Ponto de situação Dieselgate: 14-02-2016

A telenovela dieselgate continua a desenrolar-se, se bem que mais interessante que as portuguesas. Fica mais um ponto de situação sem tretas, conservantes ou adoçantes acrescentados.

Chefe de qualidade VW demite-se 
O responsável pelo controlo de qualidade do grupo Volkswagen Frank Tuch, um dos 9 gestores suspensos devido ao Dieselgate, demitiu-se e foi substituído por um veterano do grupo chamado Hans-Joachim Rothenpieler. Tuch não foi aparentemente demitido ou acusado de algo, mas pediu para sair se bem que a VW diz que se manterá como um conselheiro do construtor.
É uma curiosa dança de cadeiras - Tuch foi até 2010 chefe de qualidade da Porsche e Winterkorn promoveu-o para chefe da qualidade do grupo substituindo Rothenpieler. Agora com saida de Tuch Rothenpieler volta para o lugar que antes ocupava.


DUH volta ao ataque
O lobby alemão DUH (nota pessoal - arranjem um novo nome se querem ser levados a sério) voltou ao ataque acusando o Fiat 500X diesel de emitir níveis elevados de óxidos de azoto com recurso a dispositivos de falsificação de emissões. É basicamente a mesma acusação que fizeram à Opel Zafira, a Renault Espace e a Mercedes Classe C carrinha - algo que a FCA já negou. Curioso que façam essa acusação agora depois da FCA ter concluído uma auditoria interna e segundo esta tais dispositivos não existem na FCA.
Novamente é mais um daqueles resultados feitos segundo uma metodologia que não a oficial de homologação, provando apenas que este não é realista mas não implica que os construtores fizeram algo de ilegal - que é o que a DUH está a insinuar. Segundo este teste o Fiat 500X diesel Euro 6 liberta entre 11 a 22 vezes mais óxidos de azoto que o limite legal quando testado com o motor quente.


VW atrasa apresentação dos resultados de 2015
E por consequência a entrega dos resultados da auditoria interna sobre as emissões. Segundo o grupo este atraso deve-se à dificuldade de terminar exatamente o impacto do dieselgate nos resultados financeiros. Inicialmente os resultados deviam ser apresentados a 10 de Março, agora só em 21 de Abril é que se realiza a reunião com os acionistas para os resultados anuais e claro, o relatório completo da auditoria interna independente. E pelo meio a VW ainda não conseguiu acordo nos EUA sobre como reparar os motores TDI afectados pelo dieselgate.

0 comentários:

"