Dieselgate - ponto de situação 21/11/2015

Mais um resumo dos mais recentes desenvolvimentos do dieselgate by Volkswagen, sem OGMs ou tretas acrescentadas.
V6 3 litros diesel também afectado
A Volkswagen aceitou que afinal os motores V6 de 3 litros diesel produzidos de 2009 a 2016 também têm um dispositivo que falseia as emissões - ou seja, mais 85.000 automóveis à acrescentar à longa lista de problemas da marca alemã. Segundo a CARB (California Air Resources Board) estes veículos têm um "dispositivo de controlo de emissões", que é legal na Europa, mas nos Estados Unidos devia ter sido declarado às autoridades. Agora só falta saber se foi batota intencional por parte da marca ou se foi "esquecimento".
Afecta todos os modelos do grupo que têm este motor - Touareg, A6, A7, A8, Q5 e Cayenne de 2009 e 2016. O software detecta quando os automóveis estão a ser testados e activam um modo de "condicionamento termico" que activa os sistemas de controlo de poluição reduzindo as emissões de óxidos de azoto a niveis dentro dos limites legais. Segundo o chefe de comunicações da Audi of America estão a trabalhar em medidas para resolver esta situação, que envolverá reprogramação da eletrónica.


Clientes europeus e americanos diferentes
O grupo Volkswagen não vai oferecer o mesmo tipo de compensação aos compradores europeus de automóveis afetados pelo Dieselgate como fez aos clientes americanos e canadianos. Segundo declarações oficiais à Autocar: "Financial compensation will exclusively be offered to customers in the U.S. and Canada". Na Europa a Volkswagen diz que "irá preparar um conjunto de medidas para assegurar que os proprietários dos automóveis afetados tenham o mínimo de inconvenientes".

Nos EUA os 482.000 clientes afetados vão receber um cartão Visa carregado com 500 dólares, um segundo cartão Visa com 500 dólares para gastos em concessionários da marca e 3 anos de assistência de estrada grátis. Já os 8.5 milhões de automóveis afetados na Europa vão ter direito a menos - segundo da Volkswagen seria incomportável em termos financeiros e porque nos EUA os modelos foram vendidos como "Clean Diesel" (Diesel Limpo) e o combustível é mais caro.
A Volkswagen diz estar a ultimar os detalhes para a recolha na Europa, mas nos EUA as discussões com as autoridades estão menos avançadas. Espera ter até ao fim de novembro ou meio de dezembro todos os detalhes definidos para corrigir o motor EA189 excepto para a versão 1.2 litros. Será a maior recolha automóvel de sempre na Europa.


Mais tempo para responder pelas emissões de CO2
A União Europeia esticou até ao fim do ano o prazo para a Volkswagen clarificar a sua admissão de que 800.000 dos seus automóveis foram vendidos com dados falsos de emissões de CO2. Além de multas pelo mentir também há a questão de que pode ultrapassar o limite de emissões de CO2 da totalidade da gama e isso também acarreta uma pesada multa. Mais os países que definem os impostos pela quantidade de CO2 produzida. O novo CEO Matthias Mueller estima que este problema custe 2 mil milhões de euros.
A Volkswagen terá agora que verificar as emissões de CO2 de todos os modelos que produz.


Volkswagen corta investimentos em 8%
A Volkswagen vai cortar os seus investimentos para 2016 (fabricas, propriedade e equipamento) em 8% para reforçar fundos para lidar com o escândalo das emissões. o novo centro de design previsto para Wolfsburg foi suspenso, uma nova unidade de pintura no México está a ser repensada, o sucessor do Phaeton (supostamente elétrico) foi adiado e a fabrica dedicada onde é produzido em Dresden pode ser encerrada. Mas ira aumentar a despesa em tecnologias alternativas (elétricos e híbridos) em 100 milhões de euros em 2016. Infelizmente também vão ser afectados os trabalhadores, particularmente os trabalhadores temporários, e também algumas fábricas.


Bosch sob investigação
As autoridades americanas estão a investigar se a Bosch, o maior fornecedor de componentes automóveis do mundo, participou ou sabia do esquema de falsear emissões da Volkswagen. A Bosch fabrica vários componentes, incluindo a ECU do motor e o software de gestão, dos motores afectados - provavelmente porque fornece estes mesmos componentes para quase todos os diesel vendidos nos EUA. É este software que a Volkswagen alterou.

0 comentários:

"