Primeiras dores de cabeça PSA-Opel

E começam os primeiros problemas - a venda da Opel à PSA em Março pode ter sido fácil no papel, mas parece que vai demorar um pouco mais a tornar-se realidade.
Parece que o centro de desenvolvimento da Opel em Rüsselsheim, com 7.700 trabalhadores, querem assegurar os seus empregos após a passagem de mãos e querem que a Opel possa continuar a desenvolver automóveis nos próximos 3 anos em plataformas desenvolvidas na era GM, incluindo liderança no desenvolvimento do SUV baseado no Insignia.

É decidamente um passo atrás para a PSA que logo após o anuncia do negocio com a GM anunciou que o próximo Corsa seria já em plataforma PSA...

Será Carlos Tavares capaz de descalçar esta bota e finalizar a transição até ao fim de 2017?

0 comentários:

"