China continua igual a si própria

Quando pensava que a China não podia descer mais baixo eis que um artigo no Slate prova que estava engano e ensina uma lição muito importante - se vai à China assegure que tem o seguro de vida em dia.
Neste artigo no Slate um professor de advocacia e membro da direção do Centro Cultural Chinês em Nova York escreve sobre algo que desafia a sanidade mental - na China (e noutros países da zona) se acertares em alguém com o teu automóvel é bom que a mates.

Há inumeros vídeos de condutores que fazem marcha-atrás para repetidamente atropelarem as suas vitimas para assegurar que estão mesmo mortas - e porque é que o fazem? Isto deve-se a um conjunto de fatores - a grande disparidade entre a compensação de uma morte e de um ferido, e leis que facilitam a fuga a situações de atropelamento e fuga. É que atropelar e matar alguém custa entre 30 a 50 mil dólares na China, mas se apenas ferir alguém fica responsável pelos ferimentos dessa pessoa para o resta da vida - o que aparentemente custa mais que um vida humana. E claro, com o suborno certo é possível safar-se com tudo.
Neste artigo cita o caso de uma criança de 2 anos que foi tocada por um camião - apenas tocada e conseguiu-se levantar. A criança foi tentar recuperar o guarda-chuva que tinha deixado cair e é nessa altura que o camião faz marcha-atrás e aí matou a criança. Consequências? Apesar de testemunhas, nada. O artigo é muito completo, com varias fontes - podia escrever mais mas sinceramente sinto-me enojado demais.

0 comentários:

"