VW troca pequenos diesel por híbridos 48volts

Segundo o chefe do desenvolvimento do grupo VW Frank Welsch à Automotive News Europe a marca prepara-se estrear o seu primeiro híbrido a gasolina usando um sistema de 48 volts num modelo compacto (tipo Golf) mas não demorará até que este sistema venha a substituir os modelos equipados com pequenos motores diesel.
Segundo Welsch a plataforma MQB será a primeira - ou seja, pode ser desde o novo Polo ao Golf, Tiguan, Skoda Octavia, Seat Leon e muitos outros. Este sistema híbrido gasolina é uma alternativa aos diesel que tem estado sobre pressão desde que o dieselgate e as excessivas emissões de NOx irrompeu na ribalta. O custo de limpar as emissões também torna-se cada vez mais elevados - segundo uma entrevista à Autocar a mais recente geração do Polo diesel só o catalisador SCR é 200 euros mais cara que a anterior, na totalidade o sistema de tratamento de emissões acresce 800 euros ao preço. No Polo diesel, a motorização diesel completa representa 25% do preço...

Como tenho dito - o ponto em que os pequenos diesel deixam de valer a pena está a chegar. E a VW está a repensar toda a sua estratégia de pequenos motores diesel, em particular substitui-los por um híbrido com este sistema de 48 volts. O grupo continuará a desenvolver o maior EA288 de 2.0 litros que irá para uma grande quantidade de automóveis, mas nada mais pequeno.

Mas há outro factor nesta decisão: as emissões da frota de CO2 descem em 2021 para 95g/km dos atuais 119.5g/km e os motores diesel (que emitem menos CO2 que o equivalente a gasolina) são fundamentais para cumprir este limite legal.

Estes sistemas de 48 volts conseguem melhorar a eficiência de um motor a gasolina reduzindo as emissões (logo os consumos) entre 15 a 20%. Estes sistemas também podem ser aplicados em motores a diesel (o primeiro exemplo foi a Renault Scenic com o sistema da Continental\Schaeffler) mas a melhoria de eficiência é bastante menor: entre 5 a 10% apenas. 


Na Scenic 5 lugares, e usando números super optimistas do NEDC, a versão normal consome em média 3.9l/100km e emite 100g/km de CO2. Já a versão com o tal sistema híbrido consome 3.5l/100km e emite 92g/km de CO2 mas custa mais 1.600 euros. Ou seja, 200 euros por cada grama de CO2 reduzida...

0 comentários:

"