Novo Infiniti QX50 apresentado

A Infiniti pode ser uma marca discreta na Europa e provavelmente não vamos ver muito deste novo QX50 aqui em Portugal, que é uma pena porque é muito bonito mas o mais importante é o que está debaixo do capot - o primeiro motor de combustão interna com compressão variável ou VCR (Multi Link Variable Compression Ratio).
Tive hipótese de ver este modelo quando ainda era um concept no ultimo salão automóvel de Paris e pouco mudou desde então - com 4,69 metros de comprimento é um rival para os Lexus NX, Jaguar F-Pace, Audi Q5, BMW X3 ou Volvo XC60. Mas como eu disse a grande novidade é que troca o anterior V6 atmosférico de 3.7 litros por um 4 cilindros turbo associado a uma CVT Xtronic.

Estas imagens são do concept de Paris 2016





Este 2.0 litros VC-Turbo é o primeiro motor a combustão interna capaz de variar a sua taxa de compressão entre 8:1 para melhores performances até 14:1 para melhorar consumos. Debita 268 cavalos e 380 Nm de binário capaz de ir dos 0 aos 100km\h em 6,7 segundos (em tração dianteira) ou 6,3 segundos (em tração integral). E que consumos é capaz este motor? Com tração dianteira este motor é capaz de consumo médio de 8.7l/100km e na versão integral 9l/100km - para o mesmo nível de potencia do V6 este novo motor é 35% mais eficiente.

Juntamente com o novo motor da Mazda, acredito que este motor VCR venha a melhorar substancialmente não só o comportamento e prestações como estender a vida do motor de combustão interna. Sendo um produto da Nissan-Renault não deverá demorar a aparecer em outros produtos do grupo.

0 comentários:

"