DieselGate - novo ponto de situação 15/10

Novo apanhado das mais recentes noticias relacionadas com o dieselgate by Volkswagen. Sem tretas.

Alemanha ordena recolha
A autoridade federal alemã dos transportes (KBA) ordenou que seja feita uma recolha obrigatória dos 2.4 milhões de automóveis do grupo Volkswagen em solo alemão com o sistema de falseamento das emissões. Segundo o ministro dos transportes alemão Alexander Dobrindt a recolha deve iniciar-se no inicio de 2016 e será vigiada de perto pelas autoridades.

Curiosamente, a VW já planeava iniciar voluntariamente as recolhas e reparações de todos os veiculos afectados em Janeiro de 2016 e terminar até ao fim desse ano - um plano que o governo inglês já aceitou. Os alemães ordenaram a recolha mas seguindo o calendário da VW - se cheira a teatro é porque provavelmente é: o governo alemão quer mostrar força e que está a controlar a situação, pressão política.

É importante dizer que apesar de alguns detalhes sobre as reparações necessárias já terem sido ventiladas, mas a VW ainda não apresentou uma lista completa e detalhada das alterações necessárias - o KBA quer essa informação até ao fim de Novembro.


Algo remexe em Itália
Na semana passada foram os investigadores alemães a invadirem instalações da VW e casas particulares no âmbito da investigação ao dieselgate, e agora na Itália a Policia invadiu os escritórios da Volkswagen em Verona e da Lamborghini em Bolonha. Tudo pelo dieselgate.


Dedos apontados
O jornal alemão Der Spiegel disse que pelo menos 30 gestores do grupo Volkswagen estariam envolvidos na conspiração para forjar os testes de emissões. Cita resultados preliminares da investigação interna pela Jones Day e Volkswagen, tenda já havido dezenas de suspensões. A Volkswagen já veio a publico dizer que o número de envolvidos neste esquema e o novo CEO Matthias Mueller deve reunir-se com a direção para discutir o estado da investigação.


Treta do dia
E continuam as tristes tentativas por sites de noticias de atrair tráfego esticando ou mesmo mentindo sobre noticias do dieselgate. Hoje encontrei este post do e-konomista, que tal como o do Economico, que citam o mesmo relatório e noticia do Guardian e ambos mentem quando dizem que “existem vários modelos da “Honda, Mazda, Mercedes-Benz e Mitsubishi que têm medições muito acima da média permitida pelas regras da União Europeia". Não é verdade, os modelos cumprem os limites estipulados para testes em laboratório mas que esses resultados não têm nada a ver com os valores em "vida real". Infelizmente a verdade não vende.

E temos também o site noticiasaominuto.com que diz perentoriamente e com letras garrafais "Autoridades obrigam Volkswagen a chamar imediatamente carros" e remata a ideia com "As autoridades alemãs exigiram hoje à Volkswagen que chame às oficinas de forma obrigatória e imediata 2,4 milhões dos 2,8 milhões de veículos afetados pela fraude nas emissões poluentes". Só que isso não é verdade - como disse acima, o KBA indicou que a recolha deve ser iniciada em Janeiro de 2016 (que não é propriamente "imediato") e acima de tudo o que "obrigou a VW" a fazer é o que a VW já tinha dito que iria fazer voluntariamente. E como é possível reparar imediatamente algo para o qual ainda não foi criada solução?

2 comentários:

  • Anónimo says:
    18 de outubro de 2015 às 04:31

    Falta acrescentar que o governo alemão sabia de tudo isto há vários anos.

  • Turbo-lento says:
    19 de outubro de 2015 às 10:31

    Como já disse antes, toda a gente sabia que os automoveis poluiam mais na vida real que nos testes de homologação. Alías todos sabiamos porque dos automoveis modernos quais são aqueles que conseguem atingir aqueles consumos que vemos nos anuncios?
    Agora, saber que a VW tinha instalado este sistema de fazer batota nos testes de emissões duvido que muitos soubessem disso se não já alguém teria dito alguma coisa (nem que por denuncia anónima a um jornal ou algo parecido) - no problema das ignições da GM (que ainda está a decorrer mas ninguem fala nisso) foi a mesma coisa: pelos vistos apenas cerca de 4 a 5 pessoas sabia o que se passava.

"