DieselGate - ponto de situação 14-10-2016

Que nem uma telenovela portuguesa o dieselgate continua deprimente e sem fim, se bem que mais interessante. E sempre sem tretas, conservantes ou adoçantes acrescentados aqui no 4Rodas1Volante.

Volkswagen recua nos diesel nos EUA...
O CEO da Volkswagen America Hinrich Woebcken disse em entrevista que a Volkswagen vai recuar nos motores diesel no mercado norte-americano - não vai deixar de vender diesels mas deixam de ser um ponto importante na gama e decididamente o "Clean diesel" é enterrado completamente.
Até ao dieselgate a VW oferecia motores diesel em 6 de 8 modelos e representava mais de 20% das vendas mas desde que o dieselgate explodiu a VW suspendeu as vendas de motores diesel e retirou os pedidos de homologação para os novos modelos. A Volkswagen vai apostar nos crossovers (como o Golf Alltrack), SUVs (um Tiguan de 7 lugares está quase a chegar) e modelos elétricos baseados na nova plataforma MEB para acompanhar os atuais modelos híbridos.


...e na Coreia
A Volkswagen vai suspender as vendas da maioria dos seus modelos na Coreia do Sul sob pressões da versão coreana do dieselgate. É uma medida preventiva porque tudo indicava que a procuradoria sul-coreana preparava-se para revogar a certificação de 32 veículos do grupo alemão impossibilitando a sua venda.


Acordo Volkswagen-EUA recebe luz verde
Referimos no outro dia o acordo de 14.7 biliões de dólares que a Volkswagen e a EPA, mas esse acordo tinha ainda que receber o selo de aprovação do juiz federal que está a supervisionar o caso - o juiz deu o seu acordo preliminar para que a VW possa começar a comprar de volta os veículos afetados, se bem que o selo final só será dado em Outubro.

Recordo que este acordo é apenas para os automóveis equipados com o 2 litros TDI, o V6 de 3 litros ainda não foi resolvido - a proposta inicial para estes motores foi recusada, mas deve apresentar nova solução em Agosto.


Califórnia testa solução para 2 litros TDI
O acordo acima mencionado entre a Volkswagen AG e California Air Resources Board (CARB) prêve a possibilidade da Volkswagen comprar de volta dos consumidores os modelos equipados com o 2 litros TDI afetado pelo dieselgate, mas isso não quer dizer que a marca alemã tenha desistido de consertar os veículos afetados - segundo a Reuters a CARB começou a testar a solução proposta pela VW e se aceite poderá reduzir o número de carros a comprar de volta.
Esta é a segunda proposta de reparação apresentada pela marca alemão para este motor - a primeira foi considerada insuficiente para cumprir as exigências legais. Para ser aceite esta solução terá que atingir entre 80 a 90% dos padrões ambientais.


Procuradoria alemã continua a investigar
A procuradoria alemã de Braunschweig continua a investigar o dieselgate e já tem 21 atuais e ex-trabalhadores da Volkswagen debaixo de olho - em Março eram apenas 17 sob investigação. Recordo novamente que todas estas investigações (e processos legais) dependem todos de concluir que a Volkswagen teve conhecimento de que os testes de emissões estavam a ser falseados e que não avisou as autoridades atempadamente.

Quem está aparentemente safo (pelo menos da procuradoria alemã) é o ex-ceo da Porsche Wendelin Wiedeking - os procuradores de Estugarda viram recusado o recurso para julgar Wiedeking por manipulação do mercado aquando da tentativa falhada da Porsche de tomar a VW.


Altos e baixos na primeira metade do ano
A marca Volkswagen teve uma queda de 12% nos lucros do segundo trimestre: de 914 milhões de euros em 2015 para 808 milhões em 2016 em igual período, e as margens de lucro de 3.4% para 2.9% - segundo a Bloomberg. Algo mau tendo em conta que a marca Volkswagen representa, em volume, mais de metade das vendas de todo o grupo.
Na primeira metade do ano os lucros do grupo VW subiram 7% para 7.5 biliões de euros (isto sem contar os 2.2 biliões que estão cativados para lidar com o dieselgate) mas por marcas o quadro não é tão positivo. Os lucros da marca Volkswagen caíram para 900 milhões de euros, os da Audi caíram também de 2.9 para 2.7 biliões de euros (mas principalmente devido a investimentos em novos produtos, tecnologias e fabricas) e a Bentley teve um prejuizo de 22 milhões de euros. Os lucros da Porsche subiram 7,7% para 1.8 biliões (os novos Boxster, Cayman, 911 e Macan a terem grande procura), os lucros da Skoda subiram 31% para 685 milhões e lucros de 93 milhões na Seat.


Dieselgate começa a mudar atitudes
Aos poucos o dieselgate começa a fazer mudanças no mundo automóvel - a Volkswagen colaborou com a comissão europeia numa investigação ao chamado "cartel de camiões" na Europa. Esta investigação já se arrasta desde 1997 e investigava a possibilidade de um acordo entre os construtores de camiões para acordarem preços praticados, timings para a introdução de tecnologias e coordenar pressões sobre órgãos governamentais para influenciar legislação. A comissão europeia multou em 2.93 milhões de euros a DAF, Volvo/Renault, Daimler e Iveco com a MAN (marca pesos pesados do grupo VW) a escapar qualquer penalização já que foram eles a denunciar este acordo.

0 comentários:

"