Motor Opel 2.0 CDTI diesel - fiabilidade problemática

Fiquei bastante surpreendido quando os comentários começaram a cair num post relativo a uma recolha do Opel Insignia. Todos os leitores queixavam-se de problemas sérios com este modelo equipado com o motor diesel de 4 cilindros 2 litros CDTI, também presente noutros modelos passados e atuais. Cheguei a contactar a Opel para uma resposta mas pouco ou nada disseram - nos entretantos as reclamações continuaram a cair.
Resolvi então tentar contactar o maior número de mecânicos possível e tentar chegar ao fundo da questão. Tentei, sem sucesso, falar com mecânicos da Opel mas estes recusaram comentar. Abordei o maior número possível de mecânicos que disseram ter experiência com este motor e curiosamente quase todos diziam a mesma coisa.

Segundo estes foi um motor desenhado para um binário elevado mas não o reforçaram corretamente obrigando a uma manutenção cuidada regular por um mecânico familiarizado com este motor e ao mínimo soluço ir logo à oficina. Ao invés de reforçar o motor, transferiram isso para a manutenção que inclui mudança de bronzes que se desgastam rapidamente (que podem levar a partir o motor) e outras operações.

Na grande parte dos motores diesel além dos injetores nos cilindros há mais um no catalisador do escape para injectar combustível e subir a temperatura para regenerar o catalisador. Nos Opel com este motor não é assim - quando é preciso regenerar o catalisador injetam combustível a mais nos cilindros que não é queimado nos cilindros mas sim no catalisador. O problema é que vários mecânicos indicaram que essa injeção excessiva leva em determinadas situações à mistura de combustível com o óleo causando danos ao motor. Quase todos os mecânicos que contactei disseram ter desligado este sistema via reprogramação.

Outra questão também regularmente referida é que as condutas de água nas borboletas da admissão, que desviam água que pode entrar na admissão de ar, degradam-se permitindo a entrada de água no motor.

Infelizmente parece que algures no design do motor, os contabilistas meteram o nariz (e isso nunca acaba bem), e quando algo corre mal não há grande coisa que se possa fazer. É um motor que precisa de manutenção muito cuidada e deslizes saem caros. A construção pode ser alemã, mas a contabilidade é americana...

0 comentários:

"