Hibridos Renault - sim mas não para já

A Renault apresentou em Genebra o concept Eolab (que tive hipótese de o ver ao vivo em Paris) que era o seu primeiro híbrido plug-in e na altura pensei que enfim a marca francesa tinha chegado à conclusão que apenas os 100% eléctricos não funcionam e iam avançar para aquilo que muitos dizem ser o futuro: os híbridos recarregáveis. Mas segundo o Chief Performance Officer Jerome Stoll a Renault vai esperar que os custos de produção desçam antes de avançar. 


O que não faz muito sentido para mim - sim, os híbridos plug-in são mais caros e fazem mais sentido para as marcas premium como forma de reduzir emissões mas a verdade é que as marcas premium já estão a descer ao encontro das marcas generalistas e já estão agora a demarcar-se como lideres nos híbridos plug in. O esperar pode funcionar no ponto de vista que a Renault vai esperar por custos mais favoráveis, mas da mesma forma que deixaram a Toyota sozinha com híbridos e agora ninguém consegue ter sucesso com hibridos.

0 comentários:

"