DieselGate - ponto de situação 04-03-2017

Mais uma atualização do dieselgate, como sempre sem tretas, conservantes ou adoçantes acrescentados.

Audi despede 4 engenheiros da divisão diesel
A Audi despediu 4 engenheiros da sua divisão diesel, entre eles o anterior chefe de desenvolvimento de motores Ulrich Weiss e o anterior chefe de controlo de emissões nos EUA "Giovanni P". Weiss estava suspenso de funções desde 2015 e curiosamente o despedimento surge depois de ter dito num tribunal que o CEO da Audi Rupert Stadler sabia do software ilegal desde 2012 - algo que Stadler nega dizendo que apenas soube quando o escândalo explodiu em Setembro de 2015.

Ulrich Weiss está a processar a Audi por despedimento indevido e a Audi fechou fileiras em torno do seu CEO - Weiss diz que a Audi quer fazer dele bode expiatório para o dieselgate já que o software terá sido criado pela Audi, enquanto a Audi nega as acusações e diz que a investigação interna da Jones Day terá desmontado esta acusação e 2 fontes internas da marca confirmam que a direção apoia o CEO da Audi Rupert Stadler.

Quem segue estas regulares atualizações do dieselgate devem recordar que com a abertura de queixas criminais nos EUA foram tornados públicos detalhes de como o grupo alemão tentou ocultar a falsificação das emissões, entre eles referencias a reuniões em que foram feitas apresentações powerpoint sobre o famoso "dispositivo" - pois o jornal Spiegel conseguiu arranjar porções desses PowerPoint de 2007 com detalhes de como enganar os testes de emissões, incluindo um sistema de injecção de ureia que reduz a quantidade de químico injetado em condições normais para que só fosse necessário atestar nas revisões regulares.


FCA avisa investidores de possível tempestade a diesel
A Fiat Chrysler Automobiles avisou os accionistas que pode ser multado até 4,6 mil milhões de dólares se os reguladores determinarem que a empresa instalou dispositivos para falsear as emissões diesel. A FCA recebeu pedidos de informação e ordens de submissão de informação do departamento de justiça americano, da SEC e de vários inspectores gerais.

A FCA recusa as acusações da EPA que acusa o construtor de ter instalado pelo menos 8 dispositivos de controlo de emissões não declarados em pickups Dodge Ram 1500 e no Jeep Grand Cherokee com o V6 de 3 litros diesel.


Parlamento Europeu acusa governos
Um relatório do parlamento europeu sobre o escândalo das emissões diesel concluiu que vários governos eutopeus (este relatorio aponta o dedo à França, Hungria, Itália, Eslovaqui, Espanha e Roménia como principais culpados pelo bloqueio) adiaram testes de emissões mais precisos durante 6 anos - graças a uma relação muito proxima entre os reguladores que testam as emissões e os construtores automoveis. Não fizeram o suficiente para apanhar a marosca (algo que foi preciso os americanos fazerem) e segundo o relatório a comissão europeia também pouco ou nada controlou a obrigação dos governos de controlarem a falsificação de emissões.

A comissão europeia já propôs uma revisão das regras de como os veículos são licenciados e testados no bloco europeu e uma proposta para reforçar o poder de inspeção da União Europeia já terá recebido a luz verde do comité interno em Fevereiro - mas mesmo com toda a confusão do dieselgate ainda há estados europeus a bloquear as alterações.

0 comentários:

"