DieselGate - ponto de situação 07-06-2017

Há já algum tempo que não fazia um apanhado das notícias ligadas ao dieselgate - ficam abaixo os principais desenvolvimentos como sempre sem tretas, conservantes ou adoçantes acrescentados.

Audi de volta às manchetes no dieselgate
O governo alemão acusou a Audi de falsear as emissões diesel em alguns modelos topo de gama - não são os americanos, são os alemães a acusarem a Audi! Uma primeira... O governo ordenou, e a Audi concordou, a recolha de 24.000 unidades do A7 e A8 produzidos entre 2009 e 2013 - estes estão equipados com motores Euro-5 mas quando a direção é girada mais que 15º as emissões poluidoras duplicam. A Audi já terá submetido uma solução ao KBA e tem até ao dia 12 de Junho para ser aprovada.


Daimler segue para tribunal
Um juiz californiano deu luz verde a um processo legal de investidores contra a Daimler (que detém a Mercedes) e vários executivos acusando-os de saberem e não os informar das emissões excessivas. É basicamente o mesmo caso que fazem contra a VW - por lei se a administração soubesse em antemão que existia falsificação de emissões é não informasse os investidores estes teriam que ser compensados pelas suas perdas.

Se a Daimler/Mercedes esta também a falsificar as emissões tenho duvidas - a Mercedes sempre usou o mais dispendioso e testado sistema com adblue nos seus diesel, algo que a Volkswagen não usava. A VW queria usar o sistema mais barato que não era capaz de cumprir as regras de emissões americanas e é por isso que enveredaram pela falsificação. Já não é a primeira vez que a Mercedes foi a tribunal por isto e foi ilibada.

Dito isto, recentemente a procuradoria de Estugarda revistaram 11 instalações da Daimler nos estados de Baden-Wuerttemberg, Berlim, Baixa-Saxónia e Saxónia no âmbito de uma investigação de fraude de publicidade enganosa e possível manipulação dos sistemas de tratamento de emissões de automóveis diesel. As buscas são direcionadas (segundo a procuradoria) a funcionários conhecidos e desconhecidos da Daimler, mas segundo uma fonte da Daimler a procuradoria de Estugarda não está a investigar nenhum membro da direção.

Curiosamente, em 2005 a Volkswagen (na altura liderada por Bernd Pischetsrieder) e a Mercedes estiveram em conversações para cooperação em vários projetos, incluindo o fornecimento de motores diesel. Em cima da mesa estava a escolha entre usar a tecnologia Bluetec da Mercedes ou apostar no TDI common-rail do grupo VW - a tecnologia da Mercedes tinha a vantagem de ser mais "limpa" mas acrescia cerca de 1.000 euros ao preço do automóvel. Com a diferença de custo e pressão interna as conversações falharam e o grupo VW apostou tudo no TDI. Um ano mais tarde os primeiros protótipos do motor EA189 foram apresentados e aprovados pela direcção, que segundo a acusação americana já tinham o tal software.

0 comentários:

"