A verdade sobre o Autopilot da Tesla

Já tinha falado aqui sobre o Autopilot da Tesla, os seus acidentes e a sua atenção mediática. O que ainda não tinha discutido foi o motivo pelo qual os acidentes com a condução autónoma da Tesla continuam a acontecer. Ora bem como não tenho um Tesla para fazer o teste não posso mostrar o porquê, mas o video seguinte em inglês mostra um simples teste de como o Autopilot da Tesla pode falhar.

Por exemplo, quando o Tesla está a seguir o carro da frente e este para, o Tesla para também. Mas se o veículo da frente se desviar de um obstáculo imóvel no meio da estrada, como por exemplo outro veículo, o Tesla vai colidir por não ter tempo suficiente para reagir, travar e assim previnir a colisão. Da mesma maneira, se um carro que viaja no sentido contrário entrar na nossa faixa de rodagem, o Autopolit pode não ter tempo de reação suficiente para impedir uma possível colisão.
O Autopilot também não prevê a tempo uma rápida reação de um carro estacionado na berma da estrada, apesar da Tesla afirmar que o Autopilot monitoriza os veículos em seu redor, incluindo os estacionados.
Por muito que se possa dizer sobre este sistema, resume-se a isto, o Autopilot é um assistente à condução e não é um sistema 100% autónomo que dispensa a supervisão do condutor. Ou pelo menos não deve ser apregoado como tal. Em certos casos, a única coisa que pode previnir um acidente é o nosso tempo de reação, os nossos reflexos, isto porque nem sempre um sistema de condução autónoma é capaz de ser tão ou mais eficaz quanto nós. Mesmo assim os acidentes com este sistema ligado continuam a acontecer. Será que as pessoas querem chegar a um ponto em que não têm que se preocupar mais com a condução? Será que vamos viver num mundo tipo filme animado Wall-E? Vamos esperar para ver.

0 comentários:

"