Homicidio por ignição

À 10 anos atrás Gene Mikale Erickson morreu num acidente de automóvel quando era passageiro no Saturn Ion conduzido pela sua namorada Candice Anderson. Candice sobreviveu e foi acusada e condenada por homicídio. Eis que 7 anos após a condenação Candice foi ilibada do acidente já que o acidente foi causado pela ignição defeituosa do seu Saturn

Candice foi condenada principalmente por provas circunstanciais - a policia estranhou que não havia marcas de travagem num acidente numa estrada rural sem transito em pleno dia em que o automóvel acertou numa árvore, a condutora estava "desorientada e emocional" depois do acidente e tinha histórico de "drogas recreacionais". Ela deu-se como culpada em Outubro de 2007 e cumpriu uma pena de 5 anos, pagou mais de 10.000 dolares em multas e perdeu a possibilidade se ser enfermeira devido à condenação. 

O problema é que Candice não teve culpa - 5 meses antes da condenação a GM tinha começado a investigar internamente as ignições problemáticas. E em Maio 2007 a GM tinha concluído que a ignição tinha desligado desactivamente os airbags - foi um dos 13 acidentes mortais que a GM assinalou internamente como causados pelas ignições defeituosas. Mas numa carta à NHTSA em Junho 2007 a GM negou ter avaliado a causa do acidente. 

Seguiu-se a telenovela que conhecemos - os problemas tornaram-se públicos, bem como os inúmeros acidentes que parecem todos seguir o mesmo cenário: motor desliga-se sem pré-aviso desligando airbags e cortando a assistência à direcção e travagem, resultando em acidentes difíceis de explicar em que os airbags que deviam proteger os ocupantes não fazem a sua aparição. Face a isto a acusação foi retirada a Candice Anderson, que durante todos estes anos acreditou ser a assassina do seu namorado. Ilibada irá certamente juntar-se à crescente lista de pessoas a processar a GM.

0 comentários:

"