truques visuais também se bem que o peso é ligeiramente superior ao do M4, com 1.520 quilogramas.

 
Mas a verdade é que a versão 4 portas do M3 sempre foi a que vendeu menos. Teremos que esperar para ver como são recebidos.

0 comentários:

"