DieselGate - ponto de situação 05-09-2016

Que nem uma telenovela portuguesa o dieselgate continua deprimente e sem fim, se bem que mais interessante. E sempre sem tretas, conservantes ou adoçantes acrescentados aqui no 4Rodas1Volante.
Piech abordou Winterkorn sobre o dieselgate - rumor
Segundo o jornal Bild am Sonntag, 1 mes antes de se desentenderem Ferdinand Piech terá tentado abordar Martin Winterkorn acerca do dieselgate. O jornal alemão diz que Piech terá dito aos auditores internos que tentou falar com Winterkorn em Março de 2015 acerca da investigação da EPA mas sem nunca falarem de software ao que Winterkorn terá respondido pouco depois do Salão de Genebra de 2015 que tinha tudo sobre controlo.

Piech nunca falou até agora sobre o dieselgate e esta conversa terá decorrido mais ou menos na altura em Piech declarar guerra a Winterkorn portanto é um rumor a levar com uma pedra de sal. Até agora a única informação já confirmada por documentos internos da VW é que Winterkorn teria perdido/ignorado alguns alertas que alguma estaria errado nas emissões nos EUA e apenas em Setembro é que a ficha terá caído na direção do grupo VW.


Consumidores americanos preferem devolver o carro
Há cerca de 2 meses os 475.000 proprietários de automóveis diesel da VW nos EUA receberam no correio uma escolha: 5.100 dólares em dinheiro e o veiculo arranjado ou a VW comprava o seu carro de volta. Parece que quase metade, a Autonews diz 210.000, preferiram a segunda opção. Dito isto, a VW ainda não tem uma reparação para o 2 litros TDI aceite pelo EPA.


Acordo sobre 3 litros TDI em Outubro - rumor
Segundo Dietmar Voggenreiter, o diretor de marketing e vendas globais da Audi, até Outubro o grupo VW sepra conseguir um acordo com as autoridades americanas para o V6 3 litros TDI - relembro que o acordo anterior apenas cobria o 2 litros TDI.


Juiz valida acordo
O acordo entre o estado da Califórnia e a VW recebeu o selo de aprovação final do juiz federal que supervisiona todo este dieselgate.


Mitsubishi continua a dar
Primeiro eram apenas algums Key cars, depois veio-se a descobrir que a marca japonesa já fantasiava os seus números de consumos/emissões desde 1991, em Maio deste já eram todos os carros vendidos no Japão da marca que estavam afetados e agora anuncia que afinak também afeta alguns automóveis vendidos fora do japão. É o que concluiu a investigação do ministério de transportes do Japão.  

Segundo os investigadores foi um problema de cultura da empresa que permitiu que esta situação ocorre-se: a pressão da empresa para baixar consumos, em conjunto com a falta de união entre as divisões e incapacidade de aceitar os resultados de testes arrastou a marca japonesa ao ponto de ser tomada pela Nissan.

Dai que não é grande surpresa a noticia que os escritórios centrais da Mitsubishi Motors e a fabrica de Nagoya foram novamente alvos de buscas pelas autoridades japonesas.


Alemanha queixa-se à UE da Fiat
Afinal os alemães não largaram da perna da Fiat - como tínhamos recentemente noticiado desde que o dieselgate subiu à ribalta a KBA alemã andou a testar automóveis de vários construtores, incluindo modelos da Fiat, à procura de quem mais fazia batota. Na altura os alemães queixaram-se à Italia que o Fiat 500X desligava o tratamento de escape uns minutos depois de terminar o normal teste de emissões. Os italianos disseram que não havia nada de errado e basicamente mandaram os alemães passear.

Avancemos para a atualidade e os alemães decidiram escrever à União Europeia que podiam provar que os Fiat 500X, Fiat Doblo e Jeep Renegade usam um dispositivo ilegal para desligar os sistemas de tratamento de escape.

A Fiat já disse que os seus automóveis cumprem todas os regulamentos de emissões e a comissão europeia disse que os países tem que se entender mas que intervirá se não haver acordo. Já o governo italiano disse que até agora não recebeu nada dos alemães.

0 comentários:

"